GERAÇÃO PRÉ-ADÂMICA

sábado, 30 de junho de 2012

ENQUETE SOBRE ATEUS




Mais uma enquete encerrada no DP. Dê sua opinião também, nos comentários:

PORQUE ALGUÉM SE TORNA ATEU?

Se decepcionou com Deus
  3 (13%)
 
Só enxerga Deus vinculado a uma religião
  10 (45%)
 
Convicção de que Deus não existe
  1 (4%)
 
Não existe ateu, principalmente na hora do aperto.
  10 (45%)
 

sexta-feira, 29 de junho de 2012

IBGE/SENSO 2010: EVANGÉLICOS SOMAM 42 MILHÕES NO BRASIL.



TERRA
ANDRÉ NADDEO


 Herança da colonização portuguesa, o catolicismo enfrenta o momento de maior arrefecimento da história do Brasil. É o que constatou o levantamento feito em todos os municípios do País no Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística (IBGE), que pesquisou em diversos níveis os aspectos religiosos da população brasileira. Em pouco mais de 20 anos, o número de brasileiros que se declararam católicos caiu 22,4%.

Confira a evolução das religiões no Brasil desde 1872 Para se ter uma ideia, em 1940, o mesmo IBGE constatava um percentual de 95% de católicos no Brasil. Em 1991, este número passou para 83%. Posteriormente, em 2000, na queda mais acentuada, foi para 73,6%, até chegar, 10 anos depois, nos atuais 64,6% dos cerca de 190 milhões de brasileiros .

Mesmo mantendo sua predominância, o catolicismo perde cada vez mais terreno para a religião evangélica. A pesquisa do Censo constatou que 22,2% do País está inserido nas crenças das igrejas de missão e pentecostais, dentre outras que pregam o evangelismo. O salto de 6,8%, em relação ao levantamento do ano 2000, se torna ainda maior se voltarmos ao ano de 1940, quando os evangélicos entraram na pesquisa e apareciam apenas com 2,6%. Ou seja, em pouco mais de 70 anos, cresceram 20,4%.

"Entre os católicos é comum ter pessoas não praticantes, que se declaram católicos. E nas outras religiões não, o que se declara é um participante mesmo. Essa é a grande diferença. O evangélico, por exemplo, participa muito mais. É fiel aos princípios da igreja", diz Cláudio Crespo, coordenador de população e indicadores sociais do IBGE. "A tendência é essa, de redução da população que se declarou católica, algo que vem sendo observado desde a década de 90", completa. Se o catolicismo ainda é hegemônico, o Brasil, no entanto, convive cada vez mais com a pluralidade religiosa. O Censo revelou que 2% dos entrevistados se declararam espíritas (aumento de 0,7% em relação ao ano de 2000), enquanto que umbanda e candomblé respondem por 0,3% (sem alteração). Outras religiosidades, como o islamismo, por exemplo, estão presentes em 2,7% (acréscimo de 0,9%) da população, enquanto que 8% dos brasileiros não têm religião. Apenas 0,1% não souberam responder, ou não quiseram prestar a informação.

"Neste contexto, o (Estado do) Rio Grande do Sul é um exemplo interessante disso, porque dependendo da região, e da ocupação que ocorreu, o Sul tem uma presença espírita e umbandista forte, tem uma ocupação de evangélicos de missão e também de católicos. É um Estado que se mostra bastante plural", exemplificou Crespo.

Nas regiões Norte e Centro-Oeste a diversificação dos grupos religiosos é marcada pela presença expressiva de evangélicos, sobretudo dos pentecostais, os quais têm também importante presença nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Os católicos, por sua vez, ainda que soberanos, têm maior representatividade no Nordeste: 72% dos habitantes.

No comparativo dos sexos, 65,5% dos homens brasileiros se declararam católicos, na maior presença masculina dentre as religiões. Nas demais crenças, as mulheres são maioria: 24,1% são evangélicas, 2,3%, espíritas, 0,3% adeptas da umbanda e candomblé e 2,9%, de outras religiões.

Mais de 42 milhões de fiéis O avanço das Igrejas Evangélicas no Brasil é ainda mais clara quando os percentuais são deixados de lado para o comparativo dos números brutos da pesquisa. São exatos 42.275.440 brasileiros que se declararam evangélicos, enquanto os católicos apostólicos romanos, majoritários, formam um grupo de 123.280.172 habitantes.

Dos cerca de 42 milhões de evangélicos, mais de 25 milhões são de origem pentecostal. Somente a Assembleia de Deus, Igreja de maior representatividade, possui 12 milhões de fiéis. Elas serviram de alicerce, ainda, para outro dado importante: enquanto 79% dos moradores de áreas urbanas responderam que são católicos, o maior número absoluto dos que moram no campo, nas grandes cidades, 23,5% são evangélicos.

"A partir do êxodo rumo às grandes cidades, da década de 70 para 80, você tem o surgimento da Igreja Universal do Reino de Deus, por exemplo, que aproveita a oportunidade para criar o que chamamos de igreja de periferia, como igreja de portas abertas para receber esse pessoal 'sem eira nem beira', sem ter onde ficar", explica Maria Goreth, coordenadora de indicadores sociais do IBGE.

Este efeito migratório encontra reflexo ainda nas idades dos entrevistados. Se os católicos encontram mais representatividade entre os brasileiros que têm mais de 40 anos, ou seja, oriundos da época em que o catolicismo era soberano, os evangélicos têm maior proporção entre crianças e adolescentes, que escolheram a religião que acolheu os pais neste êxodo.

Outras curiosidades

- O município de União da Serra, no Rio Grande do Sul, é o mais católico do Brasil: 99,18% dos moradores seguem da religião; - O município de Arroio do Padre, também no RS, é o mais evangélico: 85,84% dos moradores; - Palmelo, em Goiás, concentra o maior número de espíritas: 45,5%; - Cidreira, novamente no RS, tem 5% de praticante de umbanda e candomblé; - O islamismo responde apenas por 1,2% do grupo de outras religiosidades; - Sobre os que se declararam sem religião, 4% são ateus.

A INSPIRAÇÃO DA BÍBLIA



Temos visível evidência que a Bíblia é uma revelação de Deus. E nos é dito na Bíblia que Deus deu a revelação por inspiração. Se a Bíblia é a revelação de Deus, justo é deixá-la falar por si mesma sobre a sua própria natureza. É nosso propósito, então, inquirir neste capítulo do sentido e da natureza da inspiração, segundo o propósito testemunho da Bíblia.


No curso que estamos seguindo aqui observamos a razão no seu sentido mais elevado. Mostrou-se que a razão requer uma crença na existência de Deus. E apontou-se, além disso, que é razoável esperar uma revelação escrita de Deus. É da competência da razão, então, em relação à revelação, antes que tudo, examinar as credenciais de comunicações que professam ser uma revelação de Deus. Se essas credenciais forem satisfatórias, deve então a razão aceitar as comunicações como vindas de Deus; daí, aceitar as coisas apresentadas como sendo verdadeiras. “A revelação é o vice-rei que apresenta primeiro suas credenciais à assembléia provincial e então preside” (Liebnitz). Na maneira precitada “a razão mesma prepara o caminho para uma revelação acima da razão e pede uma confiança implícita em tal revelação quando uma vez dada” (Strong).


Acima da razão não é contra a razão. É o racionalismo mais cru possível que rejeita tudo que não pode aprofundar ou demonstrar racionalmente. “O povo mais irracional do mundo é aquele que depende unicamente da razão, no sentido mais limitado” (Strong). O mero raciocínio ou o exercício da faculdade lógica não é tudo da razão. A razão, no sentido amplo, compreende toda força mental para reconhecer a verdade. A razão só pode rejeitar justamente aquilo que contradiz fatos conhecidos. E então, para estar seguro, a razão deve estar “condicionada em sua atividade por um santo afeto e iluminada pelo Espírito Santo” (Strong). A semelhante razão a Escritura não apresenta nada contraditório, conquanto ela faz conhecido muito além do poder desajudado do homem para descobrir ou compreender completamente.


I. O SENTIDO DA INSPIRAÇÃO


Quando Paulo disse: “Toda a Escritura é dada por inspiração de Deus” (II Timóteo 3:16), ele empregou a palavra grega “theopneustos” com a idéia de inspiração. A palavra grega compõe-se de “theos”, significa Deus, e “pneu”, significando respirar. A palavra composta é um adjetivo significando literalmente “respirado por Deus”. Desde que é o fôlego que produz a fala, esta palavra proveu um modo muito apto e impressivo de dizer que a Escritura é a palavra de Deus.


