GERAÇÃO PRÉ-ADÂMICA

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

ATENÇÃO BACHARÉIS LIVRES EM TEOLOGIA, O MINISTRO AINDA NÃO ASSINOU A REVOGAÇÃO DO PARECER 063 SOBRE A CONVALIDAÇÃO. MATRÍCULAS AINDA SENDO ACEITAS, GARANTA SUA VAGA!

BACHAREL LIVRE EM TEOLOGIA E CONVALIDAÇÃO PELO MEC

Bacharel 01
CURSO BACHAREL EM TEOLOGIA LIVRE
INSCRIÇÃO : 50,00 MENSALIDADE: 100,00
À DISTÂNCIA – DURAÇÃO: 2 ANOS
REQUISITOS: ENSINO MÉDIO COMPLETO ( 2° GRAU )
VANTAGENS: CERTIFICADO COM HISTÓRICO DE NOTAS E CARGA HORÁRIA; ADQUIRIR CONHECIMENTO; DIREITO DE CURSAR FACULDADE DE BACHAREL EM TEOLOGIA RECONHECIDO PELO MEC EM APENAS 1 ANO
INTEGRALIZAÇÃO DE CRÉDITOS EM TEOLOGIA (CONVALIDAÇÃO PELO MEC):
Inscrição: 119,00
Material: 100,00
Mensalidade: 12 X 239,00
Duração: 10 Meses o curso e até 180 dias para a entrega do TCC.
Requisitos: Ensino Médio Completo e Bacharel Livre em Teologia ou Eqivalente com no Mínimo 1600 Hs de carga Horária distribuidas em no mínimo 2 anos com início posterior à conclusão do Ensino Médio(2º Grau).
Vantagens: Diploma de curso superior(3º Grau) reconhecido pelo MEC. Acito em concursos que exigem Nível Superior e  Pós Graduação em diversas áreas.
A Integralização de Créditos tem por objetivo o aproveitamento e complementação de disciplinas e carga horária dos cursos de Teologia Livre feitos em instituições, seminários e outros congêneres, com carga horária mínima de 1600 horas e pelo menos duas ou 20% das disciplinas cursadas, constando na grade curricular de sua instituição e assim, a obtenção de diploma de bacharel com registro junto ao MEC, como prevê o parecer CNE/CES 0063/2004.
Destinado a quem possua curso de Teologia Livre e segundo gráu completo;
HABILITAÇÃO
Bacharel em Teologia, em conformidade com o parecer CNE/CES 0063/2004, para aqueles que desejam servir, principalmente, mas não exclusivamente, como pastores, educadores cristãos em Institutos, Seminários Teológicos e outros.
METODOLOGIA
– O curso é ministrado em 10 módulos com uma aula/prova por mês.
DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA
– Histórico e certificado de 2º grau, concluso antes do início da Teologia Livre. (cópia autenticada)
– Histórico e Certificado de Teologia livre (cópia autenticada), com data de início e término, comprovando mínimo de 1600 horas, concluídas em seminários maiores ou instituições de educação;
– Cópia da Certidão de casamento ou nascimento, Comprovante de endereço, RG, CPF e Título Eleitoral;
– 2 fotos 3×4 recentes
DURAÇÃO
10 meses para o curso e até 6 meses para a entrega de Monografia.
DISCIPLINAS
01- Didática I
02- Didática II
03- Língua Portuguesa I
04- Língua Portuguesa II
05- Sociologia
06- Filosofia da Educação
07- Antropologia Filosófica
08- Antropologia Cultural
09- História da Filosofia Antiga
10- Filosofia da Religião
ACEITAMOS ALUNOS COM DIPLOMAS DE BACHAREL LIVRE OU EQUIVALENTE FEITOS EM OUTRAS INSTITUIÇÕES.
Temos também o Curso de Formação de Líderes e Teologia Integrados para quem ainda não terminou o 2º grau, com matérias totalmente voltadas ao conhecimento bíblico e aplicações no ministério.
MAIORES INFORMAÇÕES: DEIXE SUA PERGUNTA NOS COMENTÁRIOS OU ENTRE EM CONTATO PELOS TELS 031 3047 7490, 031 8886 5371(watsapp) OU EM MEU E-MAIL: wellfernandes4@hotmail.com
Estou á sua disposição.
Pb Wellington

terça-feira, 22 de setembro de 2015

EGIPCIO QUER INDENIZAÇÃO DE ISRAEL PELAS PRAGAS DO ÊXODO



As 10 pragas bíblicas enviadas ao Egito enquanto o faraó se recusava a libertar o povo judeu do cativeiro estão no centro de um debate no país. Um jornalista e escritor de um importante jornal local quer processar Israel para cobrar uma indenização pelos prejuízos causados ao país pelas pragas.

Ahmad al-Gamal, colunista do diário Al-Yawm Al-Sabi, reconhece as pragas mencionadas na Bíblia como verdadeiras, e em cima disso, quer que o Egito seja indenizado: “Queremos ser compensado pelas 10 pragas que foram impostas a nós como resultado das maldições dos antepassados judeus que caíram sobre nossos antepassados. Eles não mereciam pagar pelo erro do governante do Egito naquela época, o faraó”, escreveu al-Gamal.

De acordo com o WND, a pedida de al-Gamal é encarada como piada por muitos dos leitores do jornal, porém, há pessoas que tomaram o texto como um argumento sério, afinal o país atravessa uma grave crise econômica e política. No lado oposto da questão, Israel é a nação com democracia mais estabelecida no Oriente Médio, e há anos desfruta de estabilidade política e econômica.

“O que está escrito na Torá demonstra que o faraó que oprimiu os filhos de Israel, não o povo egípcio. Mas caiu sobre nós a praga de gafanhotos, e nada permaneceu após a praga que impediu as águas do Nilo de ser bebida por um longo tempo, a praga da escuridão que manteve o país escuro”, explica al-Gamal. “Queremos uma compensação por todo o ouro, prata, cobre, pedras preciosas, têxteis, couro e madeira, peles de animais e outros materiais que os judeus usavam em seus rituais”, cobrou, fazendo referência ao material que foi usado para a construção de Tabernáculo no deserto.


Porém, há também quem critique o colunista, pois sendo muçulmano, o fato de ele ter citado passagens bíblicas do Antigo Testamento irritou os radicais religiosos do país.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

PROVAS DO ÊXODO DO POVO HEBREU DO EGITO



O cineasta e pesquisador Tim Mahoney se dedicou a provar que o êxodo do povo hebreu narrado na Bíblia Sagrada é um fato histórico, e o resultado do trabalho está no documentário “Patterns of Evidence: The Exodus” (“Padrões de Evidências: O Êxodo”, em tradução livre do inglês).

Interessado em provar que a visão cética de muitas pessoas a respeito da abertura do mar para a travessia dos hebreus e a peregrinação ao longo de quatro décadas pelo deserto estava equivocada, Mahoney dedicou anos de estudo em uma extensa jornada.

De acordo com informações do Christian Today, o cineasta encontrou evidências que suportam a história do Êxodo escrito na Bíblia: “O que começou como uma crise de minha própria fé levou a uma incrível viagem de descoberta”, compartilhou Mahoney.

O cineasta explicou que os arqueólogos não conseguiam encontrar evidências históricas para legitimar a narrativa do livro do Êxodo porque eles estavam olhando para o período de tempo errado.

“A maioria dos estudiosos de hoje não veem as evidências para a história do Êxodo do Egito… A maioria das pessoas que diz que não há nenhuma evidência [para o êxodo] está olhando para um período de tempo específico”, explicou, acrescentando que “quando eles olham para esse tempo e não veem nenhuma evidência, dão o caso por encerrado. Esta é uma situação onde as pessoas não têm feito as perguntas certas”.


No documentário “Patterns of Evidence: The Exodus”, ele resume suas descobertas e não apenas explora a narrativa bíblica sobre o êxodo, mas também fala sobre questões importantes ligadas ao governo de José no Egito e a conquista de Canaã pelos hebreus após a fuga.

“Eu acho que é muito provável que esses eventos aconteceram”, disse Mahoney, que está muito animado com o apoio que o documentário vem recebendo: “Nossa equipe dedicada, que trabalhou incansavelmente em ‘Patterns of Evidence: The Exodus’, não poderia ser estar mais entusiasmada com o apoio esmagador que nosso filme recebeu em todo os Estados Unidos”, concluiu.

terça-feira, 8 de setembro de 2015

ENTENDA AS DEZ PRAGAS DO EGITO.



O que representavam as 10 pragas do Egito?

Um trecho que, sem dúvida, chama muito a atenção dos cristãos ou mesmo não cristãos, é a passagem sobre as 10 Pragas que o Senhor lançou sobre o Egito.

Estas terríveis pragas tiveram por fim levar Faraó (Faraó, era o título dado ao monarca do Egito ) a reconhecer e a confessar que o Deus dos hebreus era supremo, estando o seu poder acima da nação mais poderosa que era então o Egito (Ex 9.16; 1Sm 4.8) cujos habitantes deveriam ser julgados por sua crueldade e grosseira idolatria.

Porém, poucos conhecem um importante aspecto dos planos de Deus para aquele povo e para os nossos dias. Além da principal finalidade, relatada na Bíblia, que é libertação do povo de Israel, cativo do Faraó, as 10 pragas tiveram grande importância sobre os habitantes do Egito. Deus estava desafiando os deuses egípcios.

E como se deu isso? A resposta é simples. Imagine: Por que Rãs, Gafanhotos, Águas em Sangue, Chuva de Pedras…? O certo é que Deus queria falar algo mais. O Deus de Israel estava se revelando ao Seu povo e ao Império Egípcio. Cada praga era direcionada a divindades, conforme a credibilidade do povo em confiar nesses “falsos senhores”. Abaixo você pode ver mais detalhadamente esse processo.

1) Água em sangue (Êx. 7:14-24)

A primeira praga, a transformação do Nilo e de todas as águas do Egito em sangue, causou desonra ao deus-Nilo, Hápi. A morte dos peixes no Nilo foi também um golpe contra a religião do Egito, pois certas espécies de peixes eram realmente veneradas e até mesmo mumificadas. (Êx 7:19-21)

2) Rãs (Êx. 8:1-15)

A rã, tida como símbolo da fertilidade e do conceito egípcio da ressurreição, era considerada sagrada para a deusa-rã, Heqt. Assim, a praga das rãs trouxe desonra a esta deusa. (Êx 8:5-14)

3) Piolhos – (Êx. 8:16-19)

A terceira praga resultou em os sacerdotes-magos reconhecerem a derrota, quando se viram incapazes de transformar o pó em borrachudos, por meio de suas artes secretas. (Êx 8:16-19) Atribuía-se ao deus Tot a invenção da magia ou das artes secretas, mas nem mesmo este deus pôde ajudar os sacerdotes-magos a imitar a terceira praga.

4) Moscas (Êx. 8:20-32)

A linha de demarcação entre os egípcios e os adoradores do verdadeiro Deus veio a ficar nitidamente traçada da quarta praga em diante. Enquanto enxames de moscões invadiam os lares dos egípcios, os israelitas na terra de Gósen não foram atingidos pela praga (Êx 8:23,24). Deus algum pôde impedí-la,nem mesmo Ptah, “criador do universo”, ou Tot, senhor da magia.

5) Peste sobre bois e vacas (Êx. 9:1-7) – A praga seguinte, a pestilência no gado, humilhou deidades tais como: Seráfis (Ápis) – deus sagrado de Mênfis do gado, a deusa-vaca, Hator e a deusa-céu, Nut, imaginada como uma vaca, com as estrelas afixadas na sua barriga. Todo gado do Egito morreu, mas nenhum morreu de Israel. (Êx. 9:4 e 7).

6) Feridas sobre os egípcios (Êx. 9:8-12)

Deus nesta praga zombou a deusa e rainha do céu do Egito, Neite. Moisés jogou o pó para o céu que deu um tumor ulceroso na pele do povo que doeu demais. Os magos também pegaram a doença e não puderam adorar a sua deusa e rainha religiosa. Israel novamente foi poupado dessa praga. (Êx. 9:11)

7) Chuva de pedras (Êx. 9:13-35)

A forte saraivada envergonhou os deuses considerados como tendo controle sobre os elementos naturais; por exemplo, Íris – deus da água e Osiris – deus de fogo.

8) Gafanhotos (Êx. 10:1-20)

A praga dos gafanhotos significava uma derrota dos deuses que, segundo se pensava, garantiam abundante colheita. Deus encheu o ar de gafanhotos. Os deuses egípcios (Xu – deus do ar e Sebeque – deus-inseto) não puderam fazer nada para não deixar acontecer. (Êx 10:12-15)

9) Escuridão total (Êx. 10:21-23)

Com esta praga Deus derrubou o deus principal do Egito, Rá, o deus-sol. A palavra Faraó significa sol, ele era um deus. Egito ficou nas trevas (sem ver nadinha) durante 3 dias, mas Israel ficou na luz. (Êx. 10:23).

10) Morte de todos os primogênitos (Êx. 11-12)

Inclusive entre os animais dos egípcios – A morte dos primogênitos resultou na maior humilhação para os deuses e as deusas egípcios. (Êx 12:12) Os governantes do Egito realmente chamavam a si mesmos de deuses, filhos de Rá ou Amom-Rá.
Depois disto todos souberam que Deus era o Senhor e Seu nome ficou anunciado em toda a terra. Deus destruiu todo deus falso do Egito. Na morte do primogênito Deus mostrou que Ele tem na Sua mão o poder de morte e de vida. O Faraó tinha pretensão de ser adorado, de ser uma divindade. O primogênito era, em potencial um faraó, pois era o herdeiro do trono. Deus demonstrou a falsa deidade de Faraó e seu filho.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

SERÁ QUE DEUS EXISTE? COM CERTEZA, NÃO!



Um dia, uma pessoa que se dizia ateu, chegou para um estudioso da Bíblia e disse o seguinte:

- Olhe, eu estou sabendo que o senhor é o bam bam bam da coisa ( se referindo ao conhecimento bíblico do estudioso ), mas, acredite, pra mim, Deus não existe!

Porém o ateu foi surpreendido pelo estudioso que lhe respondeu assim:

- Você tem razão, Deus não existe mesmo!

E, continuou explicando:

- O que é existir?

Se utilizando de uma caneta como exemplo disse ao ateu:

- Veja este objeto. Ele foi fabricado por uma empresa, ou seja, antes disso não existia; está tendo sua utilidade aqui, mas quando a tinta acabar, provavelmente irei descartá-lo e o mesmo deixará de existir. Porém, em relação á Deus, há uma grande diferença, pois Ele não foi criado por ninguém e nem jamais deixará de ser, portanto, Deus não existe, Deus É. Ele está muito além do simples existir!



quarta-feira, 24 de junho de 2015

VÓS SOIS DEUSES? NÃO, DE MODO ALGUM!



O que a Bíblia quer dizer com “vós sois deuses” em Salmo 82:6 e João 10:34?



Pergunta: "O que a Bíblia quer dizer com “vós sois deuses” em Salmo 82:6 e João 10:34?"

Resposta: Vamos dar uma olhada no Salmo 82, o salmo que Jesus cita em João 10:34. A palavra hebraica traduzida "deuses" em Salmos 82:6 é elohim. Ela geralmente se refere ao único Deus, mas também tem outros usos. Salmo 82:1 diz: " Deus está na congregação dos poderosos; julga no meio dos deuses." Os próximos três versículos deixam bem claro que a palavra "deuses" refere-se a magistrados, juízes e outras pessoas que ocupam posições de autoridade e domínio. Chamar um ser humano em posição de autoridade de "deus" indica três coisas: 1) ele tem autoridade sobre os outros seres humanos; 2) o poder que ele exerce como uma autoridade civil deve ser temido; 3) Ele obtém o seu poder e autoridade de Deus, o qual é retratado como julgando toda a terra no versículo 8.

Este uso da palavra “deuses” para se referir a humanos é rara, mas é encontrada em outro lugar no Antigo Testamento. Por exemplo, quando Deus enviou Moisés ao Faraó, Ele disse: "Eis que te tenho posto por deus sobre Faraó, e Arão, teu irmão, será o teu profeta" (Êxodo 7:1). Isto significa simplesmente que Moisés, como o mensageiro de Deus, estava comunicando as palavras de Deus e era, portanto, o representante de Deus para o rei. A palavra hebraica elohim é traduzida como "juízes" em Êxodo 21:6 e 22:8, 9 e 28.

O propósito de Salmo 82 é que juízes terrenos devem agir com imparcialidade e verdadeira justiça, porque esses juízes terão um dia que prestar contas ao GRANDE juiz. Versículos 6 e 7 advertem os humanos que ocupam posição de autoridade porque eles também serão julgados: " Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo. Todavia morrereis como homens, e caireis como qualquer dos príncipes." Esta passagem está dizendo que Deus tinha escolhido homens para ocupar cargos de autoridade nos quais seriam considerados como deuses entre os povos. Elas devem se lembrar que, embora estejam representando Deus neste mundo, eles são mortais e eventualmente vão ter que prestar contas a Deus por como usaram essa autoridade.

Vamos agora examinar o modo como Jesus usa esta passagem. Jesus tinha acabado de clamar que era o Filho de Deus (João 10:25-30). Em retorno, os judeus incrédulos acusaram Jesus de blasfêmia, uma vez que Ele alegou ser Deus (versículo 33). Jesus então cita Salmo 82:6, lembrando os judeus de que a Lei refere-se a homens comuns - embora homens de autoridade e prestígio - como "deuses". O objetivo de Jesus é este: você me acusam de blasfêmia por causa do meu uso do título "Filho de Deus"; mas sua própria Escritura utiliza esse mesmo termo para líderes em geral. Se aqueles nomeados divinamente para ocupar uma posição de autoridade podem ser considerados "deuses", quanto mais deve ser assim considerado o Único a quem Deus escolheu e enviou (versículos 34-36)?

Em contraste, temos a mentira da serpente à Eva no jardim. A sua declaração: "Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal" (Gênesis 3:5) era uma meia-verdade. Seus olhos estavam abertos (versículo 7), mas eles não se tornaram como Deus. Na verdade, eles perderam autoridade, ao invés de ganhá-la. Satanás enganou Eva sobre sua capacidade de tornar-se como o único Deus e com isso fez com que Ela acreditasse em uma mentira. Jesus defendeu Sua declaração de ser o Filho de Deus com fundamentos bíblicos e semânticos - há um sentido no qual homens influentes podem ser enxergados como deuses; por isso o Messias pode legitimamente aplicar esse termo a Si próprio. Os seres humanos não são "deuses" ou "pequenos deuses". Nós não somos Deus. Deus é Deus, e nós que conhecemos a Cristo somos Seus filhos.



FONTE: http://www.gotquestions.org/Portugues/vos-sois-deuses.html#ixzz3e0vquNel

segunda-feira, 1 de junho de 2015

REPORTAGEM AFIRMA QUE O ANTICRISTO ACABA DE NASCER, SERÁ?



Bom, abaixo uma reportagem sobre o nascimento do suposto antiCristo que irá governar a Terra durante os períodos de Tribulação e da Grande Tribulação. 

Esse ser, o antiCristo, irá mesmo aparecer um dia, todavia, nada irá acontecer sem que antes ocorra o Arrebatamento. 

Esse antiCristo aparecerá depois do Arrebatamento ( isso não significa que ele ainda não esteja em nosso meio ). O Arrebatamento não dará início ao Período de Tribulação, que durará 3 anos e meio e, logo a seguir, mais 3 anos e meio da Grande Tribulação. O evento que dará início a Tribulação é um falso acordo de paz em Israel feito por esse antiCristo que, nesta época, já será um grande e "bondoso" líder mundial, isso, com a noiva de Cristo já arrebatada e retirada desta Terra.

Portanto, o espaço de tempo entre o Arrebatamento e o início da Tribulação não está definido, dependerá de tais acontecimentos, e, o que se sabe, é que esses serão os 7 anos mais terríveis de toda a história da humanidade e, quando findarem os primeiros 3 anos e meio desse período, grande parte da população da Terra terá sido dizimada por catástrofes e pragas! Maranata!

Confira a reportagem:

Um bebê está sendo aclamado como o novo Anticristo

Um bebê está sendo aclamado como o novo Anticristo
Um bebê está sendo aclamado como o novo Anticristo

Um bebê está sendo aclamado como o novo Anticristo

Um bebê chamado Lúcifer Utah está sendo aclamado como o novo “Anticristo” pelos membros da igreja de satanás. O líder mundial da comunidade satânica Adans Daniels, reuniu líderes de todo mundo da comunidade satânica para anunciar a chegada daquele que vai preparar o caminho do anti-Cristo. Em Bruxelas cerca de 300 líderes satânicos do mundo todo  ovacionaram a chegada do seu ” messias “.
Palavras de Adans Daniels:
Esperávamos por ele há anos. Nas reuniões secretas Gran Satã disse que há indícios espirituais que os cristãos vão partir em breve e que esse menino será a ferramenta usada por ele para preparar a entrada do Anti-Cristo na terra, portanto, ele ainda não é o anti-cristo, mas vai realizar milagres extraordinários na terra para provar que ele vem pra  governar e fazer o bem. Satã disse que Utah vai pregar a salvação para os que ficarem e muitos vão reconhecer o seu poder, até os cristãos que ficarem. O dia que a terra estará sob o comando satânico do bem está chegando. Utah é o aviso que a nossa redenção se aproxima e os anais da história vão registrar esse acontecimento“.
O bebê que nasceu dia 15 de Abril no Hospital Universitário de Salt Lake tem provindos de controvérsia entre autoridades Mórmons e as comunidades cristãs depois que panfleteiros foram encontrados em torno do centro da cidade, alegando “o nascimento do Anticristo” e convidando não-membros e membros da Igreja de Satã, para comemorar esse nascimento”sagrado”.
Médicos que fizeram o parto disseram que o rosto do bebe brilhava a ponto das enfermeiras ficarem assustadas com o parto.  Brincando um dos médicos disse: “Esse garoto será famoso” O líder cristão americano disse que essas coisas não procede na bíblia, mas é assustador como a comunidade satânica está tratando o caso e os cristãos precisam ficar atentos aos sinais desse suposto menino.
O menino recém-nascido, chama-se Gabriel Lúcifer Whitcome Utah, e acreditam-se ser uma “encarnação do Anticristo” por seus pais, ambos membros da Igreja local Salt Lake City of Satan. Os pais ficaram chocados com a reação dos não-membros da Igreja de Satã. “Tudo que queríamos era compartilhar a boa notícia aos colegas membros da comunidade”admite o pai de 34 anos, presidente da secção local da Igreja de Satã.
“Em nosso sistema de crença, este é um momento de celebração. Nasce o nosso Messias. Tudo que queríamos era compartilhar a boa notícia, embora entendemos que o nascimento do Anticristo poderia ser interpretado como uma coisa ruim se você é da fé cristã” disse ele a repórteres locais.
O bebê nascido em “condições astrológicas auspiciosas” de acordo com os pais o faria a encarnação de Satanás . O Especialista jurídico local John Burroughs, admite que o nome é “incomum”, mas não é ilegal. “Enquanto os pais cuida bem da criança, há nenhuma razão para serviços de proteção a criança (CPS) estar envolvido” afirma o perito.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

MEIO MILHÃO DE VISITAS NO BLOG O DETALHE DA PALAVRA!


A VERDADE NEM TÃO OCULTA ASSIM!



Verdade Oculta - Você conhece quem é o "irmão" Rubens? PUBLICADO: quarta-feira, julho 03, 2013 POR: Ricardo F.S 

Rubens - Verdade Oculta

Nos tempos em que vivemos existem muitas igrejas, pastores, bíblias, cristos e pensamentos diferentes tentando se misturar a Verdade de Deus e se tornar em verdade, mas quem realmente se aprofunda no conhecimento da Palavra de Deus poderá discernir bem onde habita o erro e onde habita a mentira.

O próprio Senhor Jesus nos alertou sobre os falsos pastores com pele de ovelha que são na verdade lobos devoradores e também os apóstolos vieram posteriormente alertando isso também usando as expressões de falsos mestres e também falsos profetas que usariam de engano para tentar levar o povo após si desviá-los do caminho da verdade.

 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 Pedro 2:1 (ARCF)

Estes existem desde o princípio do mundo quando surgiram as religiões entre a humanidade. Podemos citar um dos clássicos encontrados na Bíblia que é o profeta corrupto Balaão, Hananias e tantos outros que seguiram seu próprio coração e queriam perverter o povo ao engano e ao pecado.

A Igreja ainda existe e no meio dela ainda existem os que zelam pelas nossas almas com uma vida separada e dedicada ao Senhor, zelando pelo rebanho de Deus. Mas também existem os falsos pastores, doutores e profetas pervertendo não só cristãos, mas também causando confusão na mente dos descrentes; tornando ainda mais complicado a salvação para estes.

 E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. Mateus 24:11 (ARCF)

Verdade Oculta ou Mentira Oculta?

Eu tive a infelicidade de conhecer o Verdade Oculta e seus vídeos produzidos por certo cidadão chamado irmão Rubens. A princípio eu vi alguns vídeos seus e me interessei, sobre fatos que indicam o cumprimento do Apocalipse e outros segredos do governo e mentiras da mídia.

Mas quando vi outros vídeos onde ele distorcia os ensinos bíblicos e tentava manipular as Escrituras de forma a suprimir verdades e inteirar com erros seus os ensinos, lancei seus estudos no descrédito e passei a observar melhor seus ensinos e pesquisando sempre pude constatar que haviam muitos erros em seus ensinamentos e que não passava de mais um membro da CCB (uma igreja que não investe muito no ensino das Sagradas Escrituras). Como ensinar se não aprendeu?

Infelizmente vi até mesmo irmãos da minha igreja impressionados com seus estudos apocalípticos e apregoando isso no meio de nós. Então comecei a pesquisar mais afinco sobre o Rubens e descobri que ele não passa de um cristão pertencente a uma igreja onde não ensinam a Palavra devidamente e que ele segue seus próprios conceitos sobre muitas coisas não tendo uma definição específica sobre quase tudo por faltar conhecimento.

Nessas pesquisas encontrei um vídeo mais que interessante onde um irmão fez questão de fazer uma coletânea do erros e contradições de Rubens e desmascarou o Verdade Oculta numa sequência real e até hilária. Confira nesse vídeo e tire suas conclusões:



Ele não é o primeiro a conseguir certa audiência com vídeos no canal do YouTube. Existem muitos outros por aí que nem mesmo tendo lido toda a Palavra falam do que bem entendem e ficam falando asneiras e perdidos naquilo que não entendem.

Quer um conselho, ore ao Senhor se tem dúvida sobre algo e busque examinar as Escrituras de forma prudente. Não seja um tolo e banque o louco perante milhares de visualizações como no YouTube ou em um blog como já vi por aí.

 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 Pedro 2:1 (ARCF)

Que Deus nos abra os olhos devidamente contra essas armadilhas hodiernas e nos santifique para uma vida pautada realmente na verdade. Ajude nossos irmãos e demais que zelam por apoiar a verdade em todos os sentidos compartilhando este artigo e levando a verdade a todos.

 Aos quais convém tapar a boca; homens que transtornam casas inteiras ensinando o que não convém, por torpe ganância. Tito 1:11 (ARCF)

Aqui ele dizendo que a Bíblia mente, que não é a palavra de Deus:



Sobre o Autor: Ricardo F.S é administrador da empresa Ricardo Arts em Valparaíso e dos blogs Blog Ricardo Arts,Dinheiro sem Limite e Processo Blogs na internet. Possui curso completo de informática e internet e possui anos de conhecimento com blogs. Atualmente trabalha como letrista, desenhista e pintor; prestando serviços também na web com design.  

segunda-feira, 18 de maio de 2015

NÃO SOMOS UM ESPELHO QUE REFLETE A IMAGEM DO SENHOR!



.....Você é um espelho, que reflete a imagem do Senhor...

Bom, muita gente gostou dessa música, não é mesmo? Eu, particularmente, gosto dela à bessa! Todavia, percebi na frase acima, neste trecho específico da música, que existe um erro hermenêutico muito grave. Há quem viu erros em todo o conteúdo da música em questão, ( a saber, a música se chama Raridade, do cantor Anderson Freire ) como o pessoal do Blog Bereianos, por exemplo, colocando essa canção como atropocêntrica, feita exclusivamente para o louvor do homem em detrimento de Deus e, se tiverem curiosidade, a análise deles sobre a música em questão, frase por frase, esta aqui:( http://bereianos.blogspot.com.br/2015/03/porque-nao-canto-raridade-do-anderson.html#.VVnxgkgfi1k )

Mas, vou me ater apenas à frase supra expressando minha opinião, que, como sempre digo, ninguém é obrigado a concordar com ela e, ainda, neste quesito, discordo um pouco da opinião do Blog Bereianos sobre a questão complexa da "Imagem e Semelhança" de Deus.

Sendo assim, vamos ao meu ponto de vista:

Por que não somos um espelho que reflete a imagem do Senhor?

Dois motivos:

1 - O prático:
Se aproxime de um espelho e veja o que ele vai refletir. Refletiu você, não é mesmo? Aproxime qualquer objeto a um espelho e perceberá que o mesmo refletirá o tal objeto aproximado. Feito isso, já estamos em condições de entender que para um espelho refletir a imagem do Senhor, necessariamente, o Próprio Senhor deveria estar diante dele, correto?

2 - O espiritual: 
Alguém, como andei vendo em outras opiniões sobre a tal música, poderia dizer que em II CO 3,18, fala a Bíblia exatamente sobre isso:

"Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor" II Coríntios 3.18

Temos no versículo acima dizeres sobre a Glória de Deus refletida em nós, nunca a Imagem dEle. Aliás, nem é preciso nos aprofundarmos neste assunto, pois, um ser humano, por pior que seja ele, naturalmente reflete a glória de Deus pelo simples fato de estar respirando, demonstrando estar vivo, Coisa que só o Senhor Deus pode dar: VIDA! Isso é fato, não precisa nem falar de caráter, conversão, milagres ou qualquer outra coisa.

Há também quem possa dizer que a Bíblia afirma que somos a Imagem e Semelhança de Deus. Porém, a Bíblia nunca afirmou isso! O que temos em Gênesis 1,26 e 27 é que Deus criou o Homem À (a craseado) sua imagem e semelhança, onde deve-se entender que o homem foi criado "para a"(ou para ser a) imagem e semelhança dEle e, abaixo, eu explico sobre este fato num estudo que postei aqui há muito tempo. Não deixe de ler!

É isso aí!

SOMOS À IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS?




Não importa o que consideremos “imagem e semelhança de Deus” como pode ter aprendido da tradição ou pelos ensinamentos do padre, pastor ou bispo, á maneira de cada qual PORQUE NINGUÉM É E NEM JAMAIS FOI A IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS, nem mesmo o Jesus - homem.

Esta afirmação é categórica e é dita assim com o propósito de chocá-lo, uma vez que o objetivo, nesse particular, é mostrar á luz da Palavra de Deus o que os homens são por ainda não serem, e o que muitos ignoram por ainda não saberem.

Primeiramente julgamos necessário que nos entendamos sobre o que é que Deus designa homem (e/ou deuses) (Salmo 82-6: "Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo.") em relação a Ele, único SER ilimitado e verdadeiramente inteligente em face dos Seus próprios, grandes e absolutos atributos: Eternidade, Onipotência, Onisciência e Onipresença, e que nos é intuitivo ser outras inteligências, evidentemente, limitadas pela privação dos mesmos atributos. Nesse sentido não discutiremos a forma externa com a qual o homem se apresenta pois satanás também é homem (Ezequiel 28-9: " Acaso dirás ainda diante daquele que te matar: Eu sou Deus? mas tu és homem, e não Deus, na mão do que te traspassa.") e pode se apresentar até como anjo de luz (II Coríntios 11-14:" E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz."), enquanto que, muitas vezes, foram vistos anjos em forma de varões humanos quase sempre só identificados como desta espécie por declaração própria e quando inquiridos(Josué 5-13 e 14:"E sucedeu que, estando Josué perto de Jericó, levantou os seus olhos e olhou; e eis que se pós em pé diante dele um homem que tinha na mão uma espada nua; e chegou-se Josué a ele, e disse-lhe: És tu dos nossos, ou dos nossos inimigos?  E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR. Então Josué se prostrou com o seu rosto em terra e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo? " , Lucas 1-19:"E, respondendo o anjo, disse-lhe: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e dar-te estas alegres novas"). 

Talvez tenha-se dificuldade de entender o acabamos de afirmar por termos aprendido que o homem é a imagem e semelhança de Deus, mas a Bíblia não diz que o homem foi feito sendo a imagem de Deus, mas “à imagem”, que se deve entender “para a imagem”, porque Deus sendo Espírito não tem imagem, e nem diz tão pouco ele ter sido feito semelhança de Deus, porque deste mesmo Deus do qual seria semelhança, fala inquirindo, o profeta Isaías: “A quem, pois, fareis semelhante a Deus, ou com que o comparareis? (Isaías 40-18); e noutra parte o salmista exclama: “Pois quem no céu se pode igualar ao SENHOR? Quem entre os filhos dos poderosos pode ser semelhante ao SENHOR?” ( Salmo 89-6 ). De resto o próprio Deus exclama: “A quem me assemelhareis, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes?”, deixando explícito o entendimento da inexistência de qualquer semelhante. Logo a semelhança do homem é apenas potencial, ainda...

Por outro lado poderíamos está firmando nossas bases nos léxicos que informam imagem e semelhança com o significado de uma mesma coisa. Mas desejamos esclarecer que estamos aqui tratando do homem não como nós possamos pensar que ele é, nem ainda como o padre, pastor ou bispo, ás suas maneiras, possam estar ensinando ser ele, mas sim como ele se apresenta sendo biblicamente.


Desde logo queremos explicar que, nas Escrituras, entendemos “imagem” inteiramente distinta de “semelhança”. Nelas o sentindo de imagem é aquilo que você pode refletir num espelho, e que ninguém tem para refletir igual, nesta geração, nem na que foi e nem na geração que virá, é exclusivamente a sua imagem;....




 ....e semelhança é o que você vê olhando para o seu pai, mãe e irmãos. Nesse sentido, então, só Um poderia ser a “imagem” de Deus; o Próprio Deus. E Este é o Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito do Pai. ( Hebreus 1-2 e 3" A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; ; Colossensses1-15:" O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;" )

Ora, se o Deus invisível ( sem imagem ) escolheu e designou a Jesus para a Sua Imagem, e não podendo existir duplicidade dela, já estamos em condições de entender para saber que o homem só chegará á imagem de Deus, à medida em que se tornar semelhante a Jesus. Assim, sendo Jesus, como de fato é: “a imagem” expressa de Deus, quando NAQUELE GRANDE DIA (já as portas) recuperar “a semelhança’ perdida em favor do homem ( Filipenses 2-7: Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; I Coríntios 15-51 e 52; Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.), que por sua vez será transformado á semelhança dEle, virá a ser a expressa “semelhança” de Deus, já tendo a imagem.

Ou seja, ainda: O Homem ideado por Deus em Genesis 1,26 ( E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; ) ainda não existe. Somente existirá quando formos um em Cristo, num tempo que está próximo.

É isso aí!

Copie e cole o link abaixo e leia todas as postagens desta série:

( http://odetalhedapalavra.blogspot.com/search/label/Ad%C3%A3o )



Read more: http://odetalhedapalavra.blogspot.com/2011/02/somos-imagem-e-semelhanca-de-deus.html#ixzz3aViFgfal

sábado, 16 de maio de 2015

DEUS NÃO QUER QUE FALEMOS BEM DE RELIGIÕES, ELE NÃO "CABE" EM NENHUMA DELAS



A Justiça determinou que a TV Record e a Rede Mulher produzam e exibam quatro programas especiais sobre religiões afro-brasileiras, com teor explicativo. Ambas as emissoras foram condenadas a conceder o direito de resposta a essas religiões por terem exibido matérias que foram consideradas ofensivas.

A ação que resultou na sentença foi ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), em conjunto com o Instituto Nacional de Tradição e Cultura Afro-Brasileira (INTECAB) e o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e da Desigualdade (CEERT).

Em uma decisão liminar, a juíza federal Marisa Cláudia Gonçalves Cucio entendeu que a exibição de relatos de pessoas que se converteram à Igreja Universal, mas antes eram adeptas às religiões afro-brasileiras, sendo tratadas como “ex-bruxa”, “ex-mãe de encosto” e acusadas de terem servido aos “espíritos do mal” era um desserviço à população.

“Este tipo de mensagem desrespeitosa, com cunho de preconceito […] tem impacto poderoso sobre a população, principalmente a de baixa escolaridade, porque é acessada por centenas de milhares de pessoas que podem recebe-la como uma verdade”, explicou a juíza Marisa Cucio na ocasião.

As emissoras recorreram, mas o juiz Djalma Moreira Gomes, da 25ª Vara Federal Cível em São Paulo (SP) decidiu que as emissoras incorreram em ofensa às religiões afro-brasileiras. “Os fatos imputados na inicial estão comprovados e são, ademais, incontroversos”, afirmou o juiz na sentença, acrescentando que as rés sequer negaram as acusações, procurando extrair a “conotação de ofensivos” que foram atribuídos pelos autores.

Na sentença, Gomes menciona trechos Constituição Federal que tratam dos serviços a que as emissoras de TV são incumbidas, e frisa que estes devem ser “prestados visando à consecução dos fins da República Federativa do Brasil, entre eles a promoção do bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.


O juiz destaca que como concessão pública, as emissoras são “longa manus [termo em latim que significa executor de ordens] do Estado no desempenho dessa atividade, e como o próprio Estado deve se comportar no cumprimento das regras e princípios constitucionais legais”.

A decisão obriga a Record e a Rede Mulher a produzirem quatro programas com duração mínima de uma hora cada, usando seus próprios espaços físicos, equipamentos e pessoal técnico. Cada programa deverá ser exibido duas vezes, nos horários que as ofensas foram veiculadas, com três chamadas para a exibição no dia ou na véspera.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

A INCRÍVEL HISTÓRIA DE UMA MULHER QUE FOI ABENÇOADA POR DUAS SOGRAS!


Não, não tem nada a ver com a imagem....

As Duas Sogras de Rute:

Se tiver alguns minutos, pegue a sua Bíblia e leia o pequeno livro de Rute (leva menos de 10 minutos para ler o livro inteiro). Rute era uma viúva moabita que acompanhou sua sogra, Noemi, quando esta (também viúva) voltou para a terra de Israel. Lá, Rute conheceu Boaz, um bom homem, e casou-se com ele. A história de Rute se enquadra no período da história relatada no livro anterior (Juízes). O autor de Rute apresenta alguns fatos importantes, mas provavelmente não se preocupou em completar todos os dados genealógicos. Deu para nós informações suficientes para entender a importância de algumas mulheres destacadas neste livro.

Registros genealógicos na Bíblia, às vezes, pulam gerações; em alguns casos filho pode significar neto ou descendente. É bem possível que isso tenha acontecido na genealogia no final do livro de Rute, onde nove gerações abrangem um período de mais de 600 anos. Conforme esta lista genealógica, Rute, uma moabita, seria a bisavó de Davi, e este fato garantiu o lugar dela na história. Rute é uma das poucas mulheres citadas especificamente na genealogia de Jesus Cristo (veja Mateus 1:5).

Partindo da mesma genealogia, observamos a posição honrada de algumas outras mulheres nesta história. A integridade de Noemi, que buscou refúgio entre seu próprio povo de Israel depois de passar por uma série de tragédias pessoais, é um dos temas deste livro. Quando comparamos o relato de Mateus 1, percebemos um destaque dado a algumas mulheres que poderiam ter sido desprezadas se não fosse pela bondade de Deus. Entre as mulheres citadas neste registro dos antepassados de Jesus são Rute e sua segunda sogra, Raabe (Mateus 1:5). Quem conhece a história do povo judeu na época da conquista da terra de Canaã lembrará do nome de Raabe. Quando os espiões israelitas chegaram à cidade de Jericó, “. . . entraram na casa de uma mulher prostituta, cujo nome era Raabe, e pousaram ali” (Josué 2:1). Apesar da sua conduta imoral antes deste momento, Raabe demonstrou sua fé em Deus e, depois, casou-se com um israelita.

Ao invés de menosprezar estas mulheres por serem estrangeiras ou, no caso de Raabe, uma ex-prostituta, a história bíblica conserva os nomes das duas por outro motivo. Estas mulheres, embora nascidas de nações pagãs, decidiram se agregar ao povo de Deus. Raabe ajudou os israelitas contra Jericó, e Rute seguiu sua primeira sogra quando deixou sua terra natal para morar em Israel. Desta maneira, as duas ganharam o privilégio de fazer parte da família de Jesus.

Não importa onde nós começamos nesta vida, temos o mesmo privilégio de escolher um lugar na família de Cristo. O próprio Jesus frisou este fato quando fez uma distinção importante entre a família carnal e a família espiritual: “Porque qualquer que fizer a vontade de meu Pai celeste, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mateus 12:50). Deus é capaz de perdoar e usar pessoas que dedicavam suas vidas ao pecado, seja na prostituição, na desonestidade, nos vícios, ou na negligência, menosprezando as coisas do Senhor.

Mais de 1.000 anos depois de Rute, um descendente dela nasceu na pequena cidade de Belém de Judá. Foi a mesma cidade onde Rute conheceu Boaz. Este descendente não tinha o perfil dos grandes reis e imperadores do mundo, mas se tornou mais forte e mais influente do que qualquer um deles. Ele não tinha intenção de competir com líderes políticos, pois a missão dele foi outra. Este descendente de Rute descreveu seu propósito nestas palavras: “Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes; não vim chamar justos, e sim pecadores” (Marcos 2:17). Jesus mostrou compaixão para com os pobres, os estrangeiros e as prostitutas, olhando para cada pessoa com amor e o desejo de resgatar homens e mulheres dos seus próprios pecados (leia Mateus 11:4-6; 15:21-28; 21:32).

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João 3:16-17). Busquemos a salvação oferecida por este descendente de Raabe e Rute!

–por Dennis Allan

sexta-feira, 8 de maio de 2015

ATENÇÃO BACHARÉIS LIVRE EM TEOLOGIA: PARECER 063 SERÁ REVOGADO



ATENÇÃO: EM JULHO/15, O GOVERNO FEDERAL REVOGARÁ O PARECER 063, QUE AUTORIZA A CONVALIDAÇÃO DE CRÉDITOS EM TEOLOGIA. PORTANTO, SE VOCÊ TEM O BACHAREL LIVRE EM TEOLOGIA, NÃO PERCA ESSA OPORTUNIDADE DE TRANSFORMÁ-LO EM UM CURSO SUPERIOR EM APENAS 1 ANO. ALUNOS MATRICULADOS ATÉ O FINAL DE JUNHO, TERÃO DIREITO ADQUIRIDO!

ENTRE JÁ EM CONTATO CONOSCO:

https://institutomenoradeteologia.wordpress.com

domingo, 5 de abril de 2015

ONDE ESTÁ A ARCA DA ALIANÇA?



Se eu acredito que a arca da aliança foi descoberta? Bem, tirando a descoberta feita por Indiana Jones, ninguém mais sabe onde ela está. Segundo a Wikipedia, os lugares onde a arca supostamente estaria incluem o Monte Nebo, a Etiópia, o sul da África, França, Estados Unidos, Roma, Inglaterra, Irlanda e Egito, além de alguns que alegam que ela esteja escondida sob a esplanada do Templo (onde existe uma Mesquita e acho que foi o lugar onde Indiana Jones a encontrou) ou enterrada sob o monte da Caveira onde Cristo foi crucificado. Existem ainda os que acreditam que ela esteja em São Paulo, mas ali não passa de uma arca falsa colocada em um templo falso.



Se alguém descobrir o que sobrou da verdadeira arca, isso não terá importância alguma, pois ela já cumpriu o seu papel quando foi construída, que era o de representar a Cristo, como testemunho de Deus na terra, e também a aliança de Deus para com o seu povo de Israel. A "Arca da Aliança" ou "Arca do Testemunho" ou "Arca de Jeová" como é chamada na Bíblia, era uma caixa de madeira de acácia medindo 1,30 centímetros de comprimento por 79 centímetros de altura e largura, revestida de puro ouro por dentro e por fora. Nas laterais havia anéis de ouro nos quais eram enfiados varais para carregá-la. Sobre ela havia uma tampa, chamada de "propiciatório", com duas figuras de querubins.

A arca era uma figura de Cristo em sua manifestação em perfeita justiça (ouro) revestindo a madeira (humanidade, pois a madeira cresce a partir da terra). A tampa ou propiciatório representava o trono de Jeová na terra. Dentro da arca havia as duas pedras da Lei, que representavam a justiça que Deus exigia do homem, um pote de ouro contendo o maná, e a vara de Aarão que floresceu. O conjunto todo também apontava para Cristo, Deus e Homem, o único que podia cumprir toda a justiça de Deus, além de significar sua graça sacerdotal para com o pecador (a vara de Aarão que floresceu, não a de Moisés que feriu a rocha) e alimento (o pão que desceu do céu), como descreve Hebreus 9:3-5:

"Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos, que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança; e sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório".

Assim como Cristo foi um peregrino aqui, e o cristão também é, a arca peregrinou até o Templo de Salomão ser construído em Jerusalém, quando ela descansou em seu lugar na terra. Quando ela é vista no templo em 1 Reis ali é dito que "na arca nada havia, senão só as duas tábuas de pedra, que Moisés ali pusera" (1 Rs 8:9). O povo já não era peregrino e não precisava mais do maná, pois podia comer do grão da terra prometida, e o sacerdócio de Cristo em seu caráter itinerante também não era mais necessário como nos tempos da peregrinação.

"E todos os homens de Israel se congregaram ao rei Salomão, na ocasião da festa, no mês de Etanim, que é o sétimo mês. E vieram todos os anciãos de Israel; e os sacerdotes alçaram a arca. E trouxeram a arca do SENHOR para cima, e o tabernáculo da congregação, juntamente com todos os objetos sagrados que havia no tabernáculo; assim os trouxeram para cima os sacerdotes e os levitas. E o rei Salomão, e toda a congregação de Israel que se congregara a ele, estava com ele diante da arca, sacrificando ovelhas e vacas, que não se podiam contar nem numerar pela sua quantidade. Assim trouxeram os sacerdotes a arca da aliança do SENHOR ao seu lugar, ao oráculo da casa, ao lugar santíssimo, até debaixo das asas dos querubins. Porque os querubins estendiam ambas as asas sobre o lugar da arca; e os querubins cobriam, por cima, a arca e os seus varais. E os varais sobressaíram tanto, que as pontas dos varais se viam desde o santuário diante do oráculo, porém de fora não se viam; e ficaram ali até ao dia de hoje. Na arca nada havia, senão só as duas tábuas de pedra, que Moisés ali pusera junto a Horebe, quando o SENHOR fez a aliança com os filhos de Israel, saindo eles da terra do Egito." (1 Rs 8:2-9).


A importância da arca não estava no que ela era materialmente falando, mas no que significava. A arca representava a aliança ou concerto de Deus com o seu povo de Israel (além de ela ter outros significados, como as particularidades que apontam para Cristo). Como Israel foi rejeitado "em parte" (Romanos 11:25), a arca nunca mais foi vista na terra. Mas ela é vista no céu em Apocalipse 11:19 mostrando que Deus ainda se lembra do concerto que fez com seu povo, o qual voltará a ser restaurado no futuro.

"E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca da sua aliança foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos e grande saraiva." (Ap 11:19).

"Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados. Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento." (Rm 11:25-29)

A última menção da arca no Antigo Testamento talvez seja a do profeta Jeremias, mas ali ele fala de um tempo ainda futuro, do milênio, quando Cristo estiver reinando e já não existir necessidade da arca porque eles terão o próprio Senhor (o qual a arca também era uma representação).

"E sucederá que, quando vos multiplicardes e frutificardes na terra, naqueles dias, diz o SENHOR, nunca mais se dirá: A arca da aliança do SENHOR, nem lhes virá ao coração; nem dela se lembrarão, nem a visitarão; nem se fará outra." (Jr 3:15).

por Mario Persona

quinta-feira, 26 de março de 2015

LOUCOS POR JESUS?! 'TÔ FORA!



Mateus 5:22 :

 Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno.


JESUS revela que a ofensa verbal está no mesmo nível de um assassinato.  Racá era uma antiga expressaão aramaica “rêgâ” que originou a palavra hebraica “rêqüim” usada no tempo dos juízes (Jz 11:3) para indicar pessoas de mau caráter, levianas e traidoras.  De maneira curiosa, essa era uma expressão freqüentemente usada na tradição rabínica, associada ao vocábulo “nãbhãl” (néscio), para se referir aos insensatos e sem sabedoria.   Já a palavra grega “more”, traduzida, em algumas versões como “louco”, tem sua origem na expressão hebraica “moreh” (desgraçado), alguém que por não crer em DEUS merecia o inferno.   O cerne do ensino de JESUS está em que o pecado que leva alguém a ofender outra pessoa é o mesmo que motiva o assassinato.   O vocábulo grego “synedrio” cujo correspondente hebraico é “sanhedrin” refere-se ao mais alto tribunal dos judeus, que se reunia em Jerusalém.  “Synedrion” deu origem à expressão grega “presbyterion” que significa “corpo de anciãos” (Lc 22:66;  At 22:5) e “gerousia” que expressa “senado” (At 5:21).  A expressão “fogo do inferno” tem a ver com o vale de “Hinom” em hebraico “ge’hinnom” que deu origem ao nome grego do lugar: “geena”.  Durante o reinado dos perversos de Acaz e Manassés, sacrifícios humanos ao deus amonita “maloque” foram realizados em “geena”.  Josias profanou o vale por causa das oferendas pagãs que realizou-se naquele lugar (II Re 23:10;  Jr 7:31-32;  19:6).   Com o passar do tempo, esse vale se transformou num grande depósito de lixo, constantemente em chamas, o que fez a palavra “geena” significar o lugar dos perdidos, imprestáveis e destinados ao fogo que nunca se apaga.


Pensemos Nisso!

Gentileza:  Pr  J. C. Madeira
madeira.jose@uol.com.br
http://prmadeira.blogspot.com

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

ESPÍRITOVAL: ADEUS AO ESPÍRITO??



Você sabe qual a origem da palavra CARNAVAL? Segundo o Wikipédia, é o seguinte:

""O Carnaval é uma festa que é marcada pelo "adeus a carne" que a partir dela se fazia um grande período de abstinência e jejum, como o seu próprio nome em latim "carnis levale" o indica...""

Pois é, Carnaval, palavra originada do Latim "CARNIS LEVALE" significa "ADEUS A CARNE". Agora, pois, alguém que consiga usar pelo menos um dos dois neurônios (o Tico ou o Teco, tanto faz), poderia me explicar o que significa ESPÍRITOVAL?

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

TRÊS PECADOS QUE ATRAPALHAM UMA IGREJA: CIÚME, INVEJA E CONTENDA!



Aristóteles definia ciúmes como o desejo de ter o que outra pessoa possui. Era originariamente uma palavra boa e referia-se ao desejo de imitar uma coisa nobre da outra pessoa.  Mais tarde a palavra passou a ser associada com um desejo lascivo daquilo que pertencia a outra pessoa.  Salomão reconheceu a vaidade (inutilidade) desse pecado quando disse:  "Então vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo" (Eclesiastes 4:4).  Tentar "seguir o padrão de vida do vizinho" é um pecado que não somente nos impedirá de ir para o céu, mas também mesmo nesta vida nos tirará a satisfação (Filipenses 4:12-13).

Embora o ciúme simplesmente cobice a riqueza e a honra  dos outros, a inveja é algo que se faz acompanhar de rancor.  A inveja não é necessariamente querer para nós mesmos, mas simplesmente querer que seja tirado do outro.  A inveja é o sentimento de infelicidade produzido por presenciarmos a vantagem ou a prosperidade do outro.  Os invejosos se incomodam com os sucessos dos amigos.

O ciúme e a inveja são sempre seguidos da contenda na igreja (Romanos 13:13; 1 Coríntios 3:3).  Quando nos magoamos por causa daquilo que outros conquistaram, quer financeiramente, quer na reputação, a ambição egoísta nos torna arrogantes contra o nosso irmão (Tiago 3:14).  O ciúme dos coríntios para com os pregadores gerou contenda e divisão (1 Coríntios 3:3-4).  Os irmãos ciumentos estão associados com a contenda, com a ira, com as disputas, as maledicências, a difamação, a arrogância e as perturbações (2 Coríntios 12:20).  O ciúme e a inveja levaram os irmãos de José a querê-lo morto, geraram a rebelião de Coré, levaram Caim a matar Abel, o Sinédrio a matar Jesus e aprisionar os apóstolos.  Muitos hoje e no primeiro século pregam e pregaram a Cristo movidos pela inveja (Filipenses 1:15).  São zelosos pela causa de Cristo, mas esse zelo é motivado pelo desejo de desacreditarem outros irmãos.

A contenda nasce da inveja, da ambição e do desejo de prestígio, de posição e de destaque.  É o espírito que nasce da competição desmedida e ímpia.  A contenda corre solta quando os cristãos odeiam ser superados.  Domina quando o homem se esquece que só o que se humilha pode ser exaltado.  Os irmãos invejosos e competitivos cobrem o seu pecado com debates "consagrados" sobre as palavras e sobre as questões controversas (1 Timóteo 6:4-5).  Que a nossa posição a favor da verdade não seja obscurecida com o motivo pecaminoso da inveja que nos conduz à contenda.

Uma vez que a contenda entra na igreja, o culto passa a ser inviabilizado.  Os cristãos, e mesmo os presbíteros e pregadores, ficam tão preocupados com os seus direitos, dignidade, prestígio, práticas e procedimentos que fica impossível haver uma atmosfera que dê margem ao louvor e à adoração.  Com o ciúmes e a inveja no coração, não podemos fazer julgamentos justos; o julgamento parcial só gera mais contenda.  A adoração a Deus e as disputas dos homens não combinam.

O ciúme e a inveja parecem ser os últimos pecados a desaparecer da vida do Espírito.  Após a longa lista que Paulo apresenta de pecados da carne e do fruto do Espírito em Gálatas 5, ele conclui o seu pensamento com a advertência:  "Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.  Não nos deixemos possuir de vanglória, provocando uns aos outros, tendo inveja uns dos outros" (5:25-26).  Ninguém acusou os apóstolos durante o ministério de Jesus de fornicação, impureza, sensualidade, idolatria, feitiçaria, embriaguez e orgias ­ mas na noite antes de Jesus morrer, eles eram invejosos e cheios de contenda (Lucas 22:24).  Não é necessário participar do trabalho da igreja por muito tempo para descobrir que fonte eterna de problemas é a inveja.

Como corrigimos o espírito invejoso e ciumento em nós mesmos?  "Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram.  Tende o mesmo sentimento uns para com os outros; em lugar de serdes orgulhosos condescendei com o que é humilde; não sejais sábios aos vossos próprios olhos" (Romanos 12:15-16).  "Finalmente, sede todos de igual ânimo, compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes, não pagando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo" (1 Pedro 3:8-9).

"Ora, é em paz que se semeia o fruto da justiça, para os que promovem a paz" (Tiago 3:18).  Todos estamos tentando ceifar uma colheita resultante da boa vida, mas as sementes que produzem essa colheita jamais podem brotar numa atmosfera que não seja aquela com os relacionamentos corretos.  O grupo em que há inveja e contenda é um solo infértil, em que não pode crescer nenhuma colheita justa.

Autor: Darrell Hymel

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

CUIDADO COM OS PESCADORES DE AQUÁRIO, VOCÊ PODE SER O PRÓXIMO PEIXE!



Segundo o evangelho de Mateus 4.18-19, ao se encontrar com Pedro e André, pescadores do mar da Galiléia, o Senhor Jesus lhes falou o seguinte: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. Aqueles homens seriam transformados em pregadores do evangelho. Para quem eles pregariam o evangelho? Qual a condição espiritual de seus ouvintes? A resposta se encontra em vários textos bíblicos, mas, nos deteremos em examinar a clássica citação de Marcos 16.15-16, que diz: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai (gr. Keríksate, proclamai) o evangelho (gr. euangélion, boa-nova) a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo (gr. sothesetai); quem, porém, não crer será condenado.

Fica claro aqui, que a grande missão da igreja ao ser constituída seria pregar a “boa-nova” aos “não-salvos”, para que ouvindo, pudessem crer recebendo o Senhor Jesus como salvador (Romanos 10.13-15).

PESCADORES DE AQUÁRIOS

O que são “pescadores de aquários”? Este termo identifica aqueles obreiros, pregadores, pastores, irmãos, etc., que abandonam suas Convenções, Denominações, Igrejas, Congregações, etc., e partem para abrir uma nova Convenção, Denominação, Igreja, congregação, etc. Acontece que ao invés de partirem para pregar o evangelho aos não crentes, por uma questão de comodidade, esperteza e “coisas semelhantes a estas”, resolvem ir à busca dos que já são salvos, membros e congregados de outras igrejas.

COMO AGEM

Segue abaixo algumas práticas e estratégias dos “pescadores de aquários”:

1.Promovem eventos e convidam os crentes das outras igrejas para participarem. Este convite tem como propósito assediar os irmãos, ou seja, tentar conquistá-los, fazer com que deixem sua igreja de origem. Conheço um que mesmo saindo da igreja de maneira profundamente deselegante, ainda teve a cara-de-pau de convidar um grupo musical da mesma igreja de onde saiu, para cantar e tocar no seu novo “empreendimento”. Como já se diz por ai, “haja óleo de peroba”!

2.Há também aqueles que descaradamente vão às casas dos irmãos, de porta em porta e os convidam sem muito protocolo para se associar a ele. A pescaria aqui é feita com “vara”.

3.Utilizam-se quando dispõem de recursos financeiros ou de patrocinadores (alguns crentes abastados e igualmente insatisfeitos), do rádio e da televisão para atrair os fiéis. Aqui a pesca é feita com uma grande “rede”.

4.São grandes oradores, pregam bonito, falam em línguas, choram, profetizam bênçãos, se apresentam sempre com uma aparência impecável. Soltam a voz e apelam: “você meu irmão espírita, macumbeiro, católico, evangélico, venham, aqui a oração é mais forte, a benção chega mais rápido, a saúde, o dinheiro! Dizem ainda: Aqui só tem doutrina, não precisa se preocupar com costumes! Na realidade eles não se preocupam é com os “bons costumes”.

5.Recebem em suas igrejas crentes sob disciplina, doentes espiritualmente, em pecado, problemáticos, insubmissos, rebeldes, etc., e sem nenhum tratamento ou cuidado especial arrumam logo um cargo ou ocupação para não deixar o peixe (de aquário) escapar.

De fato, estes “pescadores de aquários” não estão comprometidos com o crescimento do reino de Deus, mas sim, com o seu fracionamento. Enquanto fracionam o reino, procuram tirar proveito, enchendo os próprios bolsos, ampliando seu patrimônio pessoal e adquirindo o status de donos de igrejas, presidentes de convenções, ministérios, e por ai vai.

Cuidado com os “pescadores de aquários”, você pode ser o próximo peixe!!!!!!!!

domingo, 18 de janeiro de 2015

POR QUE TERRORISTAS ISLÂMICOS MATAM?



Os terroristas islâmicos matam por egoísmo. Desde cedo são doutrinados a buscarem a morte violenta em nome de Alá para si e para os infiéis, se quiserem ser perdoados dos pecados e merecer o Paraíso, onde só entram Profetas, Justos e Shahids ou mártires. Tão logo seja detonada a bomba que tem grudada ao corpo, ou o terrorista seja atingido pelas balas dos infiéis, ele será recepcionado como mártir no Paraíso por 72 virgens de olhos negros, pele branca e cabelos pretos que não ficam menstruadas, não evacuam e são perfeitamente depiladas. Ali ele tomará vinho, o que era proibido aqui na terra, e terá à disposição 72 camas para se esbaldar de prazer. Enquanto isso uma rua na Palestina ganhará uma placa com seu nome e crianças e jovens serão incentivadas a seguir seu exemplo.

Já as meninas terroristas são motivadas pela promessa de viverem nuas com corpos translúcidos satisfazendo os desejos desses valentes rapazes que deram suas vidas pelo prêmio que elas irão lhes proporcionar. São elas que compõem o time de 72 virgens que formarão o harém exclusivo de cada mártir masculino. Para quem vive numa cultura islâmica isso não tem nada de promiscuidade, pois as 72 mulheres só poderão ter um homem como esposo e cada homem só poderá se deitar com seu próprio harém. Acredite se quiser, mas existe um componente romântico em tudo isso, e não pense que eu esteja sendo sarcástico ou desrespeitoso para com a religião islâmica. Qualquer muçulmano com um mínimo de inteligência e conhecimento do Alcorão saberá que esta é a descrição encontrada nos sites de sua religião, e é baseada em seus textos sagrados.

Com uma motivação assim qualquer jovem desencontrado e recalcado estará pronto a obedecer cegamente os clérigos radicais islâmicos. Por sua vez os clérigos que recrutam, doutrinam e lavam a mente desses jovens também o fazem visando um prêmio, que é a notoriedade em seu círculo religioso por sua capacidade de formar um grande e fiel exército de soldados de Alá. Pense em um time de futebol: os terroristas são os jogadores e os clérigos os técnicos. E a torcida? Esta é formada pelo povo simpatizante, que vibra cada vez que um jovem marca um gol ao se despedaçar com suas vítimas numa explosão ou ser abatido por uma rajada de balas de soldados infiéis. Alguns destes infiéis costumam lubrificar suas balas com gordura de porco a fim de ultrajar os muçulmanos, já que o consumo desta carne é proibido naquela religião.

Enquanto os que estão fora dessa cultura assistem horrorizados os vídeos dos atentados na TV, para os simpatizantes da causa isso é como assistir "American Idol". Se você duvida, procure no Youtube por vídeos do povo festejando nas ruas de comunidades islâmicas a queda das torres no 11 de setembro ou algum outro atentado de grande repercussão.

E as armas? Bem, dinheiro é o que não falta entre os magnatas do petróleo do mundo islâmico, mas para muitos o dinheiro não é suficiente para ganhar notoriedade e prestígio entre os seus pares. A solução é investir em algum grupo terrorista do mesmo modo que um magnata ocidental investiria em um time de futebol para ser notícia. Isso faz bem para a imagem e para os negócios em uma cultura pautada numa religião que promove a conversão dos infiéis pela espada. Mas não pense que ataques islâmicos sejam atos tresloucados desprovidos de planejamento, consciência e critério. Segundo uma sobrevivente, um dos dois terroristas que fuzilaram os cartunistas do "Charlie Hebdo" repetiu várias vezes para o outro que eles não matavam mulheres. Mas o outro parece não ter escutado, pois acabou fuzilando Elsa Cayat. Em 2013, no ataque a um shopping center no Quênia, para identificar e poupar muçulmanos os terroristas perguntavam antes a cada um o nome da mãe do profeta Maomé. Quem não soubesse era morto.

Enquanto o clérigo radical é o que podemos chamar de "coach" motivacional, a célula ou grupo terrorista se incumbe de treinar, aparelhar e enviar o futuro mártir para sua missão. Esse grupo precisa mostrar serviço se quiser obter o financiamento dos magnatas em suas tendas refrigeradas, daí o maior IBOPE ficar com os grupos que promoverem as ações mais cruéis, sangrentas e espetaculares. Aparentemente ninguém nesse meio tinha atingido o status de Osama Bin Laden e da Al-Qaida, mas no momento em que escrevo parece existir uma certa competição entre Al-Qaida e ISIS pela audiência. Por isso mais de um grupo pode acabar reivindicando a responsabilidade por um ataque e depois ser desmentido, por ter sido praticado por algum psicopata de turbante sem ligação com qualquer grupo islâmico.

Resumindo, o terrorista mata e morre pelo prazer que lhe espera no Paraíso, enquanto clérigos, magnatas e grupos radicais têm no dinheiro e no prestígio a recompensa que procuram. Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento de marketing e natureza humana é capaz de chegar a esta conclusão. Mas o egoísmo de fazer algo em troca de recompensa não se restringe ao mundo islâmico. Adam Smith, considerado o pai da economia, afirmava no século 18 que "não é da benevolência do padeiro, do açougueiro ou do cervejeiro que eu espero que saia o meu jantar, mas sim do empenho deles em promover seu interesse próprio". Em suma, o que move a civilização ocidental judaico-cristã é o mesmo motor do egoísmo que acende o pavio da bomba do terrorista. Pergunte a Caim se não foi isso que o levou a matar seu irmão. Pergunte ao presidente da mais poderosa nação do planeta se não é isso que os torna dispostos a fazer qualquer coisa para garantir o "american way of life".

Uma vez visitei uma mulher muito católica, que estava há anos numa cama com dores horríveis por conta de uma artrose deformante. Depois de ouvir o evangelho da caridade de Deus, da graça e da salvação pela fé em Cristo, pregado por um irmão que estava comigo, ela se enfureceu e passou a gritar: "Como assim?! Quer dizer que todos esses anos de dor e sofrimento não contam para minha salvação?!". Espero sinceramente que antes de sua morte ela tenha sido desarmada pela graça de Deus e tenha se livrado do explosivo dos sofrimentos que levava em seu corpo, nos quais ela tanto confiava para chegar ao Paraíso.

por Mario Persona