GERAÇÃO PRÉ-ADÂMICA

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

EUROPEUS DEVEM TER A CORAGEM DE SER CRISTÃOS, DIZ LÍDER ALEMÃ!



Europeus devem “ter a coragem de voltar à Igreja e à Bíblia”, pede Merkel
Declaração da líder alemã surpreendeu a muitos

A chanceler alemã Angela Merkel é filha de um pastor e nunca escondeu sua fé. Em uma palestra recente na Universidade de Berna, Suíça, foi questionada sobre o “perigo” que os imigrantes muçulmanos representariam para a Europa.
Como tem sido amplamente divulgado, a Alemanha é o principal destino de milhares de refugiados que tentam escapar das guerras no Oriente Médio e na África.
A reação de Merkel causou grande desconforto entre os ouvintes, pois foi um tanto inesperada. Afinal, pareceram ter saído de uma líder religiosa, não uma liderança política. Até o momento nenhuma igreja deu declarações tão incisivas sobre o assunto.
Angela disse acreditar que a melhor resposta é os europeus terem “a coragem de ser cristãos, de fomentar o diálogo (com os muçulmanos), de voltar à Igreja, de se aprofundar de novo na Bíblia”. Depois acrescentou, “se você perguntar às crianças em idade escolar o que é o Pentecostes, as respostas provavelmente serão muito decepcionantes”.
O governo alemão está bastante envolvido na busca de uma solução para a crise dos imigrantes. Mas sua líder quis mostrar que não haveria motivos para se ter medo do Islã. Ela tem pedido dialogo e defende que “antes é necessário nos conhecermos e entendermos”.
Merkel disse que “Gostaria de ver mais pessoas tendo a coragem de dizer: “Eu sou cristão”. Lembrou que na Alemanha a frequência à igreja caiu significativamente. Sua sugestão é que ao invés de ter medo das pessoas de outra religião, as pessoas deveriam voltar para as raízes do continente. Lembrou que “nossa tradição é assistir a um culto na igreja e aprender alguns fundamentos bíblicos”.
A Alemanha deverá receber mais de 800 mil refugiados só neste ano – quatro vezes mais do que o total registrado em 2014. O governo afirma que poderá receber até 500 mil refugiados por ano nos próximos anos.
Entre as muitas campanhas contrárias a inserção de todas essas pessoas no país, o principal argumento é que muitos jihadistas e soldados de grupos extremistas estão entrando disfarçados como imigrante.

Com informações de Evangelical Focus

terça-feira, 4 de outubro de 2016

O QUE É SER POBRE DE ESPÍRITO?



Pobre de Espírito ou Rico de Orgulho

"Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus" (Mateus 5:3).

É importante saber que esta afirmação não confere nenhuma bênção especial aos economicamente pobres! Há a impressão de que a pobreza, por si mesma, é uma bênção, e que ser economicamente pobre automaticamente significa que se é acarinhado e protegido por Deus, abençoado por ele em boas graças. Este equívoco faz com que alguns citem erradamente a passagem: "Bem-aventurados os pobres, pois deles é o reino dos céus". Isso não é o que o Senhor disse, conforme está escrito em Mateus 5:3. Ele disse esta boa palavra para os "humildes de espírito". (Em Lucas 6:20; lê-se "bem-aventurados vós, os pobres" e no mesmo contexto o Senhor fala condenação aos ricos. Em Marcos 12:37 diz que "e a grande multidão o ouvia com prazer". Mas era necessário ouvi-lo e corresponder para ser abençoado. E nosso foco, em Mateus 5:3, tem que ser sobre uma qualidade espiritual e não sobre uma condição econômica.).

O que significa ser "pobre de espírito"? É ter aquela característica fundamental de perceber que se é espiritualmente vazio, e que somente confiando em Deus se pode preencher esse vazio. Reconhecendo que é espiritualmente pobre, a pessoa humilde de espírito conhece a sua própria necessidade.

Ajuda pensar sobre o oposto de "pobre de espírito". O contraste seria "orgulhoso de espírito", auto-suficiente, arrogantemente independente. Há indivíduos com a atitude que diz "não preciso que ninguém me dê qualquer direção na vida. Eu posso passar muito bem sem qualquer padrão moral de uma fonte divina". Este é o espírito moderno do humanismo. No Glossário do Humanismo o conceito é definido deste modo: "... uma visão da vida que é centrada no homem e sua capacidade de construir uma vida que vale a pena para si mesmo e seus parceiros, aqui e agora. A ênfase é colocada nos próprios recursos intelectuais e morais do homem, e a noção de religião sobrenatural é rejeitada."

O humanismo diz que o homem não precisa de um Salvador, não deverá confiar no evangelho, e não precisa de qualquer bênção espiritual. Isto é o oposto de "pobre de espírito". E esta arrogância e rebeldia contra Deus são ilustradas pelo rei babilônio descrito em Isaías 14 (veja Isaías 14:12-15). Esta mesma perspectiva é ilustrada na atitude daqueles que tentaram construir a torre de Babel (veja Gênesis 11:4). O motivo principal era a glória do homem. Eles eram pobres de espírito, mas ricos em orgulho humano.

Ser pobre de espírito é ter a disposição descrita em Isaías 66:2: "... mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da minha palavra".

-por Warren E Berkley

sábado, 3 de setembro de 2016

MADRE TERESA DE CALCUTÁ. SANTA? NEM TANTO!



O que Madre Teresa de Calcutá não tinha de santa?Negligência com doentes terminais, sadismo, conversões disfarçadas e amizades tenebrosas sujam o manto da freira que será canonizada pelo papa Francisco no Vaticano.

A freira de família albanesa Agnes Gonxha (1910-1997), que atendia doentes terminais em Calcutá, na Índia, ganhou o Nobel da Paz em 1979 e será canonizada pelo Vaticano no dia 4 setembro. Mas sua biografia não é tão limpa como se pensa. Alguns dos seus trechos podem incomodar seus admiradores. São eles: 

Negligência com doentes terminais. Dentro da instituição Missionárias da Caridade, as pessoas ficavam deitadas em colchões no chão o tempo todo, sem acesso a antibióticos e analgésicos. Médicos não eram autorizados a examinar os pacientes para fazer um diagnóstico. Os doentes não podiam ser levados a um hospital para tratamento adequado. Seringas eram usadas em vários doentes e lavadas na torneira.

Sadismo. O atendimento ruim não era uma consequência da falta de dinheiro. A organização de Madre Teresa acumulou centenas de milhões de dólares e abriu unidades em mais de 100 países. A questão é ela nutria uma fascinação pelo sofrimento dos mais humildes. “Eu acho muito bonito para o pobre aceitar o seu destino, dividir isso com a paixão de Cristo. Eu acho que o mundo tem sido muito ajudado pelo sofrimento das pessoas pobres”, disse ela em uma coletiva de imprensa. Em outro momento, ela diz para um paciente terminal: “você está sofrendo como Cristo na cruz, Então Jesus deve estar te beijando”.