II. O ELEMENTO HUMANO NA INSPIRAÇÃO


No entanto, foi somente em casos especiais que as palavras a serem escritas foram ditadas por via oral para os escritores da Bíblia. Na maioria dos casos as mentes dos escritores tornou-se o laboratório em que Deus converteu o seu fôlego, por assim dizer, em linguagem humana. Isso não foi feito por um processo mecânico. A personalidade e temperamento dos escritores não foram suspensas. Estes são manifestos nos escritos. Assim lemos Gaussen: “Ao sustentar que toda a Escritura é de Deus, estamos longe de pensar que o homem não é nada… Nas Escrituras todas as palavras são do homem, como lá, também, todas as palavras são de Deus…. Em certo sentido, a Epístola aos Romanos é ao todo uma carta de Paulo e, em um sentido ainda maior, a Epístola aos Romanos é totalmente uma carta de Deus”(Theopneustia, um livro altamente aprovado por CH Spurgeon) E assim lemos também de Manly:.” A origem divina e a autoridade da a Palavra de Deus não são para ser afirmadas de modo a excluir ou dificultar a realidade da autoria humana, e as peculiaridades daí decorrentes. A Bíblia é a Palavra de Deus ao homem, na sua totalidade, mas, ao mesmo tempo, é verdade e completamente a composição de um homem. Nenhuma tentativa deve ser feita e vamos certamente fazer nada para anular ou ignorar o “elemento humano” das Escrituras, que inequivocamente é bem aparente, ninguém deve desejar assim ampliar o divino ao ponto de elimina-lo, em parte ou sua totalidade. Este é um dos erros que os homens honestos têm cometido. [A citação a seguir é muito para o ponto aqui: "Às vezes, pode ser francamente admitido, zelo pela autoridade divina e inerrância das Escrituras pode ter levado a teorias insustentáveis e modos de expressão, que tenham obscurecido a verdade. Para dizer, por exemplo, que os escritores foram apenas instrumentos passivos nas mãos do Espírito, ou na melhor das hipóteses amanuenses escritos ao ditado, a adotar, em outras palavras, a teoria da mecânica, é injustificada e maliciosa. Não faz parte da doutrina, e nunca foi geralmente realizada " (Nova Guia Bíblico, Urquhart, vol. 8, página 175).] Deixai ambos serem admitidos, reconhecidos, aceitos com gratidão e regozijo, cada um contribuindo para tornar a Bíblia mais completamente adaptado às necessidades humanas como o instrumento da graça divina, e guia para fracos e almas humanas errantes. A palavra não é do homem, quanto à sua origem, nem dependendo do homem, quanto à sua autoridade. É por e através do homem como seu meio; ainda não apenas simplesmente como o canal ao longo do qual ele é executado, como a água através de um tubo sem vida, mas através do homem como agente voluntário ativo “e inteligente na sua comunicação. Ambos os lados da verdade são expressos na linguagem bíblica: “Homens santos de Deus falaram inspirados (carregados) pelo Espírito Santo. ” ( 2 Pe 1:21) Os homens falaram, o impulso e a direção são de Deus” (A Doutrina Bíblica da Inspiração). “As Escrituras contêm um ser humano, bem como um elemento divino, de modo que, enquanto eles constituem um corpo de verdade infalível, esta verdade é moldada em moldes humanos e adaptados à inteligência humana comum” (Strong)


III. A INSPIRAÇÃO EXECUTADA MILAGROSAMENTE


O elemento humano na Bíblia não afeta a sua infalibilidade, assim como a natureza humana de Cristo não afetou Sua infalibilidade. A inspiração foi realizada milagrosamente assim como o nascimento virginal de Cristo foi realizada por milagre, e assim como os homens são levados ao arrependimento e fé milagrosamente. Arrependimento e fé são atos voluntários do homem, mas porque são feitas nele pelo Espírito Santo. Deus realizou o milagre da inspiração providencialmente preparando os escritores de seu trabalho e assim revelando Sua verdade para eles e assim permitindo, orientando e supervisionando-os na gravação de como nos dar através deles uma exata e transmissão completa de tudo o que Ele desejava revelar.


“Apesar do Espírito Santo não ter selecionado as palavras para os escritores, é evidente que Ele o fez através dos escritores” (Bancroft, Teologia Elementar).


IV. MÉTODOS NA INSPIRAÇÃO


O elemento miraculoso na inspiração, sem dúvida, não pode ser explicado. E não temos nenhum desejo que o homem possa explicá-lo. Mas até certo ponto, no mínimo, podemos discernir das Escrituras, os métodos que Deus usou na inspiração. Um estudo dos métodos empregados deveria levantar nossa apreciação da inspiração.


(1) Inspiração por meio da revelação objetiva.


Algumas vezes foi dada uma revelação direta e oral para ser escriturada, tal como foi o caso ao dar-se a Lei mosaica (Ex. 20:1) e tal como foi o caso, algumas vezes, com outros escritores (Dn. 9:21-23; Ap. 17:7).


(2) Inspiração por meio de visão sobrenatural.


Noutros casos deu-se uma visão sobrenatural com ou sem uma interpretação dela, como foi o caso com João na Ilha de Patmos.


(3) Inspiração por meio de Passividade.


Noutras vezes, quando não se nos dá evidencia de uma revelação externa de espécie alguma, os escritores foram tão conscienciosos e passivamente movidos pelo Espírito Santo que ficaram sabidamente ignorantes do impacto daquilo que escreveram, como foi o caso com os profetas quando escreveram de Cristo (1 Pedro 1:10).


(4) Inspiração por meio de iluminação divina.


Algumas vezes foi dada aos escritores tal iluminação divina como para capacita-los a entenderem e aplicarem a verdade contida em prévias revelações, mas não feitas inteiramente claras por eles; como foi o caso com escritores do Novo Testamento ao interpretarem e aplicarem a Escritura do Velho Testamento (Atos 1:16, 17, 20; 2:16-21; Rom. 4:1-3; 10:5-11).


(5) Inspiração por meio da direção de Deus.


Em alguns casos os escritores foram meramente de tal modo guiados e guardados para recordarem infalivelmente fatos históricos segundo Deus se agradou de faze-los, quer fossem esses fatos pessoalmente conhecidos deles, ou obtidos de outros, ou revelados sobrenaturalmente. Todos os livros históricos são exemplos oportunos aqui.


(6) Inspiração por meio de revelação subjetiva.


Noutras vezes foi a verdade revelada através dos escritores por tal vivificação e aprofundamento do seu próprio pensar como para habilitá-los a perceber e registrar infalivelmente a nova verdade, como parece ter sido o caso com Paulo em muitas das suas epístolas.


Somando tudo, podemos dizer que o processo de inspiração consistiu de tais meios e influências como aprouve a Deus empregar, segundo as circunstâncias, para poder dar-nos uma revelação divina, completa e infalível de toda a verdade religiosa de que precisamos durante esta vida. Ou podemos dizer com A. H. Strong: “Pela inspiração das Escrituras queremos significar aquela influência divina especial sobre as mentes dos escritores sagrados em virtude da qual suas produções, à parte de erros de transcrição, quando justamente interpretadas, constituem juntas uma regra de fé e prática infalível e suficiente”.


V. A EXTENÇÃO DA INSPIRAÇÃO


Ver-se-á que a inspiração verbal está implicada no que já dissemos; mas, como também já foi dito, isto não destrói o elemento humano na Escritura. A Escritura é, toda ela, a Palavra de Deus; ainda assim, muitíssimo dela é também a palavra do homem. Os escritores diferem em temperamento, linguagem e estilo, diferenças que estão claramente manifestas nos seus escritos, ainda que suas produções são tão verdadeiras e completamente a Palavra de Deus – como qualquer expressão oral de Jesus.


VI. PROVAS DA INSPIRAÇÃO VERBAL


Como prova de fato que a Bíblia é inspirada em palavra e não meramente em pensamento, chamamos a atenção para as evidencias seguintes:


(1) A Escritura inspirada envolve necessariamente a inspiração verbal.


É nos dito que a Escritura é inspirada. A Escritura consiste de palavras escritas. Assim, necessariamente, temos inspiração verbal.


(2) Paulo afirmou que ele empregou palavras a ele ensinadas pelo Espírito Santo.


Em 1 Cor. 2:13, ao referir-se às coisas que ele conheceu pelo Espírito Santo, disse: “Quais coisas falamos, não nas palavras que a humana sabedoria ensina, mas que O Espírito Santo ensina”. É isto uma afirmação positiva da parte de Paulo que ele não foi deixado a si mesmo na seleção de palavras. [Alguns acusam que em Atos 23:5, 1 Cor. 7:10,12, Paulo admite a não inspiração. Em Atos 23:5 Paulo diz a respeito do Sumo Sacerdote: "Não sabia, irmãos, que era o Sumo sacerdote". Isto "pode ser explicado tanto como a linguagem de ironia indignada: "Eu não reconheceria tal homem como Sumo Sacerdote"; ou, mais naturalmente, como uma confissão atual de ignorância e falibilidade pessoais, o que não afeta a inspiração de qualquer dos ensinos ou escritos finais de Paulo" (Strong). Inspiração não significa que os escritores da Bíblia foram sempre infalíveis no juízo ou impecáveis na vida, mas que, na sua capacidade de mestres oficiais e interpretes de Deus, eram conservados do erro.


Nas passagens da primeira epístola aos Corintios diz Paulo no caso de um mandamento: "Mando eu, todavia não eu, mas o Senhor"; ao passo que no caso de outros mandamentos diz ele: "O resto falo eu, não o Senhor". Mas notai que no fim das últimas séries de exortações ele diz: "Penso... que eu tenho o Espírito de Deus" (1 Cor. 7:40). Aqui, portanto, Paulo distingue... não entre os seus mandamentos próprios e inspirados, mas entre aqueles que procediam de sua própria (inspirada de Deus) subjetividade e os que Cristo mesmo supriu por Sua palavra objetiva" (Meyer, in Loco).]


(3) Pedro afirmou a inspiração verbal dos seus próprios escritos como dos outros apóstolos.


