GERAÇÃO PRÉ-ADÂMICA

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

PRATIQUE "FILEMON GO" VERSÃO 5.0.



A carta de Paulo a Filemon é a mais breve entre as cartas que formam a coletânea paulina e consiste apenas em 335 palavras no grego original. É pequeno no tamanho e profundo em seu conteúdo. O ilustre comentarista bíblico Albert Barnes a chama de uma brilhante e bela gema no tesouro dos livros inspirados.

William MacDonald afirma que, embora essa carta não seja doutrinária como as demais missivas do apóstolo, é uma perfeita ilustração da doutrina da “imputação”.

Paulo se apresentou como mediador entre Onésimo e Filemon para quitar todo o débito de Onésimo. A dívida de Onésimo foi colocada na conta de Paulo, que se dispôs a pagá-la. Esse fato lança luz sobre a bendita verdade de que nossa dívida impagável não foi colocada em nossa conta (2 Co 5.19), mas na conta de Cristo (2 Co 5.21), e Ele, com sua morte, riscou o escrito de dívida que era contra nós, quitando completamente nosso débito. Além disso, sua justiça completa e perfeita foi colocada em nossa conta (2 Co 5.21).

Essa identificação é uma ilustração do que Jesus fez por nós. Lutero disse que todos nós somos Onésimos. Jesus se identificou de tal forma conosco que o Pai nos recebe como ao próprio Filho. Somos aceitos no Amado (Ef 2.6). Fomos vestidos com sua justiça (2 Co 5.21). A palavra “recebe-o” no versículo 17 é receber dentro do círculo familiar. Imagine um escravo entrando dentro do círculo familiar do seu senhor. Imagine um pecador (como nós) entrando na família de Deus!

A seguir veremos os 5 fatos que revelam o valor dessa epístola:

1)   O valor pessoal – Essa epístola nos mostra de forma eloqüente o caráter do apóstolo Paulo. Transbordam dessa pequena carta seu amor, humildade, cortesia, altruísmo e tato.

2)   O seu valor providencial – Aprendemos nessa carta que Deus pode estar presente nas circunstâncias mais adversas (v. 15). Quando as coisas parecem fora de controle e as rédeas saem das nossas mãos, descobrimos que elas continuam sob o controle soberano de Deus. Aquilo que nos parecia perda é ganho. Deus reverte situações humanamente impossíveis. Ele ainda transforma vales em mananciais.

3)   O seu valor prático – Se não há causa perdida para Deus, também, não há vida irrecuperável. Onésimo era um escravo rebelde e fugitivo. Nada havia nele que o pudesse recomendar. No entanto, pela graça de Deus ele foi salvo, transformado e voltou à casa de seu senhor não como um criminoso, mas como um amado irmão em Cristo, membro da família de Deus.

4)   O seu valor social – O cristianismo venceu a escravidão não pela revolução das armas, mas pelo poder do amor. Na época de Paulo a escravidão era uma dolorosa realidade. Os estudiosos dizem que havia aproximadamente 60 milhões de escravos naquela época. Os escravos não tinham direitos legais. Pela mínima ofensa eles podiam ser açoitados, mutilados e até mesmo crucificados. Porém, a conversão a Cristo uniu na mesma família da fé e na mesma igreja senhores e servos. Amo e escravo foram unidos no Espírito Santo e nessa união foram extintas todas as distinções sociais (Gl 3.28).

5)   O seu valor espiritual – A carta de Paulo a Filemon nos apresenta alguns símbolos notáveis da nossa salvação: Onésimo abandonando seu amo. Paulo encontrando-o, intercedendo em seu favor, identificando-se com ele. O seu oferecimento de pagar a dívida e a recepção de Onésimo por Filemon por causa de Paulo; a restauração do escravo solicitada “[...] em nome do amor” (v. 9). Todas essas figuras lançam luz acerca da nossa grande salvação em Cristo.

Quero desafiar o nobre leitor [a] a ler e reler esta preciosa carta de Paulo a Filemon. Uma carta tão pequena, mas de verdades sublimes e eternas para as nossas vidas.