Amizades tenebrosas. Madre Teresa visitou a esposa de Jean Claude Duvalier, o Baby Doc, ditador do Haiti. Sobre o encontro, ela disse que nunca tinha visto pobres tão familiares com o seu chefe de Estado. “Foi uma linda lição para mim”, disse. Estima-se que Baby Doc e seu pai, Papa Doc, tenham desviado 100 milhões de dólares em obras sociais no Haiti.

Batismos disfarçados. Quando bebês, crianças ou adultos estavam à beira da morte, as freiras e os religiosos os batizavam com discrição. Às vezes, jogando água na testa. A prática revoltou muitos familiares muçulmanos e hindus, que não deram autorização para tal.


Descaso com dinheiro alheio. Madre Teresa recebeu 1 milhão de dólares do americano Charles Keating, que foi condenado por montar um esquema fraudulento para se apropriar do dinheiro de pequenos investidores nos Estados Unidos. Em seu julgamento, Madre Teresa mandou uma carta ao juiz pedindo clemência. O promotor enviou uma carta a ela solicitando que ela devolvesse o dinheiro das doações, pois esse tinha sido obtido de maneira fraudulenta. Não recebeu resposta.


Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/duvidas-universais/o-que-madre-teresa-de-calcuta-nao-tinha-de-santa/

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

PRATIQUE "FILEMON GO" VERSÃO 5.0.



A carta de Paulo a Filemon é a mais breve entre as cartas que formam a coletânea paulina e consiste apenas em 335 palavras no grego original. É pequeno no tamanho e profundo em seu conteúdo. O ilustre comentarista bíblico Albert Barnes a chama de uma brilhante e bela gema no tesouro dos livros inspirados.

William MacDonald afirma que, embora essa carta não seja doutrinária como as demais missivas do apóstolo, é uma perfeita ilustração da doutrina da “imputação”.

Paulo se apresentou como mediador entre Onésimo e Filemon para quitar todo o débito de Onésimo. A dívida de Onésimo foi colocada na conta de Paulo, que se dispôs a pagá-la. Esse fato lança luz sobre a bendita verdade de que nossa dívida impagável não foi colocada em nossa conta (2 Co 5.19), mas na conta de Cristo (2 Co 5.21), e Ele, com sua morte, riscou o escrito de dívida que era contra nós, quitando completamente nosso débito. Além disso, sua justiça completa e perfeita foi colocada em nossa conta (2 Co 5.21).

Essa identificação é uma ilustração do que Jesus fez por nós. Lutero disse que todos nós somos Onésimos. Jesus se identificou de tal forma conosco que o Pai nos recebe como ao próprio Filho. Somos aceitos no Amado (Ef 2.6). Fomos vestidos com sua justiça (2 Co 5.21). A palavra “recebe-o” no versículo 17 é receber dentro do círculo familiar. Imagine um escravo entrando dentro do círculo familiar do seu senhor. Imagine um pecador (como nós) entrando na família de Deus!

A seguir veremos os 5 fatos que revelam o valor dessa epístola:

1)   O valor pessoal – Essa epístola nos mostra de forma eloqüente o caráter do apóstolo Paulo. Transbordam dessa pequena carta seu amor, humildade, cortesia, altruísmo e tato.

2)   O seu valor providencial – Aprendemos nessa carta que Deus pode estar presente nas circunstâncias mais adversas (v. 15). Quando as coisas parecem fora de controle e as rédeas saem das nossas mãos, descobrimos que elas continuam sob o controle soberano de Deus. Aquilo que nos parecia perda é ganho. Deus reverte situações humanamente impossíveis. Ele ainda transforma vales em mananciais.

3)   O seu valor prático – Se não há causa perdida para Deus, também, não há vida irrecuperável. Onésimo era um escravo rebelde e fugitivo. Nada havia nele que o pudesse recomendar. No entanto, pela graça de Deus ele foi salvo, transformado e voltou à casa de seu senhor não como um criminoso, mas como um amado irmão em Cristo, membro da família de Deus.

4)   O seu valor social – O cristianismo venceu a escravidão não pela revolução das armas, mas pelo poder do amor. Na época de Paulo a escravidão era uma dolorosa realidade. Os estudiosos dizem que havia aproximadamente 60 milhões de escravos naquela época. Os escravos não tinham direitos legais. Pela mínima ofensa eles podiam ser açoitados, mutilados e até mesmo crucificados. Porém, a conversão a Cristo uniu na mesma família da fé e na mesma igreja senhores e servos. Amo e escravo foram unidos no Espírito Santo e nessa união foram extintas todas as distinções sociais (Gl 3.28).

5)   O seu valor espiritual – A carta de Paulo a Filemon nos apresenta alguns símbolos notáveis da nossa salvação: Onésimo abandonando seu amo. Paulo encontrando-o, intercedendo em seu favor, identificando-se com ele. O seu oferecimento de pagar a dívida e a recepção de Onésimo por Filemon por causa de Paulo; a restauração do escravo solicitada “[...] em nome do amor” (v. 9). Todas essas figuras lançam luz acerca da nossa grande salvação em Cristo.

Quero desafiar o nobre leitor [a] a ler e reler esta preciosa carta de Paulo a Filemon. Uma carta tão pequena, mas de verdades sublimes e eternas para as nossas vidas.

Nele, que nos livrou da escravidão e nos concedeu a verdadeira liberdade,

Pr Marcelo Oliveira para o Gospel Prime

segunda-feira, 25 de julho de 2016

NÃO É PECADO JULGAR!



Jesus disse: “Não julgueis, para que não sejais julgados” (Mateus 7:1). Este versículo é citado por muitas pessoas para condenar qualquer pessoa que critica as doutrinas ou práticas religiosas de outros. Ironicamente, as pessoas que assim usam o texto não percebem que estão julgando a outra pessoa culpada de desobedecer esta proibição! É pecado julgar? Como é que devemos entender essas palavras de Jesus?

Jesus condena o julgamento hipócrita. Ele emprega uma imagem engraçada para ilustrar o ponto. Uma pessoa está sofrendo por causa de um cisco no olho, quando vem a outra oferecendo tirá-lo. Só que a outra, o juiz hipócrita, tem uma viga no olho dela! Jesus disse que temos que tirar nossas próprias vigas antes de remover os ciscos dos outros. Não devemos condenar os probleminhas dos outros quando praticamos pecados mais graves.

Jesus condena a atitude negativa do censor. Algumas pessoas vivem para criticar, sempre procurando e destacando as falhas dos outros. Tais pessoas convidam outros a ser críticos, também. Quando condenamos as pequenas falhas de outros, eles terão motivo para nos condenar (considere o exemplo do servo que não perdoou o outro, Mateus 18:23-35).

Jesus não condena a avaliação dos outros. Mateus 7 mostra claramente que Jesus não está condenando a avaliação dos outros. Temos que discernir entre o certo e o errado, e entre as pessoas que praticam as coisas de Deus e as que andam no erro. No versículo 6, Jesus exige o julgamento de pessoas que ouvem o evangelho, e a rejeição dos “porcos” e “cães”. Do versículo 15 ao 20, ele ensina sobre o julgamento de professores pelos frutos (veja Mateus 16:6,11-12).