Em 2 Pedro 3:1,2,15,16 Pedro põe os seus próprios escritos e os de outros apóstolos em nível com as Escrituras do Velho Testamento. E desde que Pedro creu que as Escrituras do Velho Testamento eram verbalmente inspiradas (Atos 1:16), segue-se, portanto, que ele considerava os seus escritos e os de outros apóstolos como verbalmente inspirados. [A questão pode ser levantada como a dissimulação de Pedro em Antioquia, onde temos uma "negação prática de suas convicções, separando-se retirado-se dos cristãos gentios (Gl 2,11-13) " (Strong). "Aqui não era o ensino público, mas a influência do exemplo particular. Mas nem neste caso, nem o referido acima (Atos 23:5), Deus permitiu o erro ser estabelecido. Por meio da atuação de Paulo, o Santo Espírito define o correto" (Strong)]


(4) Citações no Novo Testamento tiradas do Velho provam a inspiração verbal dos escritores do Novo Testamento.


Os judeus tinham um respeito supersticioso pela propria letra da Escritura. Certamente, então, os judeus devotos, se deixados a si mesmos, seriam extremamente cuidadosos ao citar as Escrituras, como está escrito. Mas nós encontramos no Novo Testamento 263 citações diretas do Antigo Testamento, e destes, segundo Horne, oitenta e oito são citações verbais da Septuaginta, sessenta e quatro são emprestados a partir dele; trinta e sete têm o mesmo significado, mas palavras diferentes; dezesseis concordam mais perto com o hebraico, e vinte diferem tanto do hebraico como da Septuaginta. Todos os escritores do Novo Testamento, exceto Lucas, eram judeus, mas eles não escrevem como os judeus. O que pode explicar isso, se eles não estavam conscientes de sua sanção divina de cada palavra que escreveram? Alguns bons exemplos de citações do Antigo Testamento pelos escritores do Novo Testamento, onde um novo significado é posto em que as citações se encontram em Rm. 4:6,7, que é uma citação de Salmos. 32:1 e Rm. 10:6-8, que é uma citação de Dt. 30:11-14


(5) Mateus afirma que o Senhor falou através dos profetas do Velho Testamento.


Veja a Versão Revisada de Mt. 1:22 e 2:15.


(6) Lucas afirmou que o Senhor falou pela boca dos santos profetas. Lucas 1:70.


(7) O escritor aos hebreus afirma o mesmo (Hb. 1:1).


(8) Pedro afirmou que o Espírito Santo falou pela boca de Davi. Atos 1:16.


(9) O argumento de Paulo em Gl. 3:16 implica inspiração verbal.


Neste lugar Paulo baseia um argumento no número singular da palavra “semente” na promessa de Deus a Abraão.


(10) Os escritores do Velho Testamento implicaram e ensinaram constantemente a autoridade divina de suas próprias palavras.


As passagens em prova disto são numerosas demais para precisarem de menção.


(11) A profecia cumprida é prova da inspiração verbal.


Um estudo da profecia cumprida convencerá qualquer pessoa esclarecida que os profetas foram necessariamente inspirados nas próprias palavras que enunciaram; do contrário, não podiam ter predito algo do que eles souberam muito pouco.


(12) Jesus afirmou a inspiração verbal das escrituras.


Jesus disse: “A Escritura não pode ser anulada” (João 10:35), o que Ele quis dizer que o sentido da Escritura não pode ser afrouxada nem sua verdade destruída. Sentido e verdade estão dependendo de palavras para sua expressão. Sentido infalível é impossível sem palavras infalíveis.

Fonte: Palavra Prudente via Voltemos ao Evangelho

terça-feira, 26 de junho de 2012

A ÚLTIMA BOBAGEM: JESUS FRUTO DE UM ESTUPRO.


O cineasta Paul Verhoeven pretende lançar um filme baseado no livro Jesus of Nazareth, em que Jesus seria fruto de um estupro, contrariando a versão bíblica, de que a gravidez teria sido imaculada, através do Espírito Santo.



Na história do livro, que foi escrito pelo próprio Verhoeven, a virgem Maria teria sido estuprada por um soldado romano, fato que segundo o diretor holandês, era comum na época.

Paul Verhoeven é conhecido como diretor de filmes de ficção científica, como o Vingador do Futuro (1990, com Arnold Schwarzenegger) e Robocop (1987).

O diretor declarou que Jesus é um personagem importante e inspirador: “Se você se detiver no homem, fica claro que se trata de um inovador no campo da ética porque apresentou uma visão aberta em relação ao mundo, em contraposição à dominação dos romanos. Minha paixão por Jesus surgiu quando comecei a perceber isso”, afirmou, de acordo com informações do The Christian Post.

Segundo Verhoeven, a mensagem de Cristo é utópica, quase impossível de ser praticada pela sociedade, mas de grade valor: “Os ideais de Jesus estão relacionados a uma utopia do comportamento humano, falam sobre como devemos tratar uns aos outros e como devemos nos colocar no lugar de nossos inimigos”, disse.

O diretor enfrentou dificuldades para encontrar patrocinadores que financiassem as filmagens, porém a empresa Muse Productions aceitou ser parceira do cineasta nesse filme, que tem previsão de lançamento para o final de 2014.

A Verdade sobre a Virgem Maria, veja aqui:
(http://odetalhedapalavra.blogspot.com.br/2012/01/maria-virgem-sim-claro-porem-so-ate.html)

MÉDIUM REVELA ENCARNAÇÕES PASSADAS DE NEYMAR, É DE MORRER DE RIR!


Veja o que diz a médium, escritora e espiritualista, Carmen Tiepolo, sobre alguns dos reencarnes do craque Neymar, a maior esperança do futebol brasileiro para a conquista do hexa em 2014.
A médium ganhou notoriedade nas redes sociais com a divulgação de um vídeo em que psicografa o espírito de Ayrton Senna. Nosso eterno ídolo da F-1 teria procurado Tiepolo para transmitir uma música que escreveu para declarar seu grande amor por Xuxa Meneghel. Ela contou que Senna teve aulas de música com o espírito de John Lennon.
E sobre Neymar? Bem, o camisa 11 do Santos já  foi agricultor, sacerdote, produtor de aguardente, plantador de cebolas e até filho de um rei do Egito.
Veja a seguir alguns dos reencarnes de Neymar, segundo Carmen Tiepolo. E acredite se quiser.
Alma criada na Estrela de Cocheira, foi exilado do Sistema de Capela, onde ganhou impulso eletromagnético e, estando completamente formada sua alma, foi encaminhado para a estrela Sol e, desta para o planeta Terra, nascendo da raiz de Noé, neto de Abrãao.
Foi bisneto de Jacob, sendo neto de Benjamin.
Na América do Norte foi agricultor e sacerdote tolteca.
Reencarnado entre o povo Asteca, foi produtor de pulque, terrível aguardente de agare.
Novamente asteca, sacerdote do Templo de Teocale, cessou a era dos sacrifícios humanos.
Como hebreu dedicou-se ao plantio das cebolas roxas e do preparo da conhecida e refinada cerveja, descoberta pelos egípcios.
No Egito este espírito foi filho do Rei Sesóstris II e após o falecimento de seu pai, assumiu o reinado, tornando-se Sesóstris III.
Na lúdica e magnânima Babilônia foi bisneto de Ur-Nanche. Conquistou outras partes da Mesopotâmia e angariou várias terras fronteiriças.
Semiramis, “O Poderoso”, permaneceu sete anos como chefe do Conselho do qual fizeram parte o espírito que esteve encarnado em Elvis Presley,  e os espíritos de Mick Jagger, Dustin Hoffman, Cláudio Cavalcanti, Jô Soares, Dr. Elsimar Coutinho, Dr. Malcolm Montgomery e outros públicos e não públicos. Mais tarde exerceu a função de regente do seu filho caçula Adad-Nirari IV, que hoje é o espírito encarnado em Justin Bieber.
Em épocas decisivas, quando política e religião caminhavam em estradas separadas surge este espírito como sobrinho de José de Arimateia, empreendedor e empregador do ramo da pesca. Conheceu e conviveu com João Batista e Jesus Cristo, do qual foi um dos seguidores. Muitos anos após percorrer alguns locais ao lado de Pedro e de Saulo, teve sua morte decretada porque defendia os ensinamentos de Jesus.
Na forte e moderna Pompéia, além de dedicar-se como empresário da construção civil, foi convidado a participar do Senado onde auxiliava o Senador Públio Lentulus. Ambos morreram com a erupção do Vesúvio.
Nas planícies do Missouri, onde o rio Ohio cortava as montanhas, em uma das tribos, onde quarenta e cinco tendas rodeavam o núcleo do templo, que nada mais era que uma pequena fogueira, surge o jovem guerreiro que atirava suas lanças cruzando o rio. Forte como a rocha, rápido como o raio. Irmão de outro cherokee que se destacava, eis o reencarne de Neymar com Michael Jackson. Dentro desta tribo, sendo também irmãos de sangue encontraremos pessoas encarnadas atualmente, como os jogadores de futebol Ganso, Ronaldinho Gaúcho e Renato Gaúcho, o ex-jogador e agora Deputado Romário e também  um dos atuais vereadores de Curitiba, Jairo Marcelino. Além  destes, os atuais artistas Luan Santana, Fiuk, Fernando e Sorocaba, assim como o médico infectologista Dr. David Everson Uip. Dentro desta tribo muito especial cito não só indíos, mas também índias cherokees, tais como os espíritos que ocupam as matérias de Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e de algumas pessoas que não são públicas.
Dando um salto não muito longo encontraremos o espírito de Neymar em outra vida, em outro estado, no centro norte dos EUA como índio Sioux, do grupo dos Tétons.
Cavaleiro medieval druida, guerreiro e sacerdote, ocupou também  o cargo de bardo, caminhando entre rei e cavaleiros. Nesta mesma época foram seus amigos de lutas e de glórias, os espíritos atualmente encarnados em Fábio Júnior, Paul McCartney, Paulo Coelho, Chitãozinho e Xororó, Hebe Camargo, Ana Maria Braga, Xuxa e Leonardo e os incorpóreos Leandro, Michael Jackson, Francisco Cândido Xavier, Irmã Dulce, Madre Teresa de Calcutá, além de muitas outras pessoas não públicas, mas que vivem suas vidas profissionais com honradez.
Cavaleiro templário exercendo a área da economia, destacou-se em sua jornada.
Foi guerreiro mongol, um dos favoritos de Gengis Khan por ser ágil e forte.
Frei beneditino, sendo professor de teologia.
Como Frei fransciscano, era filósofo seguidor da corrente aristotélica (patrística). Constou entre os cinco mil freis que estavam na reunião das esteiras de São Francisco de Assis e de Santo Agostinho, portanto na mesma época do Padre Marcelo Rossi, que foi Agostinho de Hipona.
Duas vezes ligado ao exército foi Guarda pessoal de Luis XV e em outro reencarne, militar do exército de Napoleão Bonaparte.
Mouro, dedicado à música e proprietário de um dos primeiros teatros daquela região. Nesta época o espírito de Neymar e o espírito que está encarnado em Cláudia Raia faziam parceria. Seria ótimo vê-los nesta vida sendo parceiros profissionais novamente!
Na misteriosa Índia, onde muitas vezes o rio Ganges o abraçou com ternura, após subir as escadarias do ponto central e atravessar a avenida principal, a primeira residência ao lado esquerdo foi transformada em consultório, onde encontraremos novamente este espetacular espírito atendendo aos afortunados e àqueles que  nada possuiam, com o  mesmo amor e carinho.
Na Itália, atuou como vinicultor e fabricante de queijo e linguiça.
Tem que rir, gente! Não  tem como!
Ah! E o Detalhe da Palavra??
Hebreus 9,27: "Ao homem está ordenado morrer uma vez, vindo depois disso o Juízo"
É isso aí!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

