GERAÇÃO PRÉ-ADÂMICA

domingo, 30 de junho de 2013

AUTORA DE HARRY POTTER É, ASSUMIDAMENTE, SATANISTA!



A Autora J. K. Rowling Inspirou-se em um Antiqüíssimo Livro de Alquimia da Sociedade Rosa-Cruz

J. K. Rowling baseou suas narrativas em As Núpcias Químicas de Christian Rosenkreutz, escrito em 1459 e utilizado na iniciação dos rosa-cruzes. O fato de ter usado esse livro obscuro, conhecido somente pelos iniciados ocultistas, é mais uma forte indicação que ela pratica a feitiçaria.
Afirmamos repetidas vezes que a autora dos livros da série Harry Potter conhece muito bem o satanismo. Indicamos onde os eventos e as cenas em seus livros são puro satanismo; na verdade, são satanismo correto. Ela traça uma figura perfeitamente correta de aspectos do satanismo, apresenta os encantamentos corretos, os ingredientes corretos, compreende bem a importância das drogas, e assim por diante.

No artigo anterior [N1485, "O Uso de Cores Vívidas nos Livros da Série Harry Potter: Finalmente Compreendemos o Mistério"], mostramos que Rowling usa as cores vívidas que são sagradas para a religião dos druidas, o Druidismo, e para o zodíaco. Citamos uma ex-satanista, Cisco Wheeler — agora uma autora cristã nascida de novo — que nos disse que essas cores sagradas são usadas na Magia Ritual. Quando uma criança envolve-se entusiasticamente nesses livros, e pelas cores vívidas especificamente, fica exposta ao contato por um espírito-guia um dia! Rowling usa essas cores vívidas muito bem!

Da mesma forma, ela parece obter sua inspiração para vários outros aspectos distintos em suas narrativas de um livro luciferiano muito antigo e muito obscuro, intitulado As Núpcias Químicas de Christian Rosenkreutz, escrito originalmente em 1459 e traduzido para o inglês em 1690. Esse livro é a lenda fundamental para a sociedade secreta luciferiana chamada Sociedade Rosa-Cruz. Veja como um rosa-cruz explica a importância-chave desse livro para o ocultista praticante:

As Núpcias Químicas é um dos símbolos arquétipos da transformação alquímica. Existem muitos trabalhos sobre esse assunto por muitos místicos e autores posteriores. Manly Hall dedicou um capítulo inteiro a esse livro em Secret Teaching of All Ages [O Ensino Secreto de Todas as Eras]... "As Núpcias Químicas são a base para os rituais de iniciação criados pelos rosa-cruzes. Elas representam a união da pessoa, o espírito e a sociedade." [Philosophical Research Society, Publications Department].

Maravilhoso! Esse livro é a base para os rituais de iniciação para os rosa-cruzes. Novamente, a verdadeira natureza de Rowling é demonstrada para todos que quiserem ver. A despeito de suas repetidas negativas que esteja envolvida ativamente na feitiçaria, vemos que, além de exibir um conhecimento detalhado e íntimo do satanismo, ela agora está demonstrando profundo conhecimento de um livro muito antigo e obscuro, que é usado como base para iniciação na Sociedade Rosa-Cruz.

Antes de entrarmos nos detalhes dessa história, vamos examinar o que é a Alquimia e por que é importante para o satanista praticante. O Dicionário de Nova Era define Alquimia como "uma busca pelos segredos da vida pela transmutação dos metais básicos em ouro no Ocidente; descobrir o Elixir da Vida no Oriente."

No livro intitulado The Secret Doctrine of the Rosacrucians [A Doutrina Secreta dos Rosa-Cruzes], escrito em 1949 sob um pseudônimo, o autor revela que o propósito principal da Alquimia não é tornar-se rico descobrindo como converter chumbo em ouro; ao contrário, o propósito principal é mental e espiritual. Ele usa o termo "Alquimia Mental" e "Alquimia Espiritual" [pág. 20].

Esse autor também diz que as referências alquímicas ao "enxofre", "mercúrio" e "outros elementos químicos" leva a pessoa a buscar a Pedra Filosofal [pág. 16], que também é conhecida como Pedra do Feiticeiro. Essa última revelação é extremamente importante, pois o primeiro livro de Rowling chama-se Harry Potter e a Pedra Filosofal. Nesse livro, uma busca é iniciada para descobrir a Pedra Filosofal, a partir da qual vem o "Elixir da Vida". No capítulo 13 de HP e a Pedra Filosofal, ficamos sabendo que o professor Dumbledore — o diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts — teve um longo relacionamento com outro feiticeiro — Nicolau Flamel, que aperfeiçoou o Elixir da Vida por meio do processo da Alquimia [HP a Pedra Filosofal, pág. 219]. Assim, Flamel obteve a Pedra Filosofal, e é mostrado como sendo o possuidor original dela. Em seguida, nos próximos parágrafos, ficamos sabendo que essa Pedra Filosofal de Flamel produzia o Elixir da Vida, "que torna quem o bebe imortal". [págs. 189-90].

Finalmente, ficamos sabendo que Flamel tinha 666 anos de idade quando obteve a Pedra Filosofal e bebeu pela primeira vez do Elixir da Vida! [Ibidem] Assim, Rowling vincula corretamente o número do Anticristo com a Alquimia e sua busca pela vida eterna por meio do ocultismo, uma indicação muito forte que ela é praticante das artes luciferianas.

Agora, vejamos quais tipos de coisas Rowling incluiu em seus livros da série Harry Potter que vieram diretamente desse obscuro livro, As Núpcias Químicas de Christian Rosenkreutz:

1. Figuras na parede que se movem como se estivessem vivas

Os livros de Harry Potter — em todos os livros de Harry Potter — os quadros nas paredes movem-se como se estivessem vivos. "Estava cansado demais para se surpreender que as pessoas nos retratos ao longo dos corredores murmurassem e apontassem quando eles passavam..." [HP e A Pedra Filosofal, págs. 113-14].

"O castelo estava silencioso... os dois passaram pelos quadros que resmungavam e as armaduras que rangiam..." [HP e a Câmara Secreta, pág. 76].
Assim, os retratos nas paredes do castelo em que funcionava a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts eram animados, como se estivessem vivos. Eles se moviam nos quadros e conversavam um com o outro. No segmento acima, as armaduras rangiam porque as pessoas no quadro estavam se movendo!