Paulo exige o julgamento. Não é o bastante dizer que o servo de Cristo pode julgar. O discípulo de Jesus é obrigado a julgar! Às vezes, alguém na igreja terá que julgar outros irmãos para resolver problemas (1 Coríntios 6:1-5). Em geral, todos nós temos que julgar todas as coisas, retendo o bem e rejeitando o mal (1 Tessalonicenses 5:21-22). Para discernir entre essas coisas, é necessário crescer espiritualmente (Hebreus 5:12-14). As pessoas incapazes de julgar continuam como crianças, como pessoas carnais (1 Coríntios 3:1).

O propósito do julgamento que Deus exige de nós não é para condenar ninguém ao castigo, mas para evitar o pecado e ajudar outros, também, ficarem livres do mal.

-por Dennis Allan

segunda-feira, 23 de maio de 2016

DOS QUE SAÍRAM DO EGITO, NÃO FORAM APENAS JOSUÉ E CALEBE QUE ENTRARAM EM CANAÃ!




Dos que saíram do Egito, no mínimo quatro pessoas herdaram a Terra Prometida, doravante chamada Canaã: Josué, Calebe, Eleazar e Finéias (os dois últimos,  filho e neto de Arão). Para pesquisa e compreensão passarei algumas referências: Êxodos 28.1; Números 3.4,32; 4.3; idade para ser sacerdote. Números 16.37-40; 20.25-28; 26.63-65; capítulos 32 e 28 - Êxodos 6.25 Números 25.11-13 Números 25.6-8 Finéias jovem com mais de 18 anos. Números 31.6, Moisés envia Finéias à frente do Exército para combater os Midianitas. Josué 14.1, Eleazar repartindo as terras; Números 22.13 Finéias presente em Canaã - Josué 24.33 - listagem do enviados à espiar Canaã (Números 13.1-16) não havia nenhum levita entre eles, porque os levitas eram uma tribo especial, por isso não contados entre as outras tribos.Números 1.3, 47-49; 26.4; e 62 - Resumindo, com certeza foram mais de dois os que entraram na Terra Prometida... Não há contradição quando entendemos que a citação de somente dois que entraram na Terra é porque os Levitas não eram contados entre eles...

terça-feira, 17 de maio de 2016

DEUS DESCANSOU NO 7º DIA?



Qual o Sétimo Dia Deus descansou???
Bom estudo, Deus te abençoe em Graça e em conhecimento!
“Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados.
E havendo Deus acabado NO SÉTIMO DIA a sua obra, que tinha feito, DESCANSOU NO SÉTIMO DIA DE TODA A SUA OBRA QUE TINHA FEITO.
E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera.” Gn. 2:1-3

Baseados apenas na letra da Palavra, todos os sabatistas pregam que Deus descansou após a criação do mundo, num suposto SÉTIMO DIA de 24 h. 
No entanto, convidamos o amigo leitor a conferir pelo EVANGELHO DE CRISTO, se esta interpretação é verdadeira ou não.

A preocupação do Apóstolo Paulo, era para que os judeus da Igreja primitiva, aprendessem a ver as Escrituras (A.T.) não pela letra, mas com OS OLHOS DO ENTENDIMENTO, através da REVELAÇÃO DA LETRA.
Assim, para compreendermos também a Palavra de Deus, que é espiritual; temos que examiná-la, não somente no ponto de vista humano, mas principalmente no seu âmbito espiritual .
”Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da Glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação;
Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da vossa vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos”. Ef. 1:17-18

1). DEUS TERIA SE CANSADO NA CRIAÇÃO DO MUNDO?
Não, isto é mais outro grave erro de interpretação dos sabatistas, pois a Escritura é clara: Deus NÃO SE CANSOU E NEM SE FADIGOU NA SUA CRIAÇÃO.
“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fadiga? Não há esquadrinhação do seu entendimento”. Is. 40:28

2). DEUS TERIA DESCANSADO NUM DIA DE 24 H. CONFORME PREGAM OS SABATISTAS?
Não, este é outro erro dos sabatistas, pois Deus não está sujeito à nossa cronologia humana.
“...Um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”. 2 Pe. 3:8b.

3). DEUS ESTARIA NUM CORPO DE “CARNE” E NA TERRA PARA TAL DESCANSO?
Não, DEUS É ESPÍRITO e portanto, Seu corpo era e é, ESPIRITUAL.
“Deus é espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo. 4:24

Por que então a Escritura do A.T. afirmava que Deus descansou no sétimo dia?
Porque a mensagem da lei e os profetas, em sua maioria "ERA PROFÉTICA" (projectava o futuro). Em razão disso, que durante tempo de sua vigência no A.T. ela cumpria o papel de “SOMBRAS, TESTEMUNHO” (Rom. 3:21) dos bens futuros (Hb. 10:1). Pois, a lei no rudimento da sua “LETRA” até a vinda de Cristo, não possuía a condição de apresentar à criatura humana, A IMAGEM EXATA DAS COISAS; tanto do PERFIL quanto do DESCANSO DE DEUS, sem o acompanhamento da REVELAÇÃO do EVANGELHO, manifestado mais tarde pelo próprio Senhor Jesus.
“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai: E ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. Mt. 11:27

Este verso mostra claramente a falta de conhecimento bíblico dos sabatistas em geral, ao querer discernir O DESCANSO DE DEUS, baseado em apenas Moisés, imaginando que o descanso do Altíssimo seja UM SIMPLES SÁBADO DE 24h.
Porém, Cristo nos diz cima, que antes da sua vinda ao mundo, ninguém "CONHECIA A DEUS", senão em "SOMBRAS"; por isto, que Ele foi enviado para resplandecer A LUZ"; nos fazer CONHECER O PAI, e com Ele também o verdadeiro DESCANSO DE DEUS..

O QUE TERIA CANSADO A DEUS?
Conforme lemos acima (Is. 40:28), Deus não se cansou com o labor de Sua criação: Nem com a criação do mundo invisível antes, e nem com a do mundo visível depois.

A explicação vem das eras eternas:
Antes da fundação do mundo, toda a criação do mundo invisível viviam no descanso eterno, em “COMUNHÃO COM O PAI, O FILHO E O ESPÍRITO SANTO”, conforme disse Jó.
“Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam?  Jó. 38:7

Até surgir no céu a iniquidade de Lúcifer
“Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti.” Ez. 28:15

A iniqüidade sim, que veio dar trabalho e cansar a Deus; pois O PECADO uma vez manifestado no céu, rompeu “A COMUNHÃO” do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, com a sua criação celeste (com os anjos que pecaram).
a). Lúcifer invejou a glória de Deus. Is. 14:13.
b). Lúcifer fez comércio injusto no céu. Ez. 28:16.
c). Lúcifer contaminou a terça parte dos anjos no céu. Jó. 4:18 – Ap. 12:4.
d). Lúcifer contaminou os céus. Jó. 15:15.
e). Ele foi homicida desde o principio, e por não se firmar na verdade (Jo. 8:44), foi expulso com seus anjos do DESCANSO ETERNO. Ap. 12:9.