ISLÂMICOS DIZEM QUE TOMATE É CRISTÃO, PODE?



Um grupo Salafista do Egito parece estar tentando retratar um post no Facebook, que advertiu que comer tomates é “proibido porque eles são cristãos.”


No entanto, o grupo tradicionalista muçulmano, que se chama Associação Islâmica Popular Egípcia, aparentemente ainda acha que tomates são ofensivos se eles forem cortados de tal forma que revele a forma de uma cruz, segundo o site do Líbano Agora.


Junto com a foto de um corte de tomate ao meio para revelar o que poderia ser visto como uma cruz, o grupo originalmente postou no Facebook: “Comer tomate é proibido porque eles são cristãos. O tomate exalta a cruz, em vez de Allah e diz que Deus é três (uma referência à Trindade).


“Que Deus nos ajude. Eu te imploro para espalhar esta foto porque há uma irmã da Palestina que viu o profeta de Allah, Maomé, em uma visão e ele estava chorando, alertando sua nação contra a comê-los [tomate]. Se você não espalhar esta mensagem, sabemos que é o diabo que parou você,” de acordo com uma tradução feita pelo Agora Líbano.


Mais de 2.700 comentários foram deixados sob o aviso publicado há 10 dias, talvez levando a associação a dar esta resposta:


“Nós não dissemos que você não pode comer tomates. Nós dissemos para não cortá-lo em tal forma que revela a forma de cruz.”


Embora muitos dos comentários feitos sobre o post do Facebook não eram adequados para republicar, uma postagem de um blogueiro em seu blog, brincou, “Atenção! Sua salada pode estar fazendo você em um infiel!”


Há uma estimativa de 5-6 milhões de salafistas no Egito. Os salafistas são geralmente considerados mais tradicionais do que outras seitas muçulmanas. No ano passado, um grupo de muçulmanos radicais, incluindo salafistas, foram responsáveis pela queima de diversas igrejas cristãs e empresas no Egito, o que mais tarde resultou em centenas de mortes durante manifestações contra a destruição.


De acordo com um relatório de inteligência doméstica alemã feito em 2010, salafismo é o movimento que mais cresce no mundo islâmico.


Um escritor de The Blaze classificou a maioria das notícias que saem do Oriente Médio como “intrigantes, estranhas e incessantemente preocupantes”, mas disse que a história da proibição de tomates “realmente atravessa uma esfera cômica”.

Fonte: The Christian Post / Notícias Gospel Guia do Planeta

MAIS UM ANTICRISTO BARATO!


O apologista cristão Johnny Bernardo, do Instituto de Pesquisas Religiosas (INPR) no Brasil, falou recentemente sobre a Igreja Templária de Cristo na Terra (ITCT), afirmando não se tratar de uma igreja cristã, e que por se assemelhar à igreja evangélica, pode confundir os cristãos por pregar doutrina que mistura elementos do Cristianismo com outros princípios de outras religiões.


“Não é uma seita no sentido original do termo (um grupo religioso surgido a partir de um grupo maior), mas um movimento com características contrárias ao cristianismo bíblico. Diria que está um passo além das igrejas neopentecostais – grupos potencialmente passíveis de distorções bíblicas, como, por exemplo, a IURD”, explicou o apologista, explicando que a igreja não pode ser caracterizada como cristã.

A igreja possui um púlpito no formato da Cruz Templária e há figuras de budas, faraós e santos católicos, e segundo Bernardo, nas reuniões, os louvores são inspirados nas igrejas neopentecostais, onde multidões entram em transes espirituais. Os fiéis da igreja seguem uma doutrina com alguns elementos oriundos do cristianismo e são submetidos a regras como não ingerir café, carne ou açúcar.

O líder e fundador da igreja, Walter Sandro, se auto intitula “apóstolo” e revelou à revista Carta Capital ter fundado a igreja por revelações diretas do “Arcanjo Miguel”. Entre os pontos observados pelo apologista, é destacado o fato de que em, suas pregações. Sandro evita falar sobre pecado, pois afirma que Cristo já venceu todos os pecados na cruz.

De acordo com o The Christian Post, o apologista alerta que a falta de experiência bíblica pode levar alguns protestantes a serem enganados pelos ensinos da Igreja Templária e afirma que a presença de elementos do Protestantismo nas reuniões da ITCT é um “chamariz para crentes menos preparados biblicamente”.

“Portanto, concluímos que esse tipo de crença pode causar confusão na população evangélica – em especial novos convertidos e crentes com pouca frequência nas igrejas evangélicas (nominais)”, alerta Johnny Bernardo.

Fonte: Gospel+

domingo, 24 de junho de 2012

JESUS NÃO É MIGUEL, DÚVIDAS? TIRE TODAS AQUI!



Vamos começar pela definição de Arcanjo dada pela STV


ARCANJO – Prefixo "arc" significando "principal" ou "mais importante". Portanto, ‘Arcanjo’ significa ‘Principal dos Anjos’ ou ‘Mais Importante dos Anjos’ A palavra arcanjo ocorre apenas duas vezes nas Escrituras, em 1 Tes. 4:16 e Judas 9. É interessante que ela nunca ocorre no plural na Bíblia, denotando haver apenas um anjo principal ou arcanjo. (Compare com 2 Tess. 1:7; Mateus 24:30-31; 25:31 e Apoc. 12:7). Podemos notar que em Apocalipse 12:9 menciona "batalhavam o dragão e os seus anjos". De modo que o Diabo não só se constitui em deus de imitação (2 Coríntios 4:4), mas também procura tornar-se arcanjo, embora a Bíblia nunca lhe dê este título.



Concordo com o significado da palavra. Outro fato indiscutível é que ela só ocorre duas vezes nas escrituras. Mas no ponto quanto a satanás querer ser arcanjo eu tenho que discordar. Satanás nunca quis ser arcanjo. Certamente ele era um anjo destacado – talvez até mesmo um arcanjo. No livro de Ezequiel Cap. 28:13-19, nos dá uma descrição de satanás, como ele era glorioso e acabou se "ensoberbecendo-se". Nesta passagem a bíblia o chama de "querubim". Ora, querubim é uma hierarquia mais elevada entre os anjos. Podemos dizer então que ele chefiava alguns anjos. E se tomarmos por base a definição ARCANJO (chefe dos anjos), vemos que satanás certamente chefiava alguns anjos, daí a teoria de ser ele um arcanjo. Portanto, a pretensão dele é ainda maior do que ser um "chefe dos anjos", ele quer ser Deus! Lembre-se dos esforços que ele faz para ser adorado (Gen 3:1-7), como ele testa e tenta os servos de Deus a fim de desvia-los (Jó capítulos 1 e 2), e como ele se auto-considera o Deus e governante deste mundo. Ora, até certa vez quis que Jesus lhe fizesse um ato de adoração (Mat 4:8-11)! Veja a pretensão dele; ele não quer ser um arcanjo, ele que ser Deus.