Além disso, cada uma das Casas de Fraternidade no campus tinha somente uma porta de entrada e era guardada por figuras falantes. Cada aluno tinha de dizer a senha daquele dia para entrar na Casa de Fraternidade:

"Não pararam de correr até chegaram ao retrato da Mulher Gorda no sétimo andar... 'Focinho de porco, focinho de porco', ofegou Harry e o quadro girou para frente. Eles entraram de qualquer jeito na sala comunal e desmontaram, trêmulos, nas poltronas." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 141].

"Os dois passaram pelos quadros que resmungavam e as armaduras que rangiam e subiram a estreita escada de pedra, até chegarem, finalmente, à passagem onde se escondia a entrada secreta para a Grifinória, atrás do retrato a óleo de uma mulher muito gorda, de vestido de seda rosa. 'Senha?', perguntou ela quando os dois se aproximaram. 'Ããã...', murmurou Harry. Eles não sabiam a senha do novo ano, ainda não tinham encontrado o monitor da Grifinória, mas o socorro chegou quase imediatamente; ouviram um tropel de passos às costas e quando se viraram deram com Hermione que corria ao encontro deles... 'Pode nos poupar o sermão' — disse Rony impaciente — 'e nos dizer qual é a nova senha.' 'É maçarico', respondeu Hermione... o retrato da mulher gorda se abriu ..." [HP e a Câmara Secreta, pág. 86].

Quando li originalmente esse pequeno detalhe dos livros de Harry Potter, achei engraçado e pensei que era apenas muita imaginação da autora. Nunca passou pela minha cabeça que os retratos falantes e gravuras móveis nas paredes pudessem ter raízes em terreno satânico. Agora, vamos examinar esse terreno:

No livro, As Núpcias Químicas de Christian Rosenkreutz, escrito em 1459, encontramos o herói rosa-cruz, Christian Rosenkreutz, no fabuloso castelo do Rei e da Rainha da Esfera Supercelestial. Esse castelo chama-se "Casa do Sol". Acho muito instrutivo que o castelo possa ter esse nome, pois a Sociedade Rosa-cruz adora o Sol e sua consorte, a Lua.

Christian pouco percebe que a razão pela qual foi convidado a esse castelo, foi para testemunhar pessoalmente a reencarnação dos seis reis menores e de suas rainhas por meio do processo da Alquimia.

À medida que Christian percorre os corredores desse castelo celestial, observa algo muito estranho nas paredes. "...existiam ali na parte inferior e superior do quarto imagens maravilhosas, que se moviam, como se estivessem vivas..." [pág. 29].

Agora, entendo de onde Rowling tirou sua idéia dos retratos que falam e se movem! Ela tirou esse detalhe de um livro escrito há mais de quinhentos anos! As únicas pessoas que lêem esse tipo de livro são os iniciados e adeptos das sociedades secretas luciferianas, ou as pessoas que as estudam. Rowling conhece tão bem os segredos dessas sociedades, que acho altamente provável que ela própria pertença a uma dessas sociedades luciferianas.

2. A Besta Fabulosa no Livro de Harry Potter — O Prisioneiro de Azkaban

No terceiro livro da série, Harry, Ron e Hermione (Ermínia) são levados a uma aula chamada "Trato das Criaturas Mágicas". O instrutor era o gigante Hagrid. Embora as criaturas nesse curso fossem fortes, perigosas e imprevisíveis, Hagrid gosta muito delas e tenta fazer os alunos gostarem também.

"Trotavam em direção aos garotos mais ou menos uma dezenas dos bichos mais bizarros que Harry já vira na vida. Elas tinham os corpos, as pernas traseiras e as caudas de cavalo, mas as pernas dianteira, as asas e a cabeça de uma coisa que lembrava águias gigantes, com bicos cruéis cinza-metálicos e enormes olhos laranjas-vivos. As garras das pernas dianteiras tinham uns quinze centímetros de comprimento e um aspecto letal." [HP e o Prisioneiro de Azkaban, pág. 96].

Assim, a cabeça, pernas dianteiras e asas dessa criatura eram a de uma águia gigante; no entanto, o restante do animal era como um cavalo. Essa criatura chamava-se "Hipogrifo". Hagrid fala aos alunos sobre esse animal:

"Agora, a primeira coisa que você precisam saber sobre os hipogrifos, é que são orgulhosos... Eles se ofendem com facilidade. Nunca insulte um bicho desses, pois pode ser a última coisa que vão fazer na vida... Sempre esperem que o hipogrifo faça o primeiro movimento... É uma questão de cortesia, entendem? ..." [HP e o Prisioneiro de Azkaban, pág. 97].

Harry e seus amigos adquirem a afeição de um hipogrifo chamado Bicuço, e no final do livro, o animal salva-os de Voldemort, permitindo que montem nele e levando-os voando até um lugar seguro.

Em As Núpcias Químicas, Christian testemunha uma batalha muito estranha no castelo entre duas criaturas. "No interlúdio, um leão e uma besta fabulosa, que tinha corpo de leão e cabeça e asas de águia, são colocados para lutar um contra o outro, e o leão venceu, o que foi também um belo espetáculo" [pág. 31].

Meu dicionário define griffon como uma "besta fabulosa com cabeça e asas de águia e corpo de leão".

Rowling criou sua criatura fabulosa com a cabeça e asas de águia, mas substituiu o corpo tradicional de leão, pelo de um cavalo. No entanto, apenas para garantir que aqueles que "sabem das coisas" compreendam que ela inspirou-se em As Núpcias Químicas, chamou sua criatura fabulosa de "Hipogrifo", sem dúvida aproveitando o nome griffon na história original.

Novamente, Rowling exibe um conhecimento singular de uma lenda luciferiana muito antiga e criticamente importante, ao tirar dessa lenda rosa-cruz a inspiração para seus livros da série Harry Potter.