PORTANTO, O PECADO FOI QUE CANSOU DEUS, conforme o próprio testificou:
“...Mas me deste trabalho com os teus pecados, e me cansaste com as tuas maldades.” Is. 43:24

COM A CRIAÇÃO DO NOSSO MUNDO, APÓS A QUEDA DE ADÃO, DEUS INICIA O PROCESSO DA RECONCILIAÇÃO DE “TODAS AS COISAS” EM CRISTO
“E que, havendo por Ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio D’ele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus.” Cl. 1:2

Até hoje, os sabatistas pregam erroneamente, que Deus descansou no SÉTIMO DIA da criação; mas O EVANGELHO DE CRISTO, nos revela que esse descanso ainda não aconteceu; veja porque:

OS TRÊS MISTÉRIOS DO SÉTIMO DIA


1)- O tempo de Deus:
O texto do Gênesis (Gn. 2:1-3) é profético; na linguagem profética um texto Bíblico ou um trecho dentro dum versículo, pode mostrar diferença de tempo de até 6.000 anos, ou mais. Exemplos: Gn. 2:24 - 3:15 – 49:10, Dan. 2:44, etc...

2)- A obra perfeita de Deus:
Deus, jamais fez a sua obra pela metade, o próprio verso afirma que a criação de Deus, foi DUPLA. Além d'Ele CRIAR, Ele também "FEZ".
“E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou DE TODA A SUA OBRA, que Deus CRIARA E FIZERA.” Gn. 2:3

Esse mesmo verso que afirma na sua “LETRA” que Deus DESCANSOU NO SÉTIMO DIA (criara), é o mesmo que pela “REVELAÇÃO DA LETRA”, nos diz que O DESCANSO DE DEUS será futuro, após a RESTAURAÇÃO DE TODA A SUA CRIAÇÃO: FIZERA. Ou seja: Deus descansará somente quando Ele tiver acabado TODA A SUA OBRA EM CRISTO. Não sou eu quem diz isto, mas o próprio Filho de Deus:
“E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo; porque fazia estas coisas NO SÁBADO.
E Jesus lhes respondeu: meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.” Jo. 5:16-17

Para isso, CRISTO PRECISA PRIMEIRO, ANIQUILAR (literalmente) TODO O PECADO a partir da sua próxima vinda e no seu Reino Milenar, congregando a criação novamente AO REPOUSO ETERNO DO PAI.
“Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo.
De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra.” Ef. 1:9-10

3)- O sétimo dia que Deus descansou, não foi criado como os demais seis dias:
O SÉTIMO DIA de descanso para o homem, é um dia de 24h do nosso calendário, foi dado exatamente em memória DO VERDADEIRO SÉTIMO DIA PROFÉTICO,  O DESCANSO ETERNO DE DEUS; não como ensinam erroneamente os sabatistas, dizendo que este sábado de 24h, foi o dia em que Deus descansou (?).

Explicando melhor:
A criação do nosso mundo do 1º ao 6º dia (Gn. 1:1-31), foram mencionados na Bíblia dentro do horário terreno de 24h (tarde/manhã). Todavia, a criação do SÉTIMO DIA, NO QUAL DEUS REPOUSOU (REPOUSARÁ), Ele usou outro parâmetro de tempo (o profético). Tanto é verdade, que a Bíblia nem menciona em Génesis, o mesmo tempo de 24h (tarde/manhã), para a criação do SÉTIMO DIA; antes, menciona sim, “o sábado de descanso” para o homem, estipulado pela “SOMBRA DA LEI” (Êx. 20:8-11), que memorial ao SÁBADO ETERNO.

Portanto esse SÉTIMO DIA EM QUE DEUS REPOUSOU, trata-se não de um sábado de 24h, mas, de um DIA PROFÉTICO, UM SÉTIMO DIA MILENAR - O ANO SABÁTICO, no qual Deus em Cristo, ACABARÁ TODA A OBRA DA SUA CRIAÇÃO. Pois a obra de Deus, não se resume apenas na obra da criação (visível e invisível), mas também, OBRA DA RESTAURAÇÃO DE TODA A SUA CRIAÇÃO (Ez. 36:35-36); culminando com o aniquilamento do “INÍQUO – Satanás”, ao final do Reino Milenar de Cristo (Ap. 20:9-10), conforme também expressou o apóstolo Paulo:
“E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.” Rm. 16:20

“DEPOIS VIRÁ O FIM, (de toda a obra) quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e QUANDO HOUVER ANIQUILADO TODO O IMPÉRIO, E TODA A POTESTADE E FORÇA.
E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.” 1 Co. 15:24 e 28

ENTÃO, CUMPRIR-SE-Á  GÊNESIS (2:1-3), NA SUA VISÃO PROFÉTICA
“Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados.
E havendo Deus acabado NO SÉTIMO DIA a sua obra, que tinha feito, DESCANSOU NO SÉTIMO DIA DE TODA A SUA OBRA, QUE TINHA FEITO.
E abençoou Deus O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; porque NELE DESCANSOU DE TODA A SUA OBRA, que Deus CRIARA E FIZERA.”

CONCLUSÃO:
“Temamos, pois que, porventura, deixada a promessa DE ENTRAR NO SEU REPOUSO, pareça que algum de vós fica para trás.
Porque também a nós (a Igreja) foram pregadas AS BOAS NOVAS, como a eles (os sabatistas), mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada COM A FÉ naqueles que a ouviram”. Hb. 4:1-2

Para meditar:
A Teologia que não conhece o Pai pelo EVANGELHO DO FILHO, pode pregar O SEU DESCANSO pela “LETRA DE MOISÉS”?

Jaime e Júlio - Curitiba Pr.

segunda-feira, 14 de março de 2016

SE EU QUISER FALAR COM DEUS!



Veio aqui atrás da música de Gilberto Gil? Não, aqui Não!

Pois:

Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Deus é Pai;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Ele é Pai Nosso;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Ele é Santo;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que a vontade dEle sempre prevalecerá sobre a minha;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que eu dependo cotidianamente do alimento dEle;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que eu sempre serei perdoado por Ele do mesmo jeito que eu sempre perdoo o meu próximo;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que a tentação e o mal estarão muito próximos de mim e que preciso dEle para não caír e ser livre!

Porque diz a Sua Palavra:

""Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;
O pão nosso de cada dia nos dá hoje;
E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;
E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.
Mateus 6:9-13""

É isso aí!

domingo, 21 de fevereiro de 2016

AS MURALHAS DE JERICÓ E O FENÔMENO DA RESSONÂNCIA!