Miguel – Ocorre apenas cinco vezes nas Escrituras. Significa ‘Quem é semelhante a Deus?’ É uma pergunta, pois, não existe ninguém semelhante a Deus. (Compare com Isaías 46:5 que reza: "A quem me assemelhareis, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes?")



OK, mas quem é que estava falando alí ? Não era o próprio Jeová ? Veja que ele fala em versículos anteriores "...além de quem não há outro Deus; Deus justo e salvador, não havendo outro além de mim ?", "...virai-vos a mim e sede salvos...pois eu sou Deus, e não há outro", "que diante de mim se dobrará todo joelho", "Eu sou o mesmo", "Eu mesmo continuarei a sustentar", culminando nesta frase "A quem me assemelhareis ?". Veja quem estava falando. Segundo as escrituras, quem falava era YHWH (Yahweh ou Jeová se vc preferir assim – posteriormente vou fazer uns paralelos sobre estas palavras).

Voce pode notar que todas as vezes que a Biblia mostra Miguel, ela o cita como o único anjo que tem superioridade sobre Satanas.

Podemos ver isto em:

Daniel 10:13

Judas 1:9

Apocalipse 12:7

Comentarei os três textos citados logo abaixo.

O mais interessane é o de Daniel 10:13

"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia."

Interessante esse texto mencionado. O leitor já tomou tempo de olhar ele na tradução do Novo Mundo ? Notou que nesta versão citada, a expressão "UM DOS primeiros príncipes" é bem interessante ?", mas a NWT (Tradução do Novo Mundo) é ainda mais interessante: "UM DOS MAIS DESTACADOS DOS PRINCIPES". A expressão "UM DOS" lhe diz alguma coisa ? Acho que indica claramente que existem mais príncipes destacados (arcanjos), não acha ?

Outro detalhe, um anjo só pode estar num lugar por vez, ele não é onipresente. Miguel teve que ir ajudar o anjo para que eles prevalecessem contra os "reis da pérsia" (note – plural), indicando que não era apenas satanás que estava ali, mas talvez um grande número de demônios.

E o que dizer de Jesus ?

Jesus é...

...Aquele que em tudo preenche todas as coisas (Efésios 1:23 - TNM)

...Aquele que ascendeu muito acima de todos os céus, para que desse plenitude a todas as coisas (Efésios 4:10 – TNM).

Além disso, Cristo...

...Sustenta todas as coisas pela palavra do seu poder (Hebreus 1:3 - TNM)

...Sustentando o universo pelo seu comando poderoso (Hebreus 1:3 – Bíblia de Jerusalém)

Quanto aos outros textos:

JUDAS 1:9



Leia o contexto, aliás, leia Judas completo (é um livro tão pequeno). Perceba que em passagens anteriores Judas se refere a Jesus como "nosso único Dono e Senhor" (Judas 4), e refere-se a si próprio como "escravo de Jesus" (Judas 1). Um tratamento bem especial não acha ? E porque Judas dá um tratamento mais "frio" (por favor, entenda onde quero chegar) ao arcanjo, simplesmente dizendo "Miguel, o Arcanjo". Você não acha que se o arcanjo em questão fosse Jesus, Judas não teria dito "Mas, quando nosso Senhor, quando era arcanjo, teve uma controvérsia..." , ou quem sabe ainda "Mas, quando Miguel, nosso Senhor, teve uma controvérsia". Você não acha que seria prudente da parte de Judas mudar o tratamento para uma mesma pessoa ? Ou mudar o sujeito ? Pense nisso...

REVELAÇÃO (APOCALIPSE) 12:7

Mais uma vez, cerca de apenas 2 textos antes de citar Miguel, as escrituras falam de Jesus e o cita como "o filho" e de repente, fala deste "filho" se assentar no trono de Deus. Numa mudança radical já começa a falar da batalha nos céus, onde Miguel e os seus anjos batalham contra o dragão. Agora pense bem: Digamos que Miguel fosse o nome de Jesus no Velho Testamento. Porque citar o nome antigo no novo ? Não seria também prudente da parte de João (o escritor de Revelação) continuar usando a expressão "filho", que ele acabara de usar 2 textos antes ? Ou quem sabe até mesmo usar diretamente, Jesus ?

Vemos aqui que um anjo que não é identificado por nome foi enviado a Daniel mas ele se confrontou com o ‘o príncipe do reino da Pérsia’, ou seja, Satanás, e em vários textos ele é identificado como reinando sobre os reis ou governantes da terra. Apocalipse identifica Satanás como estando por trás dos governantes da Terra. Ele mesmo, Satanás, disse a Jesus "E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero." (Lucas 4:5-6) Jesus não negou que o Reino do Mundo pertence a Satanás pois Jesus mesmo disse: "Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo." (João 12:31) e (João 14:30) "Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim (ou poder sobre mim);"

Chegamos a um ponto bem interessante, e embora este documento não tenha como objetivo refutar este ponto de vista da STV de que o mundo pertence a satanás, vamos falar um pouco a respeito disto. Será que as coisas realmente pertencem a satanás ? Vamos entender porque satanás é o "dono" deste mundo. 2 Pedro 2:19 diz que "porque de quem um homem é vencido, do mesmo é feito escravo". Em João 8:34 Jesus diz "Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado" Ainda Romanos 5:12 "Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram". Quem é o pecador principal e que tem pecado desde o princípio ? Quem é que "vence" o homem muitas vezes atiçando-o a pecar ? É satanás! Ele é quem tem governado o mundo, pois o mundo tem sido governado pelo pecado.

Mas será que o mundo é realmente dele ? Creio que não, pois pertence a Jesus, segundo Colossenses 1:16,17 "...Todas as coisas foram criadas por intermédio dele e para Ele...Ele é antes de todas as coisas e todas as coisas vieram existir por meio Dele"; Ou que tal Romanos 1:36: "Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém". Será que o mundo é mesmo de satanás ? Ou é o pecado que reina no mundo que faz de satanás o "seu dono" ?

Assim este anjo ficou 21 dias confrontando com ele sem o vencer mas precisou que Miguel, o Arcanjo, viesse para ajuda-lo, pois este tem poder para fazer isto.

Exatamente, Miguel teve que vir fisicamente ajudar o anjo. Jesus faria isto apenas "pela palavra do seu poder" (Heb. 1:13).

Vemos assim que Miguel sempre teve uma luta com Satanas. Mas como relacionar Miguel com Jesus? É possível que este seja aquele?

Se formos olhar alguns textos pingados, talvez surja esta especulação, mas se olharmos atentamente, é PURA ESPECULAÇÃO, pois em lugar algum a bíblia deixa esta conclusão clara.

Bem como vimos quem tem a tarefa de destruir satanás é Jesus e a Bíblia nunca se contradiz e não mente. (Tito 1:2)

Notou como Miguel é descrito como tendo seus anjos e Jesus também é descrito assim. Compare Apocalipse 12:7 com Mateus 24:30-31 e veja isto.

Mas, onde é que especificamente vemos na bíblia que quem tem a tarefa de destruir pessoalmente a satanás é Jesus ? Nós vimos que quem faria isto é Miguel. E esta linha de raciocínio já está partindo do presuposto que Cristo é Miguel. Além do mais, digamos que seja a tarefa de Cristo. Qual o argumento da Sociedade para a passagem da criação ? Jeová criou a terra não foi ? Certo ? Errado, fisicamente quem fez o trabalho foi Cristo (Colossensses 1:16,17). E porque a Sociedade afirma isso ? Eles usam o argumento da secretária. Quem escreve a carta para o patrão é a secretária, mas o crédito da carta vai para o patrão, correto ? Então, porque não dizer que quem vai exercer a tarefa de executar a destruição de satanás é Miguel, e que ele atuará como a "secretária" que faz o trabalho para seu patrão ?

Mas a mais coisas interessantes.

Em Daniel 12:1 "E NAQUELE tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro."

Vemos aqui que quando Miguel se levantar ou quando estiver presente haveria um tempo como nunca houve antes. Veja que quando os Apostolos perguntaram sobre o sinal da presença de Jesus ou sua vinda.

Porque Daniel pode falar que Miguel se levanta a favor dos filhos do teu povo ? Além disso haveria um tempo de angústia, qual nunca houve ? Simples, porque é Miguel quem vai expulsar satanás dos céus, ou seja, ele é um dos principais agentes da libertação do povo de Deus. Mas lhe mostrarei a frente que ele não é o único. Outros anjos (ou arcanjos) estarão com ele neste propósito.

Mas vamos falar algo mais sobre as passagens de Daniel e sobre Jesus. No livro de Daniel, capítulos 8 até o 12 vários anjos são mencionados, e um deles é Miguel, guardando Israel, outro é Gabriel que enviava as mensagens para Daniel, e outros (não citados por nome) batalhavam com Pérsia e Grécia (os últimos dois evidentemente anjos decaídos – demônios). Com o povo de Deus triunfando no fim, seria apropriado dizer que Miguel se colocaria então de pé (em Revelação também o cita como encabeçando os anjos para a batalha). Outro detelhe: Gabriel também apareceu a Maria como ele fez com Daniel.