3. O espírito brincalhão que paira sobre o castelo atazanando as pessoas

Nos livros de Harry Potter, Rowling inventou um "espírito" brincalhão que ela chama de Pirraça, o Poltergeist! Pirraça gosta de entrar nas salas de aula e nos dormitórios da Escola Hogwarts, pregando peças que ele acha "engraçadas". Fazer os alunos entrarem em apuros é também o papel de Pirraça nos livros. Veja um dos diálogos:

"Quando Filch baixou a pena, ouviu-se um forte estampido no teto da sala, que fez a lâmpada a óleo chocalhar. 'PIRRAÇA!' — rugiu Filch, atirando a pena no chão num assomo de raiva. — 'Desta vez eu te pego, eu te pego!' Pirraça era o poltergeist da escola, uma ameaça aérea e sorridente que vivia a provocar desordem e aflição. Harry não gostava muito do Pirraça, mas não pôde deixar de se sentir grato pelo seu senso de oportunidade..." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 111].

Em A Pedra Filosofal, Harry, Rony e Hermione estavam andando nas proximidades da sala de aula de Feitiços no meio da noite, para ir enfrentar Malfoy em um duelo de bruxos. Subitamente, Pirraça os encontra e percebe que estão infringindo um dos regulamentos da Escola, andando nos corredores àquela hora. Vamos acompanhar a narrativa:

"Não tinham caminhado nem dez passos quando ouviram o barulho de uma maçaneta e alguma coisa disparou da sala de aula à frente deles. Era Pirraça. Avistou os garotos e soltou um guincho de prazer. 'Cale a boca, Pirraça, por favor, você vai fazer a gente ser expulso'. Pirraça soltou uma gargalhada. 'Passeando por aí à meia-noite, aluninhos? Tsk, tsk. Que feinhos, vão ser apanhadinhos.' 'Não se você não nos denunciar, Pirraça, por favor.' 'Devia contar ao Filch, devia — disse Pirraça bem comportado, mas seus olhos cintilavam de maldade — É para seu próprio bem, sabem?'. 'Saia da frente' — disse Rony com rispidez, baixando o braço de Pirraça. Foi um grande erro. 'ALUNOS FORA DA CAMA! — berrou Pirraça — 'ALUNOS FORA DA CAMA NO CORREDOR DO FEITIÇO!'" [págs. 139-140].

No livro rosa-cruz, As Núpcias Químicas, Christian viu esse mesmo tipo de espírito movimentando-se na Casa do Sol do Rei e da Rainha. "... deveríamos comparecer diante das Reais Pessoas, subindo as escadas em forma de caracol no referido salão, onde as mesas já estavam ricamente servidas, e essa era a primeira vez que éramos convidados à mesa do Rei. O pequeno altar estava colocado no meio do salão, e as seis insígnias reais referidas estavam colocados em cima dele. Neste momento o jovem Rei teve uma atitude muito gentil conosco; apesar de não poder estar feliz no fundo do coração, conversou um pouco conosco. No entanto, ele suspirava muito, ao que o Pequeno Cupido apenas zombava e fazia graça... Quase toda a conversação tola durante o banquete era provocada pelo Pequeno Cupido, que nunca nos deixava (e a mim, particularmente) em paz. Ele sempre provocava alguma situação desagradável." [pág. 33].

Assim, Rowling inspirou-se no Pequeno Cupido, o espírito atormentador de As Núpcias Químicas, para criar seu personagem Pirraça, o Poltergeist, que gosta de atazanar os alunos e professores!

4. Criaturas Míticas Idênticas em Harry Potter e As Núpcias Químicas

Em HP e a Pedra Filosofal, Rowling fala sobre os unicórnios "branco brilhantes" que vivem na Floresta Proibida. Nos capítulos finais, Hagrid leva Ron, Hermione, Harry e Malfoy para a Floresta Proibida para tentar descobrir quem está matando os unicórnios. Vamos acompanhar a narrativa:

"Havia salpicos nas raízes de uma árvore, como se o pobre bicho tivesse de debatido de dor por ali. Harry viu uma clareira adiante, através dos galhos emaranhados de um velho carvalho. 'Olhe", murmurou, erguendo o braço para deter Malfoy. Alguma coisa muito branca brilhava no chão. Eles se aproximaram aos poucos. Era o unicórnio, sim, e estava morto. Harry nunca vira nada tão bonito nem tão triste. As pernas longas e finas estavam em ângulos estranhos onde ele caíra e sua crina espalhava-se nacarada sobre as folhas escuras." [HP e a Pedra Filosofal, pág. 220].

Em As Núpcias Químicas, Christian Rosenkreutz descreve a cena no jardim em que viu o unicórnio pela primeira vez... "Assim, o jardim que ultimamente estava bem cheio, logo ficou vazio; de forma que além dos soldados não havia nenhum outro homem. Depois que o silêncio foi mantido pelo espaço de cinco minutos, apareceu caminhando para frente um lindo unicórnio branco como a neve, com um colar dourado com algumas letras inscritas em volta do pescoço... e assim o unicórnio retornou ao seu lugar com alegria." [págs. 20-21].

Em HP e a Câmara Secreta, Rowling dá um lugar de proeminência ao pássaro mítico e lendário, a Ave Fênix. Na batalha na Câmara Secreta, Harry é salvo graças à intervenção de Fawkes, a fênix de Dumbledore. A fênix atacou e perfurou ambos os olhos da serpente, fazendo-a sangrar muito. Essa ação permitiu que Harry escapasse e vencesse a serpente. [pág. 268 em diante]. Mais tarde, a fênix fez um sinal para Harry agarrá-la pela cauda para levá-lo dali. Assim, Harry segurou-se na cauda estranhamente quente da fênix. Rony segurou-se nas roupas de Harry com uma mão e agarrou a mão de Gina com a outra e a ave milagrosamente carregou todos eles para fora da Câmara Secreta, colocando-os em segurança. [págs. 273-74].

Em As Núpcias Químicas, Christian vê uma "fênix gloriosa" no Castelo do Sol [pág. 21].

Além disso, no sexto dia — dos sete — Christian Rosenkreutz e outros adeptos assistiram a um ovo sagrado eclodir e um pássaro sair. A princípio, esse pássaro era fraco e todo vermelho, e depois mudou a plumagem para uma cor preta após beber sangue humano, e depois mudou para branco como a neve, e depois para uma bela mistura de várias cores. O comportamento também mudava durante essas transformações físicas de selvagem para mais domesticado.