O SOM pode erguer pedras de varias toneladas a construir Templos, infelizmente tambem tem o poder de destruir

O SOM ja foi usado como arma em poder dos Atlantes e no relato na Biblia sobre Josue e as muralhas de Jerico:

"A impressionante história de Josué: derrubando muralhas através da Música 
por Fernando Andreolli
Segundo o Antigo Testamento, Jericó era uma cidade cercada por uma enorme muralha. Josué, sucessor de Moisés e novo líder do povo de Israel, recebeu a visita de Deus e a missão de conduzir seu povo para a ocupação de Jericó. "Então, disse o Senhor a Josué: Olha, entreguei na tua mão Jericó, os seus reis e os seus valentes. Vós, pois, todos os homens de guerra, rodeareis a cidade, cercando-a uma vez; assim fareis por seis dias. Sete sacerdotes levantarão sete trombetas de chifre de carneiro adiante da arca; no sétimo dia, rodeareis a cidade sete vezes, e os sacerdotes tocarão as trombetas. E será que, tocando-se longamente as trombetas de chifre de carneiro, ouvindo vós o sonido delas, todo o povo gritará com grande grita; o muro da cidade cairá abaixo, e o povo subirá nele, cada qual diante de si." (Js 6.2-5) E assim foi feito. No sétimo dia, ao som das sete trombetas, Josué disse a seu povo: "Gritai, pois o Senhor vos entregou a cidade". E o povo de Israel obedeceu, e as muralhas de Jericó sucumbiram.

Muitos consideram que estas passagens do Antigo Testamento não passam de folclore popular. Existem, porém, explicações físicas para o fenômeno descrito no livro de Josué. O diapasão, objeto utilizado para afinar instrumentos musicais, é um exemplo do fenômeno da ressonância, que pode explicar a queda da muralha de Jericó. Se tivermos um diapasão vibrando e aproximarmos esse de outro diapasão que possui a mesma frequência (essa frequência geralmente está gravada no diapasão), este começará a vibrar também. Da mesma maneira, podemos saber qual a frequência de uma determinada nota de um instrumento musical se a execução dessa nota fizer vibrar um diapasão inicialmente em repouso. É clássica a cena de copos ou lustres de cristal se quebrarem pelo som de um violino ou de outro som muito agudo. Para tanto, é necessário que o som esteja numa frequência de vibração igual à frequência de vibração das moléculas de cristal. Qualquer fonte sonora produz no ar vibrações que estimulam oscilação em corpos situados nas proximidades. Quando a freqüência da fonte coincide com a freqüência natural de oscilação do corpo, a amplitude de oscilação desta atinge valores elevados, pois a fonte progressivamente cede energia ao corpo. Dessa maneira, o som produzido pelas sete trombetas associado ao som das vozes do povo de Israel poderia ter efetivamente derrubado as muralhas. Recentes descobertas arqueológicas indicaram que as muralhas realmente foram destruídas de um momento para o outro, e que caíram de maneira semelhante às edificações derrubadas pelo moderno processo de implosão (que deixa ruínas diferentes das resultantes de explosões ou choques físicos). 

Fonte:http://www.casadoreggae.hpg.ig.com.br/letras/jerico.htm

sábado, 20 de fevereiro de 2016

BRASIL ESTÁ SENDO ATACADO POR 7 PRAGAS, SEGUNDO REVISTA DE PAÍS VIZINHO!

Brasil está sendo atacado por 7 pragas que parecem bíblicas

“A derrubada do mito Lula pareceu confirmar que o Brasil foi atacado por pragas que parecem bíblicas'', afirmou a revista Semana. Zika, violência, recessão também são destacadas

SÃO PAULO — Não são só as publicações dos Estados Unidos ou do Reino Unido que destacam o Brasil. Os nossos vizinhos também dão destaque para a crise econômica e política que o País vive em jornais e revistas. Na última edição, uma das grandes revistas da Colômbia, chamada "Semana", fez uma análise dos problemas brasileiros, chamando-as de "as setes pragas". de proporções bíblicas e que afligem o País. A matéria foi destacada pelo blog Brasilianismo, do UOL.
Segundo a análise da revista colombiana, o Brasil, chamado de gigante sul-americano, sofre uma série de desastres que o colocou "nas cordas", sendo que o escândalo envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é apenas um dos fatores. Agora, após um período de fartura, o Brasil viu a sua situação se precarizar, com a crise tornando-se mais crítica em meio às investigações sobre Lula.
“A derrubada do mito pareceu confirmar que o Brasil foi atacado por pragas que parecem bíblicas'', afirmou a revista, que fez uma lista das sete pragas que vêm afligindo o País:
1. A queda do mito
Nas últimas semanas, a Operação Lava Jato e a Zelotes aumentaram o cerco contra Lula, fazendo com que as chances para que o ex-presidente volte ao poder diminuam consideravelmente. A revista lembra que Lula saiu do governo em 2010 com 80% de aprovação mas, nos últimos meses, a sua reputação desabou: segundo a pesquisa Ipsos, apenas 25% o considera honesto.
2. Uma presidente sem poder
“A popularidade da presidente Dilma Rousseff é de 6%, um número menor de que a taxa de inflação de dois dígitos'', afirma a revista que ressalta que, desde o início do segundo mandato, a sua aprovação está em queda livre, arrastada pelo escândalo da Lava Jato e pelas más notícias da economia.
3. Corrupção generalizada
“Os escândalos de corrupção que apareceram durante os governos de Lula e Dilma são gigantescos", afirma. A revista também lembra 2005, quando estourou o escândalo do mensalão durante o governo Lula. "E, quando os brasileiros achavam que já tinham visto tudo, estourou a Zelotes, que logrou deixar para trás a Lava Jato, até então o maior escândalo da história''.
4. Uma recessão brutal
"Irredimível?. Este foi o título da Economist para referir-se à economia brasileira", lembra a Semana, que ressalta que a economia do Brasil encolherá 8% entre 2014 e 2016. A Semana ressalta que "a raiz da crise é a queda nos preços das matérias primas e do petróleo''.
5. Violência
“O Brasil tem uma mistura mortal de narcotráfico e violência. Das 50 cidades mais violentas do mundo, 21 são brasileiras'', afirma, ressaltando que a violência policial também está fora de controle: "em São Paulo, entre janeiro e novembro de 2015, 532 pessoas foram assinadas por 'intervenção policial'".
6. Adeus ao meio-ambiente
As inundações que deixaram no último ano mais de 170 mil pessoas atingidas na Argentina, Paraguai e Brasil refletem a perda de cobertura florestal nestes países, ressalta a revista, citando o Greenpeace. Além disso, a Amazônia perdeu 12% de sua área e deve perder entre 9% e 28% até 2050. Soma-se a isso uma tragédia ambiental no Brasil no ano passado: o “tsunami de lama tóxica destruiu o Rio Doce'' após o rompimento de uma barragem de resíduos químicos da Samarco, joint venture entre a Vale e a BHP.
7. E agora, o zika vírus...
Em sétimo lugar, o destaque ficou para o zika vírus. A revista ressalta que, segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil será o país mais afetado pela epidemia na América Latina, com 1,5 milhão de casos nos próximos meses, ao mesmo tempo em que os casos de microcefalia saltaram para mais de 3.500 desde outubro de 2015. "Esta praga, que se nutre de inundações e de pobreza, uniu-se à dengue e à chikungunya e obrigou o governo a enviar 220 mil soldados para frear a epidemia antes dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em junho'', diz. A revista ressalta que, em todo caso, alguns países já colocaram em dúvida sua participação com os times principais.
"Um mau panorama para o País futeboleiro que em 2014 foi humilhado por 7 a 1 na Copa do Mundo realizada em sua própria casa", conclui a publicação.
Fonte: Infomoney
Divulgação: www.juliosevero.com

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

A BÍBLIA AFIRMA QUE CRISTÃO NÃO PODE CRITICAR?