Nele, que nos livrou da escravidão e nos concedeu a verdadeira liberdade,

Pr Marcelo Oliveira para o Gospel Prime

segunda-feira, 25 de julho de 2016

NÃO É PECADO JULGAR!



Jesus disse: “Não julgueis, para que não sejais julgados” (Mateus 7:1). Este versículo é citado por muitas pessoas para condenar qualquer pessoa que critica as doutrinas ou práticas religiosas de outros. Ironicamente, as pessoas que assim usam o texto não percebem que estão julgando a outra pessoa culpada de desobedecer esta proibição! É pecado julgar? Como é que devemos entender essas palavras de Jesus?

Jesus condena o julgamento hipócrita. Ele emprega uma imagem engraçada para ilustrar o ponto. Uma pessoa está sofrendo por causa de um cisco no olho, quando vem a outra oferecendo tirá-lo. Só que a outra, o juiz hipócrita, tem uma viga no olho dela! Jesus disse que temos que tirar nossas próprias vigas antes de remover os ciscos dos outros. Não devemos condenar os probleminhas dos outros quando praticamos pecados mais graves.

Jesus condena a atitude negativa do censor. Algumas pessoas vivem para criticar, sempre procurando e destacando as falhas dos outros. Tais pessoas convidam outros a ser críticos, também. Quando condenamos as pequenas falhas de outros, eles terão motivo para nos condenar (considere o exemplo do servo que não perdoou o outro, Mateus 18:23-35).

Jesus não condena a avaliação dos outros. Mateus 7 mostra claramente que Jesus não está condenando a avaliação dos outros. Temos que discernir entre o certo e o errado, e entre as pessoas que praticam as coisas de Deus e as que andam no erro. No versículo 6, Jesus exige o julgamento de pessoas que ouvem o evangelho, e a rejeição dos “porcos” e “cães”. Do versículo 15 ao 20, ele ensina sobre o julgamento de professores pelos frutos (veja Mateus 16:6,11-12).

Paulo exige o julgamento. Não é o bastante dizer que o servo de Cristo pode julgar. O discípulo de Jesus é obrigado a julgar! Às vezes, alguém na igreja terá que julgar outros irmãos para resolver problemas (1 Coríntios 6:1-5). Em geral, todos nós temos que julgar todas as coisas, retendo o bem e rejeitando o mal (1 Tessalonicenses 5:21-22). Para discernir entre essas coisas, é necessário crescer espiritualmente (Hebreus 5:12-14). As pessoas incapazes de julgar continuam como crianças, como pessoas carnais (1 Coríntios 3:1).

O propósito do julgamento que Deus exige de nós não é para condenar ninguém ao castigo, mas para evitar o pecado e ajudar outros, também, ficarem livres do mal.

-por Dennis Allan

segunda-feira, 23 de maio de 2016

DOS QUE SAÍRAM DO EGITO, NÃO FORAM APENAS JOSUÉ E CALEBE QUE ENTRARAM EM CANAÃ!




Dos que saíram do Egito, no mínimo quatro pessoas herdaram a Terra Prometida, doravante chamada Canaã: Josué, Calebe, Eleazar e Finéias (os dois últimos,  filho e neto de Arão). Para pesquisa e compreensão passarei algumas referências: Êxodos 28.1; Números 3.4,32; 4.3; idade para ser sacerdote. Números 16.37-40; 20.25-28; 26.63-65; capítulos 32 e 28 - Êxodos 6.25 Números 25.11-13 Números 25.6-8 Finéias jovem com mais de 18 anos. Números 31.6, Moisés envia Finéias à frente do Exército para combater os Midianitas. Josué 14.1, Eleazar repartindo as terras; Números 22.13 Finéias presente em Canaã - Josué 24.33 - listagem do enviados à espiar Canaã (Números 13.1-16) não havia nenhum levita entre eles, porque os levitas eram uma tribo especial, por isso não contados entre as outras tribos.Números 1.3, 47-49; 26.4; e 62 - Resumindo, com certeza foram mais de dois os que entraram na Terra Prometida... Não há contradição quando entendemos que a citação de somente dois que entraram na Terra é porque os Levitas não eram contados entre eles...

terça-feira, 17 de maio de 2016

DEUS DESCANSOU NO 7º DIA?