Em seguida, os adeptos puseram a ave em uma banheira em que havia um líquido branco, como leite. Esse banho removeu todas as penas da ave e depois os adeptos a pintaram de azul brilhante. Os adeptos a levaram para o andar superior, onde foi colocada perto de um altar e recebeu algo para beber. Subitamente, a ave atacou a serpente branca que vivia na cabeça da morte, fazendo-a sangrar abundantemente. [págs. 44-45].

Eu me pergunto se Rowling não mesclou as duas narrativas, pois em HP e a Câmara Secreta, a fênix atacou a monstruosa cobra verde, fazendo o sangue desta escorrer pelo chão.

5. Ambos os castelos são cercados por lagos que comportam grandes navios

Rowling descreve a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts nas proximidades de um grande lago. Circulam rumores sobre a existência de um grande monstro nas águas do lago. Em HP e o Cálice de Fogo, um grande navio traz os Mestres da Magia da escola de treinamento em ocultismo Durmstrang, para Hogwarts, para participarem de um Torneio dos Campeões do Tribruxo. O grande navio que trazia os alunos de Durmstrang emergiu das águas profundas do lago e atracou próximo à Hogwarts [pág. 198].

Em As Núpcias Químicas, a Casa do Sol também está nas proximidades de um grande lago. Após os Reis menores e suas Rainhas serem decapitados em um ritual, a noite vem, e Christian Rosenkreutz adormece na cama. Subitamente, ele é despertado por uma luz muito brilhante e vai até a janela para ver o que está acontecendo. Ele vê seis navios aportando próximos ao castelo, flutuando nas águas do lago. Os caixões de cada Rei e Rainha foram embarcados, um par de caixões por navio. Em seguida, os navios partiram para o Monte Olimpo, onde os Reis e suas Rainhas retornaram à vida, de acordo com os preceitos da Alquimia. [pág. 34].

Assim, em três de cinco pontos comuns entre os livros da série Harry Potter e As Núpcias Químicas, Rowling escolheu lendas ocultistas muito antigas para usar em seus livros. Especialmente escolher os retratos nas paredes que parecem estar vivos e a criatura chamada Hipogrifo são claras indicações que a autora inspirou-se em um livro antiqüíssimo, mas muito importante, de Alquimia dos Rosa-cruzes.

Da mesma forma como usou as cores vívidas sagradas do obscuro e quase esquecido Calendário Celta das Árvores (veja o artigo referido anteriormente), Rowling inspirou-se em certas partes de um antigo e obscuro livro de Alquimia para criar suas narrativas. Ela conhece perfeita e corretamente bem sua feitiçaria e inspirou-se no satanismo para descrever alguns elementos de seus livros, o que somente um adepto praticante do ocultismo conheceria. Ela se transformou no Flautista Mágico de Hamelin para as crianças de hoje, e está levando-as direto para os braços do Iníquo.

Verdadeiramente, Jesus estava correto quando predisse que o amor espiritual por ele e pela sua verdade estariam tão diluídos no fim dos tempos que poucas pessoas teriam fé e seriam salvas. Seus filhos estão sob ataque pelos livros da série Harry Potter. Você está preparado pela batalha pela alma de seus filhos?


Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são tempos em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.


Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do Espírito Santo de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

FONTE: http://www.espada.eti.br/n1486.asp VIA:http://batalhaespiritualprwagner.blogspot.com.br/2013/06/a-verdade-sobre-autora-de-harry.html

sábado, 29 de junho de 2013

OS 7 PECADOS DE FELICIANO CONTRA O BRASIL!



Muitas pessoas me perguntam por que o deputado Marco Feliciano é tão odiado pela grande mídia. Creio que há várias razões para isso, mas, para ser sucinto e objetivo, citarei apenas sete pecados capitais que esse parlamentar cometeu.

1. Feliciano foi eleito com “apenas” 212 mil votos, quase duzentos mil a mais que seu maior opositor — não me pergunte o nome dele.

2. Ele é evangélico; não é gay; não é simpatizante do movimento LGBT; e, para piorar, é defensor do modelo tradicional de família — essas características o transformam em um fundamentalista religioso, segundo a grande mídia.

3. Nunca participou do Big Brother Brasil.

4. Declarou-se contrário às propostas defendidas por um certo deputado BBBrasileiro com nome de carro antigo — não me pergunte o nome dele.

5. Aceitou ser indicado e eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados — Feliciano foi nomeado sabendo que não tinha os requisitos fundamentais para ocupar esse cargo: apoiar, sem nenhuma restrição, o aborto e qualquer proposta favorável ao ativismo gay.

6. Conseguiu cometer um crime “gravíssimo” — que não existe no Brasil —, o de emitir opinião.

7. Foi um dos mais de quatrocentos deputados que votaram contra a PEC 37.

Autor: Pastor Ciro Zibordi

quarta-feira, 26 de junho de 2013

TECNOLOGIA PERMITIRÁ VIDA ETERNA?

Em 20 anos, tecnologia nos permitirá viver para sempre, diz engenheiro do Google



O diretor de engenharia do Google, Ray Kurzweil, afirmou que o avanço da tecnologia nos próximos 20 anos nos permitirá viver para sempre.O diretor acredita que em breve será possível "reprogramar" células para se recuperarem de doenças e até mesmo gerar tecido humano em impressoras 3D.
"A expectativa de vida mil anos atrás era de 20 anos. Nos dobramos esse número em 200 anos. Esse processo vai entrar em alta velocidade nos próximos dez ou 20 anos, provavelmente em menos de 15 anos estaremos no ponto de inflexão em que iremos adicionar mais tempo de vida por causa do progresso científico", disse o diretor. "Iremos observar um tremendo avanço na medicina."
Kurzweil citou a ideia de usar impressoras 3D com células-tronco para criar tecido humano. Segundo ele, vendo a biologia como um software e reprogramando as células para tratar doenças, os humanos já fizeram grandes avanços na medicina.
"Já existem terapias fantásticas para curar problemas de coração, câncer e todo tipo de doença neurológica baseada na ideia da reprogramação de software", disse o diretor. "Essas tecnologias serão mil vezes mais potentes que eram dez anos atrás e um milhão de vezes mais em 20 anos."
17. mar. 2012 - Kaushik Roy/India Today Group/Getty Images
Ray Kurzweil em evento em Nova Déli, Índia
Ray Kurzweil em evento em Nova Déli, Índia, em março deste ano
As declarações de Kurzweil foram feitas durante a conferência Global Future 2045 World Congress, em Nova York, no último domingo (16), segundo a CNBC.
O chefe de engenharia do Google não é o único a esperar que a tecnologia, de alguma forma, traga a imortalidade para os seres humanos.
Na semana passada, o multimilionário russo Dmitry Itskov apresentou a chamadaIniciativa 2045, que prevê a produção em massa de avatares de baixo custo e aparência humana nos quais seria possível carregar o conteúdo de um cérebro humano, incluindo todos os detalhes específicos de consciência e de personalidade.