A crítica pode ser destrutiva. A Bíblia diz em Gálatas 5:15 “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais uns aos outros.”

Ao criticar os outros corre o risco de também ser criticado. A Bíblia diz em Mateus 7:1-5 “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.”

Estar disposto a perdoar é uma parte da crítica construtiva. A Bíblia diz em Lucas 17:3 “Tende cuidado de vós mesmos; se teu irmão pecar, repreende-o; e se ele se arrepender, perdoa-lhe.”

Tem cuidado com a crítica. A Bíblia diz em Romanos 14:1 “Ora, ao que é fraco na fé, acolhei-o, mas não para condenar-lhe os escrúpulos.”

Aqueles que criticam a outros recebem críticas. A Bíblia diz em Lucas 6:37-38 “Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados. Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço; porque com a mesma medida com que medis, vos medirão a vós.”

Os cristãos tornam-se mais sábios quando recebem uma crítica construtiva e válida. A Bíblia diz em Provérbios 9:8-9 “Não repreendas ao escarnecedor, para que não te odeie; repreende ao sábio, e amar-te-á. Instrui ao sábio, e ele se fará mais, sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento.”

A melhor protecção contra a crítica é uma consciência limpa. A Bíblia diz em 1 Pedro 3:16 “Tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, fiquem confundidos os que vituperam o vosso bom procedimento em Cristo.”

E, sobre o cristão poder ou não julgar, leia também esses dois posts:

http://odetalhedapalavra.blogspot.com.br/2012/08/julgar-dever-de-todo-cristao.html

http://odetalhedapalavra.blogspot.com.br/2011/09/ai-daquele-que-tocar-no-meu-ungido.html

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

SÍMBOLOS, ORIGENS E SIGNIFICADOS!

Símbolos e Significados



A palavra "símbolo" é derivada do grego antigo symballein, que significa agregar. Seu uso figurado originou-se no costume de quebrar um bloco de argila para marcar o término de um contrato ou acordo: cada parte do acordo ficaria com um dos pedaços e, assim, quando juntassem os pedaços novamente, eles poderiam se encaixar como um quebra-cabeça. Os pedaços, cada um identificando uma das pessoas envolvidas, eram conhecidos como symbola. Portanto, um símbolo não representa somente algo, mas também sugere "algo" que está faltando, uma parte invisível que é necessário para alcançar a conclusão ou a totalidade. Consciente ou inconscientemente, o símbolo carrega o sentido de unir as coisas para criar algo mair do que a soma das partes, como nuanças de significado que resultam em uma ideia complexa.
Longe de objetivar ser apologética, a seguinte relação de símbolos tem por objetivo apenas demonstrar o significado de cada um para a cultura ou religião que os adotou.

CRUZ

A cruz é um dos símbolos mais antigos do Cristianismo. Um dos significados teológicos da cruz é o relacionamento da humanidade (representada pela haste horizontal) com Deus (representado pela ponta superior da cruz) e o mundo material (representado pela ponta inferior, que toca ao chão).

É possível perceber então, uma divergência de opinião entre a Igreja Ocidental e a Oriental (Romana ou Latina e Grega ou Ortodoxa), enquanto que a Igreja Latina defende uma proximidade maior da humanidade com Deus, e por consequência um distanciamento da vida material, a Igreja Grega defende um equilíbrio entre ambos.


CRUZ LATINA





CRUZ GREGA


Uma variação da Cruz Latina  é a Cruz de São Pedro.




Esta cruz tem este formato, em homenagem ao apóstolo Pedro, que segundo a tradição pediu para ser crucificado de cabeça para baixo por se considerar indigno de morrer da mesma maneira que seu Mestre.
A Cruz de São Pedro é um dos símbolos do Papado.



Por estar invertida este tipo de cruz também é muito usada no Satanismo, para representar o oposto do Cristianismo.





CRUZ DE NERO


É usada pelos satanistas e pelo movimento de Nova Era. A haste quebrada para baixo representava a princípio a derrota do Cristianismo. Na Idade Média, passou a ser vinculada com Satanás. No final da década de 50 o ateu britânico Bertrand Russel, a adotou como símbolo da paz, sendo também usada com esta finalidade pelos movimentos hipies na década de 60. Hoje é usada por grupos de rock, heavy metal eblack metal.


CRUZ ANKHADA


No antigo Egito simbolizava a vida, era usada somente por reis, rainhas e deuses para mostrar que o seu portador tinha o poder de dar e tirar a vida. Atualmente é usada pelos esotéricos da Nova Era, Ordem Rosa-Cruz e Maçonaria.


ARCO-ÍRIS 



Segundo a tradição judaico-cristã, o arco-íris é o sinal do pacto entre Deus e a humanidade, representada por Noé: "Estabelecerei a minha aliança convosco: não será mais exterminada toda a carne pelas águas do dilúvio, nem haverá mais dilúvio para destruir a terra. Disse Deus: Este é o sinal da aliança que faço entre mim e vós e todo o animal vivente que está convosco, para perpétuas gerações: o meu arco tenho posto nas nuvens, e será ele por sinal de uma aliança entre mim e a terra." Gênesis 9.11-13
Em algumas tradições folclóricas, como as sérvias, albanesas, húngaras e francesas, o arco-íris está associado à mudança de sexo, por este motivo é o simbolo do movimento gay.




ANARQUIA


Anarquia é o estado de um povo em que o poder público, ou de governo, tenha desaparecido. É a negação do princípio de autoridade, trazendo confusão e desordem. Seu símbolo foi usado inicialmente por grupos punk, sendo usado atualmente por gruposheavy metal.


PENTAGRAMA


Estrela de cinco pontas muito usada pelo baixo espiritismo, satanistas e pela Maçonaria. Invertendo o pentagrama ele se torna a cabeça de um bode.

O bode Baphomet é a mais conhecida representação de Lúcifer de todo o ocultismo.


O baixo espiritismo lhe atribui poderes mágicos.


CÍRCULO COM UM PONTO NO CENTRO


Símbolo usado pelo movimento de Nova Era para representar a deificação ou endeusamento do homem, sendo que o ponto no centro simboliza a energia, que segundo eles, emana para todo o ser. Na astrologia é o simbolo do sol.