Em O MISTÉRIO CONSUMADO (The Finished Mistery), livro escrito por Rutherford, a Sociedade ensina que o Miguel em Revelação era uma figura profética do Papa de Roma (dá para acreditar ?)! Depois eles mudaram de idéia e decidiram que ele era Jesus. Mas Jesus não poderia ser um anjo criado por muitas razões que citarei a frente. Uma delas tem a ver com a localização no espaço. Daniel mostra anjos, inclusive Miguel, indo e vindo. E os anjos demoníacos bloqueavam um dos anjos bons de vir por um tempo. Assim, como nós, anjos só podem estar presentes em um lugar por vez. Mas o Cristo ressuscitado "preenche o universo" (Efésios 1:23). Ele também vive "em" cada cristão, o que anjo algum poderia fazer "Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós?" (2 Coríntios 13:5). "a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós. 18 Não vos deixarei órfãos; voltarei a vós." (João 14:17,18). "...que é Cristo em vós, a esperança da glória..." (Col. 1:27). "E, porque sois filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai." (Galatas 4:6). "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Ora, se Cristo está em vós..." (Romanos 8:9,10).
Nenhum anjo poderia ter tal relação com os cristãos de algum lugar físico: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo" (Revelação 3:20).

"Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus... em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo." (João 3:3-7).

"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." (João 6:37).

E finalmente, "Apedrejavam, pois, a Estêvão que orando, dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito." (Atos 7:59).

Mateus 24:3 "E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?"

Jesus respondeu o seguinte:

Mateus 24:21 "Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver."

Realmente a Vinda de Miguel e a Vinda de Jesus iria haver grande angústia ou aflição como nunca houve desde que ouve nação ou desde o principio do mundo.

Bem, a presença de Cristo e a expulsão de satanás nos céus (que é Miguel quem vai fazer) estão intimamente ligadas. Sabemos que é durante a presença de Cristo, quando TODO OLHO O VERÁ, que satanás será expulso dos céus e virá desencaminhar toda a terra habitada. E é justamente neste momento em que virá a grande aflição, tal como nunca houve desde o princípio do mundo até agora.

Ainda há mais:

A vinda de Miguel também esta relacionada com a ressurreição pois o versículo 2 do capitulo 12 passa a dizer:

Daniel 12:2 "E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno."

A vinda de Jesus também esta relacionado com isso como todo mundo sabe mas vamos ver apenas duas passagens sobre isso.

Esta citação é como colocar palavras na "boca" do profeta Daniel. Ele não disse que seria durante a "presença" (grego: parousia) de Miguel, ele simplesmente disse que Miguel se poria de pé a favor dos filho do seu povo (na passagem de Daniel agindo qual guardião do povo de Israel). E mais uma vez, na presença de Cristo, vários anjos destacados (arcanjos, querubins, serafins) farão TODOS um trabalho em conjunto para que o propósito de Deus seja estabelecido. Veja em Revelação (Apocalipse). Miguel, como um dos "mais destacados dos príncipes" tem uma tarefa primordial neste plano.

1 Tessalonicenses 4:16 : "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com ... e os que morreram em Cristo ressuscitarão"

Certo. Aqueles que morreram com fé no resgate de Cristo ressuscitarão, e não aqueles com fé em "Miguel".

João 5:28-29 "Não vos maravilheis disto; porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua [a de Jesus] voz. E os que fizeram o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação."

Será que são dois os que virão??.

Mais uma vez, Daniel não disse que quem viria seria Miguel. O autor deste texto tirou esta conclusão pre-concebida.

Tem mais:

Veja que Miguel em Daniel 12:1 é Chamado de 'Grande Príncipe a favor dos filhos do teu povo'.

Atos 5:31 "Deus com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Israel o arrependimento e a remissão dos pecados." (Veja ainda Atos 3:15 "Príncipe da Vida [Jesus]") - Apocalipse 1:5 chama Jesus Cristo, de 'o príncipe dos reis da terra'. Em Daniel 10:21 lemos "Miguel, vosso príncipe."

Vejamos o que Isaías fala mais a respeito de Jesus. Será que ele é chamado apenas de "príncipe" ? Ou ele chama a Jesus de algo mais ? Vejamos: Isaías 9:6,7 "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte (na NWT "DEUS PODEROSO"), Pai Eterno (Pai eterno ? Não é pouca coisa não acha ?), Príncipe da Paz.; Do aumento do seu governo e da paz não haverá fim, sobre o trono de Davi e no seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e em justiça, desde agora e para sempre; o zelo do Senhor (Yahweh ou Jeová) dos exércitos fará isso."

Em Hebreus 2:10 lemos "Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse pelas aflições o príncipe da salvação deles." Em Atos 23:5 "...Não dirás mal do príncipe do teu povo."

Será que Paulo falava aí nesta passagem de Hebreus que Cristo era um anjo (sim, pois arcanjo é uma hierarquia maior dos anjos) ? É interessante notar que o próprio Paulo fala mais a frente que Jesus "não auxilia em nada os anjos" (Hebreus 2:16). E também é digno de nota que Paulo neste princípio de Hebreus tenta acabar com uma heresia que estava havendo na primitiva congregação cristã, que diziam que Jesus era um "anjo". Paulo corrigiu esta situação com a passagem que irei transcrever "5 Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? 6 E outra vez, ao introduzir no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus o adorem (os anjos de Deus adoram a Jesus – embora na TNM o "escravo" tenha mudado o significado da palavra adorar para "prestar homenagem", apesar da palavra original ser a mesma (proskyneo) que consta em outros textos onde eles traduziram "adorar") . 7 Ora, quanto aos anjos, diz: Quem de seus anjos faz ventos, e de seus ministros labaredas de fogo. 8 Mas do filho diz: O teu trono, ó Deus (Viram ? Ó Deus (na interlenear – ho theos – sim, isto mesmo Yahweh chama a Jesus de "ho theos" (Ó Deus) – embora na TNM o "escravo" modificou de forma esperta este texto – isto é uma citação dos Salmos 45:6), subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de eqüidade é o cetro do teu reino...10 e: Tu, Senhor (Jesus) , no princípio fundaste a terra, e os céus são obras de tuas mãos; 11 eles perecerão, mas tu permaneces; e todos eles, como roupa, envelhecerão, 12 e qual um manto os enrolarás, e como roupa se mudarão; mas tu és o mesmo, e os teus anos não acabarão. 13 Mas a qual dos anjos disse jamais: Assenta-te à minha direita até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés? 14 Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação?" (HEBREUS 1:5-14).

Interessantes estes textos não acham ? Esta idéia de que Cristo era um mero anjo (que significa "Mensageiro") já existia no primeiro século. Paulo dá aqui a resposta para esta questão.
Ainda mais

Daniel (Dan. 12:1) fala que naquele tempo ou seja quando Miguel se puser de pé no sentido de vir ou estar presente todo aquele que se achar inscrito no livro da vida ira viver.

Opa! Estar de pé não é o mesmo que estar presente, são duas palavras completamente diferentes, inclusive nos originais.

Lemos em Apocalipse 3:5 onde Jesus diz: "O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai..." Também Apocalipse 13:8 e 21:27 fala do "...livro da vida do Cordeiro."

Certo. Não vejo problemas nem comentários a tecer nestas passagens.

E por último

Se Jesus é superior a um Arcanjo a Bíblia nunca iria se referir a ele como Arcanjo. Será que a Bíblia faz isso?

1Tessalonicenses 4:16 diz: "Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido [chamada dominante], e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro."

Se eu fosse usar esse seu raciocínio também teria de dizer que Jesus é Deus. Veja que ele desce com a "trombeta de Deus". Certo ? Além do mais, este texto tem um artigo indefinido "com a voz de UM arcanjo" (sei que nesta versão não consta o "um", mas em outras, como a NWT, consta). Vir com a "voz de um arcanjo" não faz de Jesus tal, da mesma forma que se o humorista Tom Cavalcanti falar com voz de mulher (lembre-se dele imitando mulher no Faustão) não fará dele uma mulher, ele é um homem. Este texto não prova nada.

Vimos que a palavra arcanjo ocorre apenas duas vezes nas Escrituras, em 1 Tes. 4:16 e Judas 9.

É interessante que ela nunca ocorre no plural na Bíblia, denotando haver apenas um anjo principal ou arcanjo. E Jesus vem com voz de arcanjo.

Não ocorre no plural porque não houve contexto para que ela constasse no plural. Mas, Daniel deixa isto indiretamente claro quando ele cita que Miguel (que é um arcanjo) é um DOS mais destacados dos príncipes. Certamente tem outros. Se você for consultar outras fontes históricas (talmude, fontes judáicas, etc) você vai perceber que eles acreditavam que existiam vários arcanjos – Gabriel (que levou a mensagem a Maria, e certa vez a Daniel) era um deles.

Poderíamos ver mais ainda sobre Anjo. Como o Anjo do Abismo.

Vejamos

Lucas 8:30-31 "E perguntou-lhe Jesus, dizendo: Qual é o teu nome? E ele disse: Legião; porque tinham entrado nele muitos demônios. E rogavam-lhe que os não mandasse para o abismo."

Veja que "abismo" era esse. Será que era o "abismo" de revelação (apocalipse) ou um abismo literal ? O contexto responde "E tendo os demônios saído do homem, entraram nos porcos; e a manada precipitou-se pelo despenhadeiro no lago, e afogou-se" (Lucas 8:34). Era um abismo literal! Tinha um despenhadeiro próximo ao local onde tudo ocorreu. E digamos que isto seja um paralelo, pela ordem de Jesus, os anjos foram para o abismo. Ele pode dar as ordens para que seus "príncipes" a executem. Qual é o problema disso ?

Os anjos iníquos aqui reconhecem a Jesus como sendo Filho do Altíssimo (Lucas 8:28 compare com Salmos 83:18). E os anjos iníquos sabem que é Jesus quem os vai enviar para o abismo. Assim vemos que Jesus é quem vai fazer isto e não outro.

Acho que meus comentários anteriores foram suficientes para essa passagem.

Apocalipse 9:1 "E O QUINTO anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caiu na terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo."

João aqui vê uma estrela caindo do céu e que tem agora uma tarefa com respeito a terra. Trata-se duma pessoa espiritual ou carnal? O detentor da "chave do poço do abismo" é mais tarde descrito como lançando Satanás no "abismo" (Apoc. 20:1-3) Portanto, deve ser uma poderosa pessoa espiritual. Em Apocalipse 9:11, João nos diz que os gafanhotos têm "um rei, o anjo do abismo". Ambos os versículos devem referir-se à mesma pessoa, visto que o anjo com a chave do abismo seria logicamente o anjo do abismo. E a estrela deve simbolizar o Rei designado de Deus, visto que os cristãos reconhece somente a este único Rei, Jesus Cristo. (Veja 1 Corintios 15:25 "Porque convém que reine [Jesus] até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés."
A estrela não simboliza o Rei designado de Deus. Na verdade ELE tinha em suas mãos SETE estrelas (sete anjos – porque não dizer arcanjos ?) para executar a vontade de Deus. (Revelação 1:16,20) "Tinha ele na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois gumes; e o seu rosto era como o sol, quando resplandece na sua força. – 20 - Eis o mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete candeeiros de ouro: as estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candeeiros são as sete igrejas.". As estrelas são apenas Anjos, e eles estão todos nas mãos de Jesus. Cada uma delas desempenhará um papel durante esta presença, como podemos notar no desenrolar do livro de Revelação (Apocalipse). Ao quinto anjo cabe a tarefa de aprisionar a satanás e a joga-lo na prisão. Será que o quinto anjo é Jesus ? Certamente que não! Porque ? Porque o quinto anjo fala a respeito de Jesus da seguinte forma: "Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Isto diz aquele que tem os sete espíritos de Deus, e as estrelas: Conheço as tuas obras; tens nome de que vives, e estás morto.". Você pode conferir o que cada um destes anjos fala a respeito de Jesus nas seguintes passagens (Revelação cap. 2: versiculos - 1,8,12,18; capítulo 3: versículos - 1,7,14). Agora veja a tarefa executada pelo quinto anjo na tribulação: "O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma estrela que do céu caíra sobre a terra; e foi-lhe dada a chave do poço do abismo" (Revelação 9:1). Este anjo era um dos sete, os quais os quatro primeiros já haviam executado as suas tarefas. Será que o quinto anjo era o mesmo que segurava os sete ? Não faz muito sentido isso não. Além disso, com os outros anjos também cairam estrelas! (Veja isso com o terceiro anjo em Revelação 8:10).

Apocalipse 9:11 "E tinham sobre si rei, o anjo do abismo; em hebreu era o seu nome Abadom [significando destruição], e em grego Apoliom." [significando destruidor]

Como já falei, este era o QUINTO anjo dos sete, os quais cada um (os quatro primeiros) já haviam completado suas tarefas. Quanto a palavra rei (em minúsculo, perceba): o próprio texto ensina que é: Satanás! Isto mesmo! Quem é o destruidor ? Sim, é o próprio Satanás, que sai do abismo e que destrói uma terça parte dos homens da terra.

Apocalipse 20:1 "E VI descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão."

Apocalipse 20:3 "E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo."

Mais uma vez, este era o quinto anjo do relato.

Quem é este Anjo? Ele deve Ter um tremendo poder para ser capaz de eliminar o arquiinimigo de Deus. Possui a chave do abismo e uma grande cadeia. Jesus como sendo o principal vindicador de Deus e como a semente que viria e destruiria a Satanás (Genesis 3:15) começa por expulsar Satanás dos céu e agora prende-o no abismo.

Veja bem: Satanás era um anjo de maior poder, isto sem dúvida, visto que ele comanda uma legião de anjos iníquos (demónios). Um Arcanjo dotado do poder de Deus pode vence-lo e pode realizar esta tarefa, sem dúvida alguma. Eu volto a mostrar a você um fato: toda a vez em que Jesus é mostrado no livro de Revelação (Apocalipse) ele é descrito em grande glória (Veja Revelação 1:5,13; 7:17; 14:14; 16:1; 19:12-13; 21:6-7; 22:13,16). Perceba durante sua leitura de Apocalipse que quando João se refere aos anjos, ele não os dá esta glória toda. Mas agora eu vou lhe provar que Jesus não era o quinto anjo. Veja Revelação 16:1 "E ouvi, vinda do santuário, uma grande voz, que dizia aos sete anjos: Ide e derramai sobre a terra as sete taças, da ira de Deus.". Tudo indica que esta voz é a voz de Cristo dando ordens aos sete anjos. Isto significa que o quinto anjo também recebeu esta ordem. Então ele executou a sua tarefa "O quinto anjo derramou a sua taça sobre o trono da besta, e o seu reino se fez tenebroso; e os homens mordiam de dor as suas línguas". Veja que é sempre o quinto anjo que está lidando com a besta (o diabo). Então, finalmente, este anjo prende a satanás: "E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. 2 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e o amarrou por mil anos. 3 Lançou-o no abismo, o qual fechou e selou sobre ele, para que não enganasse mais as nações até que os mil anos se completassem. Depois disto é necessário que ele seja solto por um pouco de tempo." (Revelação 20:1-3).

Vemos aqui que Jesus é o Rei, o anjo do Abismo, quem tem entre outras a tarefa de terminar com Satanás. E não resta dúvida que este anjo do abismo é o principal dos anjos Miguel ou Jesus Cristo.

Tenho que discordar. Se Jesus fosse realmente Miguel, o arcanjo, a bíblia faria isto muito claro. Sem dizer que, quando os escritores da bíblia se referissem a Miguel, dariam a ele grande glória como seu Senhor e Salvador (título sempre empregado a Cristo no Novo Testamento). E vemos que não fazem isto. A bíblia aconselha-nos a não adorar os anjos (Revelação 22:8,9). Mas o que dizer de Cristo ? Será que ele foi adorado ? Tomé lhe adorou como ao próprio Deus. Veja em João 20:28. Tomé disse "Meu Senhor e Meu Deus!". Em Hebreus 1:6 Deus ordena aos anjos: "e que os anjos de Deus o adorem". Filipenses 2:10,11 "10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.". 2 Pedro 1:1 "...na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo", dentre muitos outros exemplos. E a qual anjo Deus deu tal glória ? (Hebreus 1:5-14). Agora para fecharmos o livro de Revelação (tinha mais para falar, mas ficaria muito grande esta nossa consideração), veja Revelação 21:6,7 "Disse-me ainda: está cumprido: Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. A quem tiver sede, de graça lhe darei a beber da fonte da água da vida. 7 Aquele que vencer herdará estas coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.". Quem é o Alfa e o Ômega ? Revelação 22:13,16 responde: "Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro, o princípio e o fim... ...Eu, Jesus, enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas a favor das igrejas...". Não resta dúvida, Jesus não é um mero anjo (mensageiro). Ele é divino, ou parte da deidade divina. Para finalizar, vou fazer alguns paralelos entre Jeová (Yahweh) e Cristo. É muito interessante.

Há um só Deus

(1 Coríntios 8:6)

Rei dos Reis e Senhor dos Senhores

Em Deuteronômio 10:17, Jeová é chamado de "Deus dos Deuses e Senhor dos Senhores", e em Revelação 17:14 e Revelação 19:16 Jesus é chamado de "Rei dos Reis e Senhor dos Senhores", Compare com 1 Timóteo 6:14-16.

Criador

Em Jó 33:4, Isaías 40:28 e Gênesis 1:1 Deus (Yahweh) é o criador. João 1:3, colossenses 1:16-17 e Hebreus 1:10 dizem que Jesus é criador.

Luz

Em Miqueias 7:8, Isaías 69:20 e Salmos 27:1 Jeová é colocado como Luz, e Cristo aparece com a mesma descrição em João 8:12, João 1:9 e Lucas 2:32.

Juiz

Em Genesis 18:25 e Joel 3:12 Jeová é colocado como Juiz, e Cristo aparece com a mesma descrição em 2 Timóteo 4:1, 2 Corintios 5:10 e Romanos 14:10.

Salvador

Em Salmos 106:21, Oséias 13:4, Isaías 45:21 e Isaías 43:3,11 Jeová é colocado como Salvador, e Cristo aparece com a mesma descrição em Atos 2:21, Atos 4:12, Romanos 10:9 e Judas 25.

Rocha

Em êxodo 17:6, Isaías 17:10, 2 Samuel 22:32 e Deuteronômio 32:39 Jeová é colocado como Rocha, e Cristo aparece com a mesma descrição em 1 Corintios 10:4, Isaias 8:14 e 1 Pedro 2:5.

O Primeiro e o Último

Em Isaías 44:6; 48:12 e 41:4 Jeová é colocado como o "Primeiro e o último", e Cristo aparece com a mesma descrição em Revelação 1:17; 2:8; 22:13 (Alpha e Ômega – expressão grega equivalente a "primeiro e último").

Eu Sou (parte do significado de Yahweh) – Veja esta referência em outras bíblias por favor

Em Isaías 43:10, Deuteronômio 32:39 e Êxodo 3:13-14 Jeová é tido como EU SOU (na TNM MOSTRAREI SER – tradução erradíssima) que na Septuaginta grega era a palavra EGO EIMI. Jesus se auto-intitula em diversos versículos como EGO EIMI – Veja (se tiver a tradução interlinear) João 8:24; 8:58; 13:19 e 18:5 (compare os textos em negrito na tradução de referências grande da Sociedade (onde consta que a expressão de êxodo 3:14 na Septuaginta é EGO EIMI) com a Interlinear (que usa EGO EIMI quando Jesus diz "antes de Abraão vir a existência Eu SOU (EGO EIMI)).

DEUS

Compare estas passagens Isaías 9:6. João 1:1, João 20:28, 2 Pedro 1:1, Tito 2:13, Jeremias 23:6, Hebreus 1:8 com Jeremias 32:16, Isaias 43:10, Isaías 45:22, que é citado em Filipenses 2:10, Isaías 44:24 e Gênesis 18:1,14.

Conclusão: Se há um só Deus (1 Coríntios 8:6) e o próprio Jesus é tido como Deus em vários versículos da bíblia. Se ele não fizesse parte da deidade divina, os cristãos seriam politeístas ao adorarem a Jesus (outro Deus). Mas se Deus é um só (personificado por três componentes) os cristãos não podem ser chamados de politeístas. Vou dar um exemplo claro do nosso dia-dia. Você resolve abrir uma empresa, uma pessoa jurídica. Convida mais dois amigos seus para fazerem parte da sociedade. A empresa, pessoa jurídica, é uma só, composta de três pessoas físicas. Deu para entender ? Portanto, Deus é uma entidade composta de três pessoas distintas entre si, com diferentes funções a desempenhar. Por isso Deus se manifestou em carne (1 Timóteo 3:16). Daí, vemos que O Pai , o Filho (filho ou primogênito no sentido de ser herdeiro de todas as coisas) e o Espírito Santo eram chamados na antiguidade de Yahweh pelos Israelitas, e que Jesus é parte da divindade chamada de Yahweh (que significa EU SOU O QUE SOU (Grego: EGO EIMI HO ON), ou EU SOU/CAUSO O QUE SERÁ/VEM A SER), e não um mero anjo como alguns especulavam na primitiva congregação cristã.

É isso aí!



quinta-feira, 21 de junho de 2012

SER LOBO NA IGREJA PODE SER BOM?



A alguns dias atrás o pastor Abílio Santana pregou na Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), cujo presidente é o pastor Marcos Pereira, o qual foi comparado a um lobo pelo pregador, durante a ministração. Assista a pregação completa!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

TENTANDO APARECER DE NOVO, CAIO FÁBIO DIZ QUE A BÍBLIA CONTÉM ERROS E NÃO É O LIVRO DE DEUS!


Em vídeo, Caio Fábio afirma que Bíblia contém erros e é mal interpretada; Pastores discordam: “declaração infeliz e simplista”



O debate sobre a Bíblia e sua coerência literária, cronológica e doutrinária foi acirrado com declarações do reverendo Caio Fábio, que numa entrevista, afirmou que “o cristianismo nunca leu a Bíblia tendo Jesus como chave hermenêutica”.

Em sua opinião, a Bíblia deve ser lida a partir da perspectiva de Jesus, e todo o restante, interpretado sob esse ponto de vista.
O vídeo com as declarações do reverendo Caio Fábio está fazendo sucesso nas redes sociais, após a divulgação por parte de pastores.

Questionado sobre quais seriam os motivos de os concílios que decidiram o tamanho, formato e conteúdo da Bíblia não terem corrigido ou extraído questões do Velho Testamento que foram anuladas por Jesus após seu sacrifício, Caio Fábio afirmou que “o que prevaleceu foi a hermenêutica ‘Constantiniana’”, fazendo referência à tentativa de moldar a Bíblia de forma linear e coerente.

Sobre a Bíblia, Caio Fábio disse que no livro, foi aplicada uma “hermenêutica que tenta sistematizar a Bíblia inteira, para fazê-la ser um livro coerente consigo mesmo tempo todo, em cada página, em cada verso, em cada letra”, e emenda dizendo que “é impossível, e quem diz que ela consegue [ser coerente] está mentindo”.






O reverendo frisa em sua argumentação sobre a incoerência da Bíblia e afirma que “ela não é inerrante”, e aponta as falhas que enxerga no livro: “Ela tem erros literários, tem erros cronológicos, dá saltos generacionais e só fica em cima das figuras pivotais mais importantes para marcar a história”.






Caio Fábio é incisivo ao falar que a Bíblia foi um livro feito por homens: “[A Bíblia] não quer ser um livro de ciência para saber como o mundo começou. Ela é um livro do homem. Ela não é nem o livro de Deus, porque sinceramente, Deus tem livros infinitamente melhores do que a Bíblia para escrever, só que a gente não compreende”.






Complementando sua declaração a respeito da Bíblia, Caio Fábio afirma que ela “é o livro possível para minha compreensão. Não só a minha de hoje, mas a compreensão da humanidade nos últimos quatro mil anos. É o livro possível. O grande milagre da Bíblia é carregar esse conteúdo divino, na relatividade de um livro, preso ao tempo, espaço, escrito por homens”.






Contrariando a opinião de Caio Fábio, o pastor Márcio de Souza, colunista do Gospel+, afirmou que “o Pastor Caio foi infeliz e simplista ao dizer que a Bíblia quanto a literatura, cronologia e genealogia não é inerrante. Nunca pensei que iria ver o Reverendo Caio Fábio dizer isso de forma tão leviana e embasado em argumentos tão fracos. Afirmar que a Bíblia é do homem é contradizer a própria Bíblia quando em 2 Tim 3:16 o apóstolo Paulo afirma categoricamente que a Escritura é divinamente inspirada”.






Souza repudia as declarações do reverendo e afirma que a “argumentação do senhor Caio Fábio é satanicamente inspirada, proveitosa para criar confusão e contenda, pronta para desviar gente inocente que o ouve do Caminho da Graça e é injusta com Deus. Ele deveria saber o quão admirado foi pelo povo que hoje despreza, e quantas pessoas influencia com suas falácias. Porém, hoje, diante desse vergonhoso vídeo que não desconstrói o que ele fez no passado, mas distorce suas falas antigas numa espécie de releitura cega, preciso afirmar com todas as letras e sem simplismo que as Escrituras falam contra ele e sua argumentação relativista”.






Outro que discorda de Caio Fábio é Paulo Teixeira, do Holofote, afirmando que “Caio Fábio está fazendo de tudo para sair do ostracismo, não é novidade para ninguém, todavia tudo tem limites”.






Teixeira classifica de “loucuras” as ideias de Fábio a respeito da Bíblia, e diz que “só existe um que tenta incansavelmente desacreditar a Palavra de Deus, Satã. Será que Caio Fábio decidiu fazer parceria com ele? Caio Fábio precisa de oração! Precisa parar com essas palhaçadas de querer ‘sair da toca’ atacando tudo e todos, e o pior, sem limites. Precisa se arrepender. Imagine um neófito na fé nas mãos de um homem deste!”, conjectura.






Já Daniel Simoncelos, colunista do Gospel+, defende os argumentos de Caio Fábio, e contextualiza as declarações do reverendo: “Ele está certíssimo em dizer que devemos ler o Velho Testamento à luz do Novo, sempre olhando para Cristo. Quando ele diz que a escritura não é inerrante quanto à cronologias, a questão é que as escrituras não se propõem a colocar todos os nomes de uma árvore genealógica, mas sim os principais. Isso não é erro, e sim uma escolha do autor. Quanto a erros na cronologia, novamente não é uma questão de erros e sim de prioridade do autor. Eu posso contar minha história de traz pra frente caso queira”.






Simoncelos pondera dizendo que “de fato, a bíblia é um livro humano, porém jamais poderíamos afirmar que é um livro meramente humano, mas também divinamente inspirado por Deus. Jamais conseguiríamos compreender as escrituras caso fosse apenas divina, pois quem conheceu a mente do Senhor? Imagine só se Deus resolvesse nos contar como foi que Ele criou o mundo de verdade? Não iríamos entender nem uma linha. Imagine tentar compreender todas as leis do universo? Teríamos que ter um HD infinito dentro de nossa cabeça”.






Para Simoncelos, o reverendo está correto em seu ponto de vista sobre a função da Bíblia: “Caio afirma corretamente que Bíblia não se preocupa em explicar a criação do mundo, e eu creio que a Bíblia é a palavra de Deus, e através dela podemos nos ler como pecadores e merecedores da condenação e ao mesmo tempo ler a história de amor de Deus com a humanidade por meio da reconciliação que podemos ter por meio de Jesus. É uma história de Redenção da Humanidade por meio de Jesus Cristo. Com relação a isto ela é completamente inerrante, infalível e perspicaz, não se contradiz nunca em essência”, pontua.






Assista abaixo ao vídeo com as declarações de Caio Fábio:



Fonte: Gospel+