CRIANÇAS SÃO USADAS EM SC PARA CAUSA GAY!


Crianças são usadas para propaganda homossexual em Santa Catarina

Concurso de cartazes tira vantagem de alunos para promover a causa gay

Julio Severo
“Deixai vir a Mim as crianças,” disse Jesus, de braços abertos. Mas os pais que enviam seus filhos às escolas de Santa Catarina estão deixando suas crianças irem até os braços de militantes da causa gay.
Alunos das escolas públicas de Florianópolis participaram de um concurso de cartazes contra a chamada “homofobia.” A ideia de promover uma propaganda da causa gay por meio de concurso para crianças foi da equipe do Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) do Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Portanto, a iniciativa não partiu de crianças, nem de seus pais. Partiu de adultos movidos por ideologia.
Segundo informação do site da UFSC, a equipe do NIGS precisou primeiro “preparar” os professores para engajar os alunos na propaganda anti-“homofobia” — que dificilmente ganharia a adesão das crianças ou de seus pais se lhes fosse explicado que “homofobia,” conforme usado por supremacistas gays, abrange também opiniões contrárias às nojentas práticas homossexuais.
Luiz Mott, o líder máximo do movimento homossexual no Brasil, reconheceu publicamente, em entrevista ao programa do Jô, que a “homofobia” é oposição à homossexualidade, declarando que a Bíblia é a maior fonte de “homofobia.”
A entrevista está aqui: http://youtu.be/mF3Z9dO2IBE

Ele também disse que os ativistas homossexuais precisam dos pais do Brasil, para criarem filhos que se tornarão homossexuais.
A atitude irresponsável das escolas públicas de Santa Catarina de envolver seus alunos num concurso de propaganda homossexual é um importante passo nessa direção.
O concurso teve a participação de 33 escolas, cerca de 1,2 mil alunos, totalizando 326 cartazes.
O concurso tem também a participação de importantes militantes gays, inclusive Toni Reis, cuja organização ABGLT havia sido beneficiada com milhões de reais para a elaboração do infame kit gay, do MEC.
Conforme informações do site UFSC, o MEC está também envolvido no concurso de propaganda gay de Santa Catarina.
O concurso terminará dia 26 de junho e premiará os três cartazes de crianças que entenderam a “ideia” que os adultos militantes lhes passaram.
Os pais que amam seus filhos e não gostariam que eles fossem induzidos ao homossexualismo deveriam procurar advogados idôneos e processar as escolas públicas e o MEC que estão vitimando suas crianças com propaganda enganosa.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

VAMOS PROTESTAR! PAPA NO BRASIL CUSTARÁ R$ 118 MILHÕES! DÁ PARA FAZER UM BELO HOSPITAL COM ESSE DINHEIRO!



BRASÍLIA — Os governos federal, estadual e a prefeitura do Rio terão um gasto milionário com a visita do Papa Francisco, durante a 26ª Jornada Mundial da Juventude, que acontecerá de 23 a 28 de julho, no Rio. Somados, União, estado e município gastarão R$ 118 milhões durante a passagem do Papa pelo país. Só o governo federal desembolsará R$ 62 milhões, sendo R$ 30 milhões com ações de segurança e defesa. Estado e município darão R$ 28 milhões cada.
Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/visita-do-papa-francisco-ao-brasil-custara-118-milhoes-8360873



Se o Papa não vier aqui, dá para construír um Belo Hospital:

Com os custos investidos na reforma do Estádio Mané Garrincha, dá para construir 30 hospitais completos para atender mais de 300 mil pessoas cada um.

Pesquisando na Internet, encontrei o artigo do Constâncio Viana e refiz alguns cálculos e atualizei informações, chegando à seguinte conclusão.

O Constâncio vasculhou alguns arquivos na internet e descobriu, em fontes bem confiáveis, que o custo médio para levantar uma estrutura hospitalar com cerca de 8.500 m² de área construída, com todas as dependências necessárias para atender uma população de 40 mil pessoas, com 160 leitos, sendo 12 para UTI, pronto socorro, triagem, farmácia, cozinha, lavanderia, ou seja, com toda a estrutura necessária, custaria a preços normais sem super faturamento ou desvios, 14 milhões de reais, já contabilizando os custos com central de ar condicionado, rede elétrica, telefônica, água e esgoto.

Com mais 16 milhões de reais é possível comprar todos os equipamentos hospitalares, incluindo os mais modernos do mercado, como também todas as mobílias necessárias a um hospital.


quinta-feira, 20 de junho de 2013

ARQUEOLOGIA PROIBIDA. PROVAS DA EXISTÊNCIA DE VIDA ANTES DE ADÃO!


CURA GAY! JÁ TEM GENTE PEDINDO APOSENTADORIA POR INVALIDEZ!



Com aprovação da “cura”, ativista pede aposentadoria retroativa por ser gay

A aprovação, na última terça-feira, de uma proposta que permite a psicólogos tratar a homossexualidade como doença abriu o caminho para que gays, lésbicas e transexuais peçam aposentadoria compulsória por invalidez, na avaliação de ativistas homossexuais.
“Se somos doentes, somos inválidos. Logo, temos que nos aposentar”, afirma Toni Reis, 49, diretor-executivo do grupo Dignidade, de apoio a homossexuais.