YIN YANG



Símbolo do Taoísmo, religião criada por Lao Tsé na China no século III ou IV a.C., Lao Tsé ensinou que o universo é governado pelo TAO - o Caminho, energia cósmica composta pelo yin, princípio feminino associado à escuridão e a água  e o yang, princípio masculino associado à luz, a atividade,e ao ar. Estas forças opostas são interdependentes e cada uma contém a semente ou potencial da outra. O Taoísmo afirma que o Ying Yang estão unidos num total e perfeito dinamismo; não separados e nem estáticos, uma interação entre princípios negativos e positivos da natureza sendo que toda a criação, inclusive os seres humanos, é um produto dessas forças.
A saga de ficção científica Star Wars, usa muito da filosofia taoista.


SUÁSTICA



A palavra swastika, é uma combinação de duas palavras em sânscrito, su que significa "bem" e astai, que significa "estado" e é interpretado como " que o bem prevaleça", em termos pessoais e universais. No hinduísmo representa a força positiva da vida e da alegria. No budismo é conhecida como manji, representa o balanço dos opostos e a harmonia universal, no zen budismo representa a harmonia entre o amor e o intelecto.
Em 1920 Adolf Hitler, adota a suástica, de forma invertida, como símbolo do nazismo.





OM


Símbolo máximo do hinduísmo para o som sagrado OM (aum), é conhecido como a mãe de todos os mantras e orações. É a representação dos deuses que formam a tríade do hinduísmo: Brahma, Vishnu e Shiva. A palavra "mantra" vem do sânscrito, man que significa "libertação" e tra que significa mente, para os hindus o mantra é a "libertação da mente". O OM é tido como a soma de todos os sons do universo. segundo o hinduísmo, as quatro partes do som representam os quatro estados de consciência: acordado, sonolência, sonhando e transe ou estado de transcendência. Ele inicia qualquer oração ou invocação hindu e é encontrado em todos os templos e casas dessa religião.
No ocidente, devido a dificuldade de reproduzir seus caracteres sânscritos, o OM também é representado pelo 3HO.



DELTA LUMINOSO


Símbolo importante dentro da Maçonaria. Significa a presença ante Deus e sua onisciência, sua vigilância divina que registra cada ato que o ser humano pratica.

COMPASSO E ESQUADRO


Na Maçonaria o compasso por ser um instrumento que traça círculos, abrindo e fechando, delimitando espaços, representa o senso da medida das coisas. Significa a justiça.
O esquadro simboliza o equilíbrio e a harmonia. Para o maçom, o instrumento simboliza a retidão, limitada por duas linhas: uma horizontal, que significa a trajetória a percorrer no mundo físico; e a outra vertical, que significa o caminho para cima. 
A letra "G" tem grande significado para a Maçonaria. O principal significado é a representação do Grande Geômetra, outra designação de Deus.


ESCADA EM CARACOL




Escadas em caracol, conhecidas como cochleus na Maçonaria Escocesa, simbolizam a progressão do iniciado e as paradas que ele deve fazer para refletir sobre o que lhe foi ensinado. Similarmente, a escada de Primeiro Grau tem três degraus que representam: fé, esperança e caridade. O nível mais avançado tem sete degraus que simbolizam justiça, bondade, fé, trabalho, paciência e inteligência.


ÁGUIA

Um símbolo sem ambiguidade e universal para força, velocidade e percepção. No Cristianismo a águia representa o Evangelho de João. A águia está amplamente associada ao poder e à liderança e foi adotada de várias formas por civilizações ambiciosas e expansionistas como um símbolo de identidade nacional e soberania.
A águia foi símbolo do Império Romano, da Alemanha nazista e é o simbolo dos Estados Unidos da América.

Estandarte Romano com a abreviação de senatus popolusque romanus (o Senado e o povo romano).



Brasão de Armas da Alemanha nazista.



Selo do Presidente dos Estados Unidos da América, modificado pelo Presidente Truman em 1945 em relação à sua versão original de 1880. A mudança da cabeça da águia do lado direito para o lado esquerdo ( em direção ao ramo de oliva, símbolo da paz) foi considerada como símbolo de mudança de guerra para paz.


ICTHUS


O peixe é um dos primeiros símbolos cristãos e marcava lápides nas catacumbas romanas, onde cristãos perseguidos se encontravam em segredo para seguir sua fé. É baseado nas primeiras letras gregas de Jesus Cristo de Deus Filho Salvador, Ieosus Christos Theou Yios Soter, que se soletra Icthus, a palavra grega para peixe.




ESTRELA DE DAVI




Estrela de seis pontas, dois triângulos entrelaçados, que o Rei Davi mandou fazer quando conquistou a Fortaleza de Jebus, para ser usada como símbolo nacional, e ainda hoje é o símbolo mais conhecido do Judaísmo. Consiste no entrelaçamento da letra Daleth, que corresponde à letra grega Delta e a nossa letra . O nome hebraicoDavid, começa e termina com"D". Essa letra, no hebraico da época de Davi era muito parecida com a letra Delta, de forma triangular.
A Nova Era dá a Estrela de Davi um significado esotérico,  o mesmo princípio do  Yin Yang, pois afirmam que as duas pontas, a que aponta para cima e a que aponta para baixo, simbolizam o bem e o mal, o masculino e o feminino, espírito e carne, Deus e o homem, ativo e passivo e etc.
Na Maçonaria esta estrela é conhecida como Selo de Salomão, sendo que o Pentagrama que é chamado de Estrela de Davi.


ESTRELA E CRESCENTE


O crescente no Islamismo representa a autoridade divina e o crescimento devido à associação com a lua crescente. Também representa a expansão do mundo islâmico. A estrela matinal representa o Paraíso. Juntos, representam o mundo Islâmico, aparecendo prioritariamente nas bandeiras, inclusive nas do Paquistão e Turquia. A estrela e o crescente são comuns na arquitetura islâmica.


FOICE E MARTELO



O martelo representa a produção, enquanto que a foice é um emblema da agricultura. A foice e o martelo eram o amblema da antiga União Soviética e simbolizavam uma produção frutífera, a união dos trabalhadores urbanos e rurais.

MASCULINO E FEMININO



Os símbolos usados para representar os sexos masculino e feminino são os mesmos usados na astrologia para representar os planetas Marte e Vênus.
Marte era o deus romano da guerra e Vênus era a deusa romana do amor.


FARAVAHAR



O deus supremo dos persas, Ahura Mazda, foi personificado por faravahar, uma imagem majestosa que surge de um disco com asas e representa a aspiração humana em unir-se ao deus. A figura simboliza a vontade própria: sua mão apontado algo representa as aspirações da alma humana enquanto a outra mão segura um anel, simbolizando a realeza e o ciclo de nascimento, morte e renascimento.


LÁBARO



O lábaro é um dos primeiros símbolos do Cristianismo. É um monograma composto das primeiras letras gregas do nome de Cristo, X (chi) e P (rho). Também é conhecido como a cruz de Chi-Rho, as letras são escritas uma sobre a outra. A história conta que o imperador Romano Constantino I teve uma visão da cruz de Chi-Rho prometendo vitória a seu exército, depois que ele se converteu ao Cristianismo.