Qual o Sétimo Dia Deus descansou???
Bom estudo, Deus te abençoe em Graça e em conhecimento!
“Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados.
E havendo Deus acabado NO SÉTIMO DIA a sua obra, que tinha feito, DESCANSOU NO SÉTIMO DIA DE TODA A SUA OBRA QUE TINHA FEITO.
E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra, que Deus criara e fizera.” Gn. 2:1-3

Baseados apenas na letra da Palavra, todos os sabatistas pregam que Deus descansou após a criação do mundo, num suposto SÉTIMO DIA de 24 h. 
No entanto, convidamos o amigo leitor a conferir pelo EVANGELHO DE CRISTO, se esta interpretação é verdadeira ou não.

A preocupação do Apóstolo Paulo, era para que os judeus da Igreja primitiva, aprendessem a ver as Escrituras (A.T.) não pela letra, mas com OS OLHOS DO ENTENDIMENTO, através da REVELAÇÃO DA LETRA.
Assim, para compreendermos também a Palavra de Deus, que é espiritual; temos que examiná-la, não somente no ponto de vista humano, mas principalmente no seu âmbito espiritual .
”Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da Glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação;
Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da vossa vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos”. Ef. 1:17-18

1). DEUS TERIA SE CANSADO NA CRIAÇÃO DO MUNDO?
Não, isto é mais outro grave erro de interpretação dos sabatistas, pois a Escritura é clara: Deus NÃO SE CANSOU E NEM SE FADIGOU NA SUA CRIAÇÃO.
“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fadiga? Não há esquadrinhação do seu entendimento”. Is. 40:28

2). DEUS TERIA DESCANSADO NUM DIA DE 24 H. CONFORME PREGAM OS SABATISTAS?
Não, este é outro erro dos sabatistas, pois Deus não está sujeito à nossa cronologia humana.
“...Um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia”. 2 Pe. 3:8b.

3). DEUS ESTARIA NUM CORPO DE “CARNE” E NA TERRA PARA TAL DESCANSO?
Não, DEUS É ESPÍRITO e portanto, Seu corpo era e é, ESPIRITUAL.
“Deus é espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo. 4:24

Por que então a Escritura do A.T. afirmava que Deus descansou no sétimo dia?
Porque a mensagem da lei e os profetas, em sua maioria "ERA PROFÉTICA" (projectava o futuro). Em razão disso, que durante tempo de sua vigência no A.T. ela cumpria o papel de “SOMBRAS, TESTEMUNHO” (Rom. 3:21) dos bens futuros (Hb. 10:1). Pois, a lei no rudimento da sua “LETRA” até a vinda de Cristo, não possuía a condição de apresentar à criatura humana, A IMAGEM EXATA DAS COISAS; tanto do PERFIL quanto do DESCANSO DE DEUS, sem o acompanhamento da REVELAÇÃO do EVANGELHO, manifestado mais tarde pelo próprio Senhor Jesus.
“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai: E ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar”. Mt. 11:27

Este verso mostra claramente a falta de conhecimento bíblico dos sabatistas em geral, ao querer discernir O DESCANSO DE DEUS, baseado em apenas Moisés, imaginando que o descanso do Altíssimo seja UM SIMPLES SÁBADO DE 24h.
Porém, Cristo nos diz cima, que antes da sua vinda ao mundo, ninguém "CONHECIA A DEUS", senão em "SOMBRAS"; por isto, que Ele foi enviado para resplandecer A LUZ"; nos fazer CONHECER O PAI, e com Ele também o verdadeiro DESCANSO DE DEUS..

O QUE TERIA CANSADO A DEUS?
Conforme lemos acima (Is. 40:28), Deus não se cansou com o labor de Sua criação: Nem com a criação do mundo invisível antes, e nem com a do mundo visível depois.

A explicação vem das eras eternas:
Antes da fundação do mundo, toda a criação do mundo invisível viviam no descanso eterno, em “COMUNHÃO COM O PAI, O FILHO E O ESPÍRITO SANTO”, conforme disse Jó.
“Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam?  Jó. 38:7

Até surgir no céu a iniquidade de Lúcifer
“Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti.” Ez. 28:15

A iniqüidade sim, que veio dar trabalho e cansar a Deus; pois O PECADO uma vez manifestado no céu, rompeu “A COMUNHÃO” do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, com a sua criação celeste (com os anjos que pecaram).
a). Lúcifer invejou a glória de Deus. Is. 14:13.
b). Lúcifer fez comércio injusto no céu. Ez. 28:16.
c). Lúcifer contaminou a terça parte dos anjos no céu. Jó. 4:18 – Ap. 12:4.
d). Lúcifer contaminou os céus. Jó. 15:15.
e). Ele foi homicida desde o principio, e por não se firmar na verdade (Jo. 8:44), foi expulso com seus anjos do DESCANSO ETERNO. Ap. 12:9.

PORTANTO, O PECADO FOI QUE CANSOU DEUS, conforme o próprio testificou:
“...Mas me deste trabalho com os teus pecados, e me cansaste com as tuas maldades.” Is. 43:24

COM A CRIAÇÃO DO NOSSO MUNDO, APÓS A QUEDA DE ADÃO, DEUS INICIA O PROCESSO DA RECONCILIAÇÃO DE “TODAS AS COISAS” EM CRISTO
“E que, havendo por Ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio D’ele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus.” Cl. 1:2

Até hoje, os sabatistas pregam erroneamente, que Deus descansou no SÉTIMO DIA da criação; mas O EVANGELHO DE CRISTO, nos revela que esse descanso ainda não aconteceu; veja porque:

OS TRÊS MISTÉRIOS DO SÉTIMO DIA


1)- O tempo de Deus:
O texto do Gênesis (Gn. 2:1-3) é profético; na linguagem profética um texto Bíblico ou um trecho dentro dum versículo, pode mostrar diferença de tempo de até 6.000 anos, ou mais. Exemplos: Gn. 2:24 - 3:15 – 49:10, Dan. 2:44, etc...

2)- A obra perfeita de Deus:
Deus, jamais fez a sua obra pela metade, o próprio verso afirma que a criação de Deus, foi DUPLA. Além d'Ele CRIAR, Ele também "FEZ".
“E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou DE TODA A SUA OBRA, que Deus CRIARA E FIZERA.” Gn. 2:3

Esse mesmo verso que afirma na sua “LETRA” que Deus DESCANSOU NO SÉTIMO DIA (criara), é o mesmo que pela “REVELAÇÃO DA LETRA”, nos diz que O DESCANSO DE DEUS será futuro, após a RESTAURAÇÃO DE TODA A SUA CRIAÇÃO: FIZERA. Ou seja: Deus descansará somente quando Ele tiver acabado TODA A SUA OBRA EM CRISTO. Não sou eu quem diz isto, mas o próprio Filho de Deus:
“E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo; porque fazia estas coisas NO SÁBADO.
E Jesus lhes respondeu: meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.” Jo. 5:16-17

Para isso, CRISTO PRECISA PRIMEIRO, ANIQUILAR (literalmente) TODO O PECADO a partir da sua próxima vinda e no seu Reino Milenar, congregando a criação novamente AO REPOUSO ETERNO DO PAI.
“Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo.
De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra.” Ef. 1:9-10

3)- O sétimo dia que Deus descansou, não foi criado como os demais seis dias:
O SÉTIMO DIA de descanso para o homem, é um dia de 24h do nosso calendário, foi dado exatamente em memória DO VERDADEIRO SÉTIMO DIA PROFÉTICO,  O DESCANSO ETERNO DE DEUS; não como ensinam erroneamente os sabatistas, dizendo que este sábado de 24h, foi o dia em que Deus descansou (?).