Cura gay foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, presidida pelo pastor Marco Feliciano (PSC) – Foto: Agência Câmara
Ele foi o primeiro a encaminhar, na quarta-feira, pedido de “aposentadoria compulsória retroativa por homossexualismo” aos ministros Garibaldi Alves (Previdência Social) e Alexandre Padilha (Saúde).

“Sendo uma dessas pessoas inválidas, devido à minha condição homossexual que é de notório saber, venho por meio deste requerer minha aposentadoria compulsória, com direito a acompanhante especializado, retroativa até o início das primeiras manifestações da minha homossexualidade, por volta do ano de 1970″, afirma Reis no requerimento.

A comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados aprovou proposta que ficou conhecida por críticos como “cura gay”, porque permite a psicólogos oferecer tratamento para a homossexualidade.

A votação foi comandada pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente do grupo e alvo de protestos que o acusam de racismo e de homofobia.

O projeto ainda precisa ser aprovado por duas outras comissões antes de ser votado no plenário da Câmara.

Toni Reis admite que o pedido de aposentadoria é uma forma “risível” de protestar contra a aprovação do projeto e afirma que é uma resposta paga na mesma moeda.

“Já que eles querem brincar com a nossa cidadania, nós vamos usar isso [pedido de aposentadoria] de forma muito tranquila”, disse.
Ele propõe ainda que o benefício a ser pago como aposentadoria seja o equivalente a 24 salários mínimos.

No documento, o ativista reconhece o risco de “quebrar” a Previdência Social caso todos os brasileiros homossexuais tomem a mesma atitude, e por isso sugere que o deficit seja debitado dos salários dos deputados que aprovaram a proposta, do fundo social do pré-sal ou dos lucros obtidos com a construção de estádios para a Copa das Confederações.

Segundo Toni Reis, pelo menos outras 15 pessoas lhe disseram que fariam o mesmo pedido.
Patrícia Brito, FolhaPress

domingo, 16 de junho de 2013

FRITADOR DE SAMARITANO, QUEM É UM?



 E aconteceu que, completando-se os dias para a sua assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém.
E mandou mensageiros adiante de si; e, indo eles, entraram numa aldeia de samaritanos, para lhe prepararem pousada,
Mas não o receberam, porque o seu aspecto era como de quem ia a Jerusalém.
E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez?
Voltando-se, porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois.
Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las. E foram para outra aldeia.
Lucas 9:51-56


Creio que a inimizade entre judeus e samaritanos nos tempos bíblicos seja, em boa parte, o reflexo do pecado de Israel. Os samaritanos foram fruto da divisão ocorrida no reino de Israel. Foi o produto duma mistura de raças, levado a efeito pelo rei da Assíria, Sargão II, que ao conquistar o Reino do Norte (chamado de Israel) em 722 a.C. levou o povo de Israel para o cativeiro. Os demais que ficaram na terra foram misturados com outros povos, pois o Rei estrategicamente enviou-os para a região a fim de enfraquecer a identidade do povo de Israel (2 Rs 17:24). Esses povos de descendência mista acabaram sendo chamados de Samaritanos. O preconceito e a inimizade ficaram latentes entre esses povos. Quando Neemias retornou a Jerusalém para reconstruir os muros da cidade, os samaritanos tentaram de diversas formas impedir a sua reconstrução.

Flávio Josefo conta que no período interbíblico (entre os dois Testamentos), os samaritanos invadiram o templo de Jerusalém e jogaram ossos, cometendo um tremendo ato de sacrilégio na perspectiva dos judeus. Como vingança, os judeus passaram proferir maldições com as mãos direcionadas à região dos samaritanos.

Nos tempos de Jesus havia uma ambiência hostil entre os dois povos. Entretanto, Jesus quebrou a barreira de inimizade passando por Samaria durante seu ministério. Pediu ajuda a uma samaritana e conversou com ela (Jo 4); ficou dois dias em Samaria ganhando seguidores; criou e contou a parábola do “bom samaritano” (Lc 10:30); curou dez leprosos, sendo que um deles era samaritano (Lc 17:12-18); repreendeu a Tiago e João, que queriam pedir fogo do céu para queimar os samaritanos (Lc 9:51-56). Ao fazer a promessa do derramamento do Espírito, Jesus diz que a Igreja receberia poder para testemunhar também em Samaria (At 1:8). Era o último lugar que o judeu gostaria de ir, mas Jesus incluiu os samaritanos na missão da Igreja. No começo do cristianismo muitos samaritanos foram convertidos pelo ministério de Felipe (At 8:4-25).


Quem para nós é como um samaritano? Temos pregado para eles? Para quem desejamos o fogo divino e não o perdão divino? Desejamos sobre eles a benção de Deus? Ou o juízo? O poder o Espírito é também poder para perdoar os desafetos. Somos embaixadores da reconciliação, e Deus quer a reconciliação com Ele e com o próximo também. Façamos um exame pessoal e vejamos quem é para nós como samaritanos. Quem são eles para nós? O desejo de Deus é que alcancemos também a Samaria. Vençamos a hostilidade, a inimizade e alcancemos o campo missionário que, muitas vezes, está inalcançável por causa da nossa hostilidade e porfia. “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em (…) Samaria, como até aos confins da terra”.

Fonte: ( http://preberjamil.wordpress.com/2011/05/20/pregando-aos-samaritanos/)

sábado, 15 de junho de 2013

O QUE É GALARDÃO? NÃO SEI! OBRIGADO! DE NADA!




O Novo Testamento fala, com frequência, de galardões futuros reservados para o cristão. Trata‑se de recompensas ou prêmios, e estão disponíveis a todos. Um copo de água fria dado a um discípulo só pelo fato de este pertencer a Cristo será motivo de galardão (Marcos 9.41); e o Senhor avisou que voltará, e que com Ele estará o galardão para ser dado a cada um segundo as suas obras (Apocalipse 22.12). Aquele que trabalha na obra de Cristo, caso o seu trabalho permaneça, receberá o seu galardão (1 Coríntios 3.8‑14). Do mesmo modo, aquele que faz o mal será recompensado também, só que de acordo com o mal que praticou (2 Samuel 3.39).