FLOR-DE-LIS




Associada à realeza francesa, a flor-de-lis tem três pétalas, representando a Santa Trindade e a tripla majestade de Deus, criação e realeza.



MÃO DE FÁTIMA


Fátima era a filha de Muhammed e sua adorada esposa Aisha. Embora ela não seja mencionada no Corão, a tradição muçulmana xiita lhe confere atributos como os que são atribuídos pelo catolicismo à Virgem Maria, referindo-se a ela como " Soberana das Mulheres de Todos os Mundos", a "Virgem" e a "Pura e Sagrada", e diz que ela foi criada a partir da luz da grandeza de Allah ou do alimento do paraíso. Na religião popular, os fiéis confiam em Fátima, que defende os oprimidos na luta contra a injustiça inicia da por seu pai. As mulheres xiitas viajam até os santuários dedicados à Fátima, onde oram para obter ajuda. Amuletos, conhecidos como a "mão de Fátima", são sagrados e usados para a proteção. Os cinco dedos da mão simbolizam os cinco pilares do Islamismo ( A crença em Allah, no Corão, nos anjos, nos profetas e no dia do Juízo Final.)



VERMELHO


O vermelho é a primeira cor do arco-íris e por isso tem uma posição privilegiada. É a cor do sangue, do calor, do poder, da paixão e do perigo. Muitas culturas o veem como energizante e estimulante. 
O vermelho é uma cor de sorte em toda a Ásia, pois simboliza a força da vida. É também a cor do poder. Nos tempos medievais, o uso desta cor era restrito à nobreza e à alta sociedade. É também ligada ao sangue sacrificial em rituais esotéricos. Na Idade Média, mulheres ruivas eram consideradas bruxas e prostitutas e a papoula era tida como a flor do diabo. Conforme o Cristianismo crescia, o vermelho passou a ser a cor do pecado e do desejo descontrolado, e não era bem visto. Para os budistas, vermelho é a cor da atividade e da criatividade. Na tradição cristã, é a cor do sangue e da comemoração da liturgia, dos santos martírios e do fogo. A cor vermelha é usada no Pentecostes.


AZUL


Cor do céu e do mar, simboliza amplitude, eternidade e espiritualidade. Os antigos egípcios usavam-na como a cor da verdade, enquanto os gregos associavam o azul a Zeus e a Hera, os deuses dos Céus, e com Afrodite, a deusa do amor.  ´É a cor do Arcanjo Miguel, e os corpos dos deuses hindus Krishna e Vishnu são descritos como um azul vibrante para evidenciar sua divindade.
Azul royal era a cor do Rei David, o líder mais importante do povo judeu. O azul escuro é também a cor de Nut, deusa egípcia da noite, que representa sabedoria. Azul é a cor de Kwan Yin, deusa oriental da Misericórdia, e Maria, mãe de Jesus. Seus mantos azuis simbolizam sua conexão superior, assim como a devoção eterna e sabedoria espiritual.
Azul simboliza lealdade, devoção, amizade e verdade, muitas forças militares no mundo todo usam uniformes azuis para inspirar confiança. Na heráldica, brasões azuis são utilizados para simbolizar piedade e sinceridade.


ROXO


Na Roma Antiga, somente o imperador podia usar roxo. Era proibitivamente caro obter a cor púrpura antes da invenção dos pigmentos químicos. "Nascido para o púrpura", significava nascimento real, e na heráldica, o roxo indicava realeza e alto nível social.
Ulisses usava mantos roxos em sua jornada na Odisseia. Eles simbolizavam o triunfo sobre o perigo. Os antigos egípcios usavam amuletos dessa cor para afastar a adversidade.


AMARELO


Amarelo é a cor do Sol em sua forma mais intensa, e é associado a Atena, deusa da sabedoria e patrona do aprendizado e das artes, seu manto era dourado. Na China, o amarelo é a cor sagrada do imperador e do Sol. Amarelo alaranjado, ou açafrão, é a cor associada ao hinduísmo. Monjes hindus e budistas e freiras usam mantos desta cor para indicar sua renúncia à vida material.


VERDE


Verde é a cor da deusa Vênus e da natureza em sua maior fertilidade. Simboliza esperança, renovação e renascimento. O Livro dos Mortos egípcio fala sobre um escaravelho verde de pedra que deve ser posto no peito do defunto, para que ele possa falar na vida após a morte. Os antigos egípcios descrevem Osíris, deus da vegetação, como verde, representando a fertilidade da natureza.
No Islamismo, verde é a cor sagrada que representa a fertilidade nas regiões desertas e conhecimento. Aqueles que vão para o Paraíso após a morte vestem mantos verdes. No ocidente, simboliza esperança depois de um inverno sombrio e os primeiros sinais de primavera representam regeneração e o início de um novo ciclo. O verde simboliza o profundo e o oculto conhecimento que a natureza esconde. Na China, corresponde ao trigrama Ch'en, o estimulador, manifestação da primavera, raio e o início da ascesão do yang.
Os alquimistas acreditavam que a luz esmeralda podia dar acesso aos segredos mais profundamente guardados e por isso o verde é associado aos mais ocultos dos mistérios. Na tradição cristã, simboliza o triunfo da vida sobre a morte e é a cor da liturgia durante a Epifania e para os domingos depois do Pentecostes.


PRETO

O preto indica ausência de luz e também o poder das trevas. É um sinal de luto em muitas culturas islâmicas e no cristianismo ocidental. A magia negra é associada a forças malignas e danosas.
No antigo Egito, preto era a cor da ressurreição da morte e da vida eterna. Era também a cor do deus Anúbis, que levou a morte para o mundo inferior, e do deus Min, que controla o crescimento e a colheita.
Na tradição cristã, preto geralmente é associado a penitência. Na África, preto é a cor da noite, da dor, da adversidade, assim como do mistério. No islamismo, é a cor do azar: diz-se que um cão negro traz morte a família, galinhas pretas são utilizadas na magia negra e preto é utilizado como um amuleto contra o olho do mal. Místicos descrevem o preto como a cor da essência divina, uma vez que o preto contém todas as cores e as torna indistinguíveis. Assim, o preto é também o símbolo de unidade indivisível. O véu da Caaba é preto.


BRANCO


O branco tem sido o símbolo de celebração desde os tempos romanos. Representa a pureza e a virgindade e é usado na liturgia cristã durante o Natal e a Páscoa. No Oriente, é a cor do luto - viúvas hindus usam branco como um sinal de sua perda.
Aborígenes australianos usam branco para representar o mundo dos espíritos. Eles circundam a forma humana com linhas brancas fortes, indicando que o mundo espiritual começa assim que termina o corpo humano. Cor da luz, o branco é geralmente lembrado como uma cor da sorte. No Marrocos, quando um casal oficializa o noivado, leite é bebido para simbolizar o "branco", ou uma vida de sorte.