Explicando melhor:
A criação do nosso mundo do 1º ao 6º dia (Gn. 1:1-31), foram mencionados na Bíblia dentro do horário terreno de 24h (tarde/manhã). Todavia, a criação do SÉTIMO DIA, NO QUAL DEUS REPOUSOU (REPOUSARÁ), Ele usou outro parâmetro de tempo (o profético). Tanto é verdade, que a Bíblia nem menciona em Génesis, o mesmo tempo de 24h (tarde/manhã), para a criação do SÉTIMO DIA; antes, menciona sim, “o sábado de descanso” para o homem, estipulado pela “SOMBRA DA LEI” (Êx. 20:8-11), que memorial ao SÁBADO ETERNO.

Portanto esse SÉTIMO DIA EM QUE DEUS REPOUSOU, trata-se não de um sábado de 24h, mas, de um DIA PROFÉTICO, UM SÉTIMO DIA MILENAR - O ANO SABÁTICO, no qual Deus em Cristo, ACABARÁ TODA A OBRA DA SUA CRIAÇÃO. Pois a obra de Deus, não se resume apenas na obra da criação (visível e invisível), mas também, OBRA DA RESTAURAÇÃO DE TODA A SUA CRIAÇÃO (Ez. 36:35-36); culminando com o aniquilamento do “INÍQUO – Satanás”, ao final do Reino Milenar de Cristo (Ap. 20:9-10), conforme também expressou o apóstolo Paulo:
“E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.” Rm. 16:20

“DEPOIS VIRÁ O FIM, (de toda a obra) quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e QUANDO HOUVER ANIQUILADO TODO O IMPÉRIO, E TODA A POTESTADE E FORÇA.
E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos.” 1 Co. 15:24 e 28

ENTÃO, CUMPRIR-SE-Á  GÊNESIS (2:1-3), NA SUA VISÃO PROFÉTICA
“Assim os céus, e a terra e todo o seu exército foram acabados.
E havendo Deus acabado NO SÉTIMO DIA a sua obra, que tinha feito, DESCANSOU NO SÉTIMO DIA DE TODA A SUA OBRA, QUE TINHA FEITO.
E abençoou Deus O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; porque NELE DESCANSOU DE TODA A SUA OBRA, que Deus CRIARA E FIZERA.”

CONCLUSÃO:
“Temamos, pois que, porventura, deixada a promessa DE ENTRAR NO SEU REPOUSO, pareça que algum de vós fica para trás.
Porque também a nós (a Igreja) foram pregadas AS BOAS NOVAS, como a eles (os sabatistas), mas a palavra da pregação nada lhes aproveitou, porquanto não estava misturada COM A FÉ naqueles que a ouviram”. Hb. 4:1-2

Para meditar:
A Teologia que não conhece o Pai pelo EVANGELHO DO FILHO, pode pregar O SEU DESCANSO pela “LETRA DE MOISÉS”?

Jaime e Júlio - Curitiba Pr.

segunda-feira, 14 de março de 2016

SE EU QUISER FALAR COM DEUS!



Veio aqui atrás da música de Gilberto Gil? Não, aqui Não!

Pois:

Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Deus é Pai;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Ele é Pai Nosso;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que Ele é Santo;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que a vontade dEle sempre prevalecerá sobre a minha;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que eu dependo cotidianamente do alimento dEle;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que eu sempre serei perdoado por Ele do mesmo jeito que eu sempre perdoo o meu próximo;
Se eu quiser falar com Deus eu tenho que entender que a tentação e o mal estarão muito próximos de mim e que preciso dEle para não caír e ser livre!

Porque diz a Sua Palavra:

""Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;
Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu;
O pão nosso de cada dia nos dá hoje;
E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;
E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém.
Mateus 6:9-13""

É isso aí!