Não é o galardão o nosso objetivo, mas cada um de nós deveria estar pronto a dizer que é o amor de Cristo que nos constrange a fazer algo por Ele (2 Coríntios 5.14). Mas Deus decidiu dar recompensas por causa de seu amor e graça tão abundantes, para que sirvam de encorajamento em meio aos perigos e dificuldade que enfrentamos no caminho. E devemos ficar atentos para que não percamos nossa recompensa (Colossenses 2.18 e Apocalipse 3.11).

É importante que se deixe bem claro que o galardão ou a recompensa nada tem a ver com a Salvação, que é recebida por fé no Senhor Jesus e graças à Sua obra consumada na Cruz. Nada podemos fazer, de nós mesmos, para recebermos a salvação ou para nos mantermos de posse dela. Trata‑se de um dom de Deus. E quanto às nossas obras aqui, dentre as quais as que são segundo a vontade de Deus serão por Ele recompensadas, naquele dia entenderemos que nada fizemos de nós mesmos: foi Ele mesmo que fez tudo e só nos usou como instrumentos. A princípio não mereceríamos tais recompensas, pois foi tudo obra dEle, mas Seu amor deseja concedê‑las e, com alegria, as receberemos.


Fonte:( http://www.respondi.com.br/2005/06/o-que-significa-galardo.html )

segunda-feira, 10 de junho de 2013

CALYPSO AGORA É GOSPEL. SE CHAMARÁ APOCALYP..., DIGO, CALYPSO DE DEUS. MEU DEUS!




A cantora Joelma se apresentou com a banda Calypso em São João da Capitá, em Recife, na noite deste sábado (8). Durante o show, ela revelou que seguirá carreira gospel em breve. O assunto ganhou destaque nas redes sociais com comentários dos admiradores da banda.

O Purepeople entrou em contato com a assessoria de imprensa da banda, que confirmou a informação. ”Ela realmente fez este anúncio, mas nada vai acabar agora. A previsão é que só termine em 2014. Depois disso, a Joelma quer algo focado na música gospel e pensa em iniciar a Calypso de Deus”, informou a assessora Agatha Santos.

Ainda nesta semana, Joelma e Chimbinha pretendem organizar uma coletiva de imprensa para explicar a decisão.

No fim de março, a artista se envolveu em uma polêmica após declarar ao colunista Bruno Astuto, da revista “Época”, que era contra o casamento gay. Dias depois, ela se defendeu dizendo que é evangélica sim, mas tem muitos amigos gays e respeita a opção sexual de todas as pessoas. 
Veja aqui ( http://odetalhedapalavra.blogspot.com.br/2012/08/nos-dois-precisamos-converter-deveria.html )

As filmagens do longa-metragem “Isto é Calypso”, que contará a trajetória do casal, estão previstas para começar em julho. Recentemente, o diretor Caco Souza disse ao Purepeople que o escândalo com Joelma não interferiu na produção do filme e comemorou a verba de R$ 10.722.688,00, liberada pelo Ministério da Cultura.

“Acho muito legal, mas já imaginava que seria aprovada a captação pois não se trata de Joelma, e sim da trajetória de toda a banda. Ao longo do tempo, a verdade está sendo mostrada. O filme em momento nenhum foi parado”, comentou Caco.

Fonte: MSN

quarta-feira, 5 de junho de 2013

RECORD ANUNCIA FIM DA ÚNICA PROGRAMAÇÃO QUE PRESTA EM SUA GRADE!

Record cancela minisséries bíblicas e pode abandonar o gênero


“Rei Davi” foi um sucesso e chegou a vencer a Globo

Após demitir cerca de 400 funcionários na última segunda-feira (03), a Record tomou mais uma drástica medida rumo ao que chama de “adequação ao atual cenário do mercado”.

As minisséries “Os Milagres de Jesus” e “Moisés e os 10 Mandamentos”, previstas, respectivamente, para 2014 e 2015, teriam sido canceladas. Caso a informação, noticiada pelo portal “UOL”, se confirme, o cancelamento pode marcar o fim de um ‘filão’ aproveitado pela emissora desde 2011.

Produções como “A História de Ester”, “Sansão e Dalila” e, principalmente, “Rei Davi”, obtiveram excelentes índices de audiência e foram muito bem recebidas pela crítica. A milionária “José do Egito”, porém, não repetiu o sucesso e, com parca audiência e repercussão, pode ser a última produção do gênero.

“Moisés” possuía um alto custo de produção e já havia sido adiada em um ano. O cancelamento de “Os Milagres de Jesus”, porém, pegou a todos de surpresa, visto que a minissérie teria externas em Diamantina/MG e seria quase totalmente produzida em estúdio.

Apesar do quadro aparentemente alarmante, a emissora afirmou em comunicado oficial que não desistiu de sua dramaturgia e continuará a produzir novelas. O comunicado, porém, não faz menção às costumeiras minisséries bíblicas da emissora.

Fonte:http://rd1.ig.com.br/televisao/record-cancela-minisseries-biblicas-e-pode-abandonar-o-genero/183618?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

A maior burrice desta emissora foi colocar José do Egito apenas na quarta feira, competindo com o futebol.

Lembrando que as novelas rídiculas continuarão, bem como a tal d'A Fazenda!

sábado, 1 de junho de 2013

AMOR À VIDA, NÃO!



"Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo despreza a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna".  João 12:25

Segundo o diagnóstico dos reformadores do século XVI, o problema central do ser humano era a justiça própria. Foi a partir dessa conclusão, que eles estabeleceram a “Justificação pela fé” como a bandeira principal do cristianismo protestante.

Se fosse possível ao homem salvar-se mediante boas obras, isso retroalimentaria seu orgulho, cativando-o para sempre em um ciclo do pecado. Somente a graça seria capaz de romper com este ciclo, pois a mesma seria um golpe desferido por Deus no orgulho humano, salvando-o de si mesmo.

Embora concorde com as doutrinas defendidas pelo protestantismo histórico, acredito que houve um erro de diagnóstico. O problema humano não repousa sobre a justiça própria. Na verdade, a justiça própria equivale a um remédio errado que foi ministrado em cima de um sintoma.

Sabemos, pelas Escrituras, que o problema humano se chama “pecado”. Ainda que o conceito seja exclusivo das religiões originárias em Abraão (Judaísmo, Cristianismo e Islamismo), todas as outras religiões concordam que alguma coisa esteja errada com o ser humano. E todas elas, exceto o cristianismo bíblico, acreditam que o remédio para isso é a justiça própria. Para superar sua alienação espiritual, o homem teria que praticar boas obras, que expressassem seu senso de justiça e retidão.

De acordo com as Escrituras, nossas boas obras são como trapos de imundícia (Is.64:4). Era assim que se chamava o pano usado pelas mulheres para conter o fluxo menstrual. Em outras palavras, nossas boas obras são uma tentativa inútil de conter nossa hemorragia espiritual. E por melhores que sejam, estão sempre manchadas pelo nosso pecado. Por isso, a salvação não poderia ser pelas obras, pois elas estariam manchadas pelo nosso orgulho e vaidade.

Quando os reformadores se aperceberam disso, resolveram combater a justiça própria, mostrando aos homens que a única maneira de serem salvos é confiar na justiça divina, demonstrada na Cruz, onde Cristo recebeu nossos pecados e suas conseqüências, e nos imputou Sua justiça e santidade. Aos olhos de Deus, tornamo-nos justos, a despeito de nossas obras, quando reconhecemos nossa bancarrota, e nos fiamos na justiça de Seu Filho Jesus. É pela fé, e tão somente por ela, que Sua justiça é computada em nossa conta.

Até aí, tudo bem. Não há o que rebater. Basta ler Romanos, Gálatas, e toda a Bíblia, para dar-se conta de que a justificação pela fé é uma doutrina imprescindível e inegociável.

A Justificação pela Fé estanca a hemorragia provocada pelo pecado, mas não nos cura de nossa anemia.

É importante combater a justiça própria, pois ela nada mais é do que um placebo, um “me-engana-que-eu-gosto”. É importante estancar a hemorragia, em vez de tentar contê-la com boas obras. Mas acima de tudo, é importante restaurar a saúde espiritual do ser humano. E pra isso, tem-se que combater o pecado. E o que seria o “pecado”? Ora, o termo “pecado” significa “errar o alvo”. Mas acerca de quê alvo estamos falando? Qual o alvo original estabelecido por Deus à criatura humana?

Essa resposta pode ser encontrada nos dois principais mandamentos de Deus. Eles se constituem no alvo de nossa existência.

“...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o primeiro e grande mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda a lei e os profetas” (Mt.22:37-40).

Eis o alvo! Fomos feitos para o amor. E o alvo deste amor é Deus, e, por conseguinte, nossos semelhantes. Porém, ao cair, o homem desvirtuou o alvo, e introduziu um novo alvo: seu próprio eu.

Quem disse que Deus ordenou que o homem amasse a si mesmo? O amor próprio é a essência do pecado. É o próprio pecado. Deus jamais nos ordenaria que pecássemos. Ao dizer que deveríamos amar a nosso próximo como a nós mesmos, ele não está endossando o amor próprio, mas condenando-o. Com efeito, Ele disse: O amor que vocês nutrem por si mesmos, devem dedicar aos outros em vez de a si. O “amor próprio” aqui entra apenas como um referencial, e não como algo louvável e que deva ser estimulado.

As religiões aparam os ramos, e eles continuam a frutificar. O golpe desferido pelos reformadores atingiu o tronco da árvore, e não a sua raiz. Urge desferirmos um golpe na raiz da árvore, o amor próprio.

Todos os pecados têm no amor próprio seu ponto de partida.

Por exemplo: a mentira. Geralmente, a mentira visa a autopromoção ou a autopreservação. O indivíduo mente para promover-se, exagerando em seus dotes, enfatizando suas proezas. Ou mente para proteger-se. Portanto, a mentira é filha do amor próprio.

E o adultério? Quem se entrega a uma relação adúltera busca por autossatisfação, sem importar com a dor que causará ao seu cônjuge e filhos.

Autopromoção, autopreservação e autossatisfação são os principais alvos estabelecidos pelo amor próprio.

Há ainda a filha caçula do amor próprio, a autoestima, um nome mais sofisticado para o velho orgulho. E há ainda o sobrinho do amor próprio, a autoajuda, tão em voga em nossos dias. Em vez de buscar ajuda do alto, o homem pós-moderno prefere acreditar em seu próprio potencial para resolver todos os seus problemas.

O antídoto para a justiça própria é a graça. Através dela a justiça humana é desbancada, e em seu lugar é entronizada a justiça de Deus. E qual seria o antídoto para a o amor próprio? O antídoto para o amor próprio é a cruz.

Os reformadores protestantes enfatizaram a morte de Jesus em nosso lugar, mas se esqueceram de dar igual ênfase à nossa co-crucificação. Dizer que Jesus morreu por nós é a mais pura verdade, mas não expressa toda a verdade. Ele morreu por nós, mas nós também fomos crucificados com Ele. O apóstolo Paulo conjuga com maestria essas duas verdades:

“Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressurgiu” (2 Coríntios 5:14-15).

O amor revelado na Cruz deve constranger-nos a ponto de não mais vivermos para nós. A Cruz é um golpe fatal no amor próprio.

Paulo compreendeu isso perfeitamente: “Estou crucificado com Cristo, e já não vivo, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gl.2:20).

Onde foi parar a autoestima de Jesus? Como Ele pôde entregar-Se de tal maneira por gente que sequer merecia?

Jesus estabeleceu um novo referencial de amor. Antes da Cruz, a referência mais eloquente que o homem tinha era o amor próprio. Mas agora, Jesus o desbancou, entregando-Se por nós sem reservas. E é este o tipo de amor que devemos dispensar aos nossos semelhantes.

Pela Cruz, somos salvos não apenas da condenação do inferno, ou da ira divina, mas somos salvos de nós mesmos.

Pelas pisaduras de Cristo, fomos curados de nossa hemorragia e de nossa anemia espiritual. Agora somos instados a amar a Deus sobre todas as coisas e aos nossos semelhantes da maneira como Ele nos amou, e não como a nós mesmos.

Tudo isso sugere que o que a igreja cristã necessita não é de mais uma reforma, nos moldes do século XVI, mas de uma revolução de amor, onde o amor próprio seja deposto, e em seu lugar seja entronizado o Novo Mandamento de Jesus.

| Autor: Hermes C. Fernandes